domingo, março 24, 2019
Home Blog Página 2521

01 – Geral

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

MELHORANDO
A PERFORMANCE DO NADO PARA FUNDISTAS

Dica do atual recordista americano dos 800 metros nado livre e membro
da equipe americana olímpica de 1992 em Barcelona, Sean Killon.
Sean diz que tal dica ele recebeu do seu treinador Nort Thornton
na Universidade da California Berkeley.


"O grande ponto para o nado de crawl de longa distância
é estar 2/3 do tempo de nado no seu lado, enquanto o outro
1/3 do tempo você estará utilizando para girar o seu
corpo de um lado para o outro. Um grande passo para você desenvolver
isso e seu corpo se acostumar é realizar séries de
perna na posição de lado. Você pode fazer séries
batendo 12 pernadas e girando para o outro lado e com o desenvolvimento
passar para 6 pernadas por lado. Toda potência no nado de
crawl é gerada nos quadris e isso não é diferente
no futebol americano, beisebol, tênis ou golfe."

FLEXIBILIDADE

Uma revista australiana "The Age" traz um interessante
artigo a respeito de flexibilidade escrito por dois médicos
Dr. Ian Shirer e Dr. Kay Gossal no qual destacam alguns pontos importantes
na validade do uso da flexibilidade para desenvolvimento de performance.
Entre os fatores levantados, a flexibilidade tem sido a mais reconhecida
e utilizada atividade preventiva para lesões no esporte.
Outros itens destacados pelo artigo ainda destacam:

– A flexibilidade deveria ser executada após um aquecimento
ou um banho quente.
– A atividade de flexibilidade deve ser executada de forma estática
e não "balançada"nos movimentos.
– A ação deve ser sustentada por 10 a 30 segundos.

– A atividade de flexbilidade não pode ser dolorosa, e sim
fazer com que o atleta se sinta bem.
– Deve ser completada com corretas ações técnicas
pois em caso de imprópria execução os danos
podem ser maiores do que os benefícios.

UMA BOA SERIE DE EXTENSORES PARA
NADADORES DE PEITO

Dica do Coach Steve Bultman da Universidade do Texas A&M com
uma boa serie para desenvolvimento de forca para os nadadores de
peito utilizando os extensores de tubo cirurgico.

Ele recomenda o uso de pelo
menos uma vez por semana para os nadadores de peito. Sao feitas
series de perna e braco num programa dividido em 3 segmentos. No
primeiro segmento, os nadadores executam a serie em ritmo moderado.
A segunda parte existe um pequeno acrescimo de forca e o ultimo
segmento um padrao de nado bem mais acelerado.

Outra solicitacao do treinador
Bultman eh que na volta da extensao do extensor, os nadadores sustentem
a posicao total de streamline por 1 a 2 segundos para incrementar
a sensibilidade dos mesmos antes de inciar o nado de volta quando
serao puxados. Boas repercussoes vindas dos atletas foram reportadas
especialmente no momentum do nado.

Uma serie tipica de extensor inclui braco, perna, braco ou perna,
braco, perna dependendo da necessidade do nadador. Executamos 1
minuto de trabalho com 30 segundos de intervalo. Algumas vezes fazemos
3 minutos de trabalho, sendo os 2 primeiros minutos moderados, 30
segundos forte e 30 segundos crescendo.

MELHORE A VELOCIDADE DA SUA VIRADA
DE CRAWL

Dica do amigo Bill Wadley, Head Coach da Ohio State University que
sugere uma serie de itens para melhorar a velocidade de execucao
da sua virada de crawl, confira:

1) Faca o seu nadador manter a velocidade
na aproximacao da borda (aumentar a velocidade se possivel utilizando
um ritmo de perna maior).

2) Faca o mesmo manter a posicao do corpo na agua (muitos nadadores
acabam levantando a cabeca antes da virada modificando a posicao
do corpo antes da execucao da mesma). A regra aqui eh, se voce olha
para aonde voce esta indo, esta indo para o lugar errado. Sempre
olhe para o fundo da piscina ou apenas de leve para o "T"
que indica o momento exato de virar.

3) Para os velocistas, incentive-os a bloquear a respiracao entre
2 a 3 ciclos antes da execucao da virada.

4) Para os nadadores de media e longa distancia, o bloqueio deve
ser de 1 a 2 ciclos antes da virada.

5) Sempre mantenha a boa tecnica de nado na entrada da parede. Mantenha
seu estilo no mesmo padrao, pequenos ciclos de nado so servirao
para quebrar e perder o seu ritmo diminuindo sua velocidade antes
da execucao da virada.

6) Lembre-se as melhores viradas sao as rapidas, diretas sobre o
corpo e executadas com as pernas encurtadas.

7) Faca com que seus atletas coloqauem seus pes com a ponta dos
dedos apontando para cima ao tocar na parede cerca de 12 a 20 centimetros
abaixo de superficie da agua. (mais raso para os jovens nadadores
e mais fundo para os mais velhos e experientes).

8) Quando voce praticar uma rapida virada sem olhar para a parede
voce ira perder as primeiras ate desenvolver um sentido e uma melhor
sensibilidade para a virada. (sinta-se aonde voce esta na piscina,
conte seus ciclos de bracada, veja o T no fundo da piscina). A pratica
sera o melhor professor neste tiem.

9) Todas as viradas devem ser agressivas e explosivas.

DICAS BASICAS DE VIAGEM

Todos os atletas sofrem e muito desse problema. Viagens mal programadas,
acidentadas por conta de voos, horarios diferentes e fusos diferentes,
nutricao inadequada, noites mal dormidas, fatores que afetam diretamente
o seu resultado. O treinador do ano de 2001 nos Estados Unidos,
Coach Bob Bowman, Head Coach do North Baltimore Aquatic Club e treinador
do recordista mundial dos 200 borboleta, Michael Phelps eh quem
traz as dicas:

1) Planeja chegar no local da competicao
pelo menos um dia antes para cada hora de diferenca de fuso horario.
Ou seja, se existem tres horas de diferenca de fuso, tres dias antes.

2) Entre imediatamente no horario local ao chegar. Acordar no horario
adequado, executar as refeicoes no horario normal e principalmente
treinar nos horarios da competicao. Desde que seu corpo ira ajustar-se
a isso o melhor eh iniciar imediatamente este processo.

3) Durante o voo para a competicao, hidratar-se de forma adequada
com agua e sucos. Esteja longe de bebidas cafeinadas e carbonadas,
as quais so intensificarao a desidratacao. Se for necessario, transporte
com voce a sua garrafa de agua.

4) Periodicamente durante o voo, caminhe e procure se manter ativo.
Se possivel um pequeno alongamento ira contribuir para manter o
corpo relaxado.

5) Pequena atividade fisica logo apos o voo ira reduzir e muito
a sensacao de peso e stress normalmente ocorrida durante as viagens.
Se treinar na agua nao estiver disponivel, pequenas corridas ou
exercicios calistenicos serao bons substitutos.

SOLTAR APOS A PROVA EH NECESSARIO?

O Diretor de fisiologia da USA Swimming Genadijus Sokolovas apresenta
alguns itens bastante interessantes baseados em seus estudos junto
aos aos atletas da Selecao Nacional Americana:

1) A duracao da recuperacao de soltura deve ser aproximadamente
entre 25 a 30 minutos para nadadores velocistas, 10 a 15 minutos
para fundistas e intermediario entre 15 a 25 minutos para os nadadores
de meia distancia.

2) Para os velocistas, a soltura deve ter uma intensidade bem baixa,
com 50 a 55% da velocidade maxima executada numa prova de 100 metros
livre.

3) Para os fundistas, a intensidade deve ser moderada, entre 60
a 65% da velocidade maxima executada nos 100 livre.

4) Se nao estiver disponivel uma piscina para soltura durante a
competicao, os nadadores devem alongar-se apos as provas e a frequencia
cardiaca durante o alongamento deve estar entre 120 a 140 batidas
por minuto, ou de 20 a 23 batidas a cada 10 segundos.

5) Mesmo se houver um pequeno espaco de tempo entre as provas (coisa
entre 5 minutos ou menos), a execucao da soltura eh fundamental,
o lactato produzido pode ser reduzido em grande parte em 5 minutos
de trabalho.

Testando e comprovando

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming


TESTANDO
e COMPROVANDO

Marcelo
Diniz da Costa (CREF/RS 00830)

A nossa
vida de técnico de natação melhorou muito com
a praticidade proporcionada pelo controle do treinamento em análises
de lactato. No meus tempos de nadador só existia uma máquina
de análise de lactato em Porto Alegre. Pertencia a Universidade
Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e era um monstro. Tinha que
se usar uma parafernalha de procedimentos e o resultado levava meses
a ser dado. O que dificultava também as pesquisas sobre o
assunto. Hoje temos um equipamento portátil, simples de usar
e de resultados, praticamente, imediatos, o que levou a um maior
nível de conhecimento sobre o assunto.

Existem
uma gama de protocolos utilizados no mundo afora. Muitos deles publicados
e comprovados cientificamente. Isto leva o técnico a escolher
dentre eles o mais adequado a sua realidade na prescrição
do treinamento de suas equipes.

Independente
disso, na minha opinião, este equipamento serve de um meio
de fazer outras testagens e comprovações baseadas
na literatura específica. Partindo do princípio da
individualidade biológica, algumas testagens levam o técnico
à individualizar o trabalho de seus nadadores.

Pensando
assim venho relatar uma experiência que fiz em 99, a partir
da dificuldade que enfrentamos com o calendário de provas.

A situação
proporcionada foi que o Campeonato Estadual Senior terminava no
domingo e na mesma semana, na quinta-feira, começava o Campeonato
Brasileiro Senior. O que fazer?

A fisiologia
nos diz que 75% do lactato é removido pela oxidação.

Todos
os atletas depois de nadarem o estadual, em que nadaram 4 provas
individuais e 2 revezas, me pediram para não treinarem na
segunda feira. O que eu fiz foi o que todo técnico faria,
ou seja, marquei um treino para dar uma soltadinha. Montei um treinamento
de 4.000 metros, mas não tão solto assim e que a freqüência
cardíaca se mantivesse entre 140 a 160 bpm.
O grupo era formado por 8 nadadores e todos ao chegarem para treinar
foram submetidos a uma coleta e análise do sangue.

Ao
terminarem o treinamento todos foram submetidos a uma segunda coleta
e como a fisiologia nos diz, o processo de oxidação
funcionou, pois dos 8 nadadores, 7 deles diminuiram o valor do lactato
em relação a coleta feita antes do treinamento (ver
tabela).

Tabela
das coletas

Atleta Antes Depois Diminui
%
Lenise
Peixoto Petter
2,3 1,2 47,8
Kátia
Regina Groch
2,4 2,1 12,5
Fernando
Luz Alves
2,7 3,7 -37,0
Márcio
Campos da Rosa
2,4 2,2 8,3
Leandro
Redemske Couto
2,7 2,3 14,8
Christiano
José Klaser
3,0 2,2 26,7
Carlos
Eduardo Sajonc Pavão
2,7 1,5 44,4
Lizandro
Gottardi de Carvalho
2,4 2,2 8,3

Isto
me provou que o processo oxidativo do lactato é efetivo.
E ainda mais efetivo numa zona aeróbica mais alta do que
o simples nado solto, pois a intensidade do trabalho foi nos níveis
de limiar anaeróbico, que segundo a fisiologia é de
50 a 75% do VO2 máximo, podendo chegar à 90% em casos
específicos de nadadores mais preparados.

O que
eu quero, trazendo a minha experiência, é mostrar que
não devemos ficar engessados apenas nos protocolos de prescrição
de treinamento, mas aproveitar a praticidade que o equipamento de
coleta e análise de lactato nos proporciona para novas experiências
em testagens.

Conselhos
1. Não tenha medo de testar.
2. Anote tudo que for relevante.
3. Faça uma análise estatística.
4. Utilize os dados no seu planejamento.
5. Publique a sua experiência

Até
a próxima
Com braçadas fortes ( e eficientes)

Introduzindo a Avaliação Lactácida no Treinamento de Natação

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming


INTRODUZINDO
A AVALIAÇÃO LACTÁCIDA NO TREINAMENTO DE NATAÇÃO 

A Best Swimming
vai orientar a você treinador como introduzir a avalição de ácido
lático em seu treinamento e como aplicar os resultados de suas avaliações.
Um investimento seu que poderá apontar com precisão os fatores a
serem melhorados e trabalhados em seu programa de treinamento. Para
a aquisição do Accusport, sistema portátil de avaliação lactácida
entre em contato com a Best Swimming, representante oficial do produto
no Brasil que lhe orientaremos como deve proceder para isso. Este
espaço será produzido em combinação com o Sports Resource Goup de
Nova Iorque assim como colaborações do Dr. Jan Olbrecht da Bélgica,
considerado a maior autoridade na especialidade da avaliação lactácida
do momento.

1)
Início e introdução da avaliação lactácida

O
analisador portátil de lactato da Accusport é um instrumento científico
preciso e de preço acessível para a sua aplicação. É um aparelho
portátil para ser utilizado na prática.

Nosso
objetivo é trazer a você algumas sugestões e orientações para você
aplicar a avaliação no seu trabalho.

Seguem
algumas  dicas:


em
ambientes frios seria indicado ter o Accusport e as tiras de lactato
em bolsa insuflada, além de manter o instrumento protegido por suas
mãos o máximo possível. (estamos falando em temperaturas abaixo
de 5o centígrados. 


Alguns
fisiologistas esportivos e treinadores preferem coletar amostras
de sangue do lóbulo da orelha ao invés do dedo.


O
suor contém lactato e pode gerar confusão no resultado. Limpe a
área a ser perfurada com álcool e se certifique que a superfície
está seca. Alguns fisiologistas colocam vaselina no dedo para prevenir
que a amostra do sangue se misture com o suor.


Vire a palma da mão para baixo enquanto faz o furo no dedo ou logo
após perfurá-lo, afim de ajustar na formação de uma gota de sangue
maior.


Quando estiver em uso, mantenha o Accusport fora do alcance da luz
direta, incluindo a luz artificial. Se for realizar testes na área
da piscina, use uma sombra para a colocação do material.


A
temperatura deve estar entre 5 a 35O graus centígrados.


A
umidade pode afetar a performance do aparelho. Não guarde o Accusport
ou os instrumentos para teste na cozinha ou banheiro. Tenha também
o cuidado de não remover as tiras de teste do lactato de sua proteção
até um pouco antes de inciar o teste.


Tenha pilhas de reserva para o aparelho, já que sua durabilidade
é variável.

Na
sua fase incial de trabalho, os resultados ainda apresentarão algumas
discrepâncias, ou seja, não leve em considerações os primeiros testes
até você realmente dominar as técnicas de avaliação.


O
potencial do Accusport avaliador de lactato para o treinador de
natação é imenso, basta apenas você dominar a técnica e principalmente
saber tirar as corretas conclusões

2)
Dicas de uso do Accusport

2.1
Baterias


Use
três pilhas pequenas (tipo 3A)


Mantenha
as baterias na máquina, isto é para manter o código referente as
fitas , assim como data e informações de registro que deverão ser
cadastradas em seu controle.

2.2 Configuração


Você
pode colocar várias séries no seu Accusport, incluindo tempo, dia
e o mês dos testes, somente o ano não é acessível na configuração


Outras
configurações inlcuindo sangue X plasma, tipo de som para o beeper,
use números para isso. 

A
máquina mantém as configurações até aproximadamente 30 minutos sem
as pilhas.

3.3 Códigos


Ponha
o código da fita com a seta da mesma para cima na posição de colocação
no Accusport. 


Os
códigos não podem ser repetidos e cada caixa de fita vai ter um
código diferente.

3.4 Mensagens de erros


Lo/Hi – Indica baixa concentração 0.8 mMol/l ou acima de 22 mMol/l. 


E1
– O código número da tira não corresponde ao código colocado na
máquina.


E2 – O mais comum representa que a fita não foi colocada corretamente.
Se isso voltar a se repetir por várias vezes é porque alguma coisa
não está funcionando bem.

O que se pode e o que não se pode fazer com o Accusport

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming


O
QUE SE PODE E O QUE NÃO SE PODE FAZER COM O ACCUSPORT

Algumas
sugestões para se ter uma boa amostra de sangue:

Lave as mãos antes de qualquer teste
e tenha certeza de que todo o suor tenha sido retirado. O suor contém
lactato e muitas vezes em grande quantidade, isto afetará a leitura
se por acaso se misturar com o sangue ou se cair na superfície amarela
da tira. Um estudo mostrou grandes diferenças nas leituras de lactato
em repouso antes e depois de lavar as mãos e atribuiu esta diferença
de lactato ao suor ressecado deixado nas mãos.

Mantenha
as mãos para baixo ao lado do corpo e delicadamente balance as mãos
para baixo para fazer com que mais sangue flua para os dedos. Não
balance muito rápido as mãos. Tenha certeza que o dedo está limpo
e em seguida limpe o dedo com uma gaze com álcool. Você pode encontrar
isso em qualquer drogaria ou farmácia.

Usando
uma caneta para lancetas, faça um furo no dedo. Se a caneta para
lanceta tiver maneiras para ser regulada, sugerimos que primeiramente
seja usada uma regulação antes da máxima. Se uma quantidade de sangue
suficiente tiver saído então você poderá decidir se continuará usando
esta regulação ou voltará uma. Se a quantidade de sangue não for
suficiente, perfure um outro dedo com a regulação máxima. Devido
aos calos e espessura da lanceta, alguns dedos podem requerer maior
ou menor penetração no ato do furo. O dedo indicador tende a ter
mais calos que o dedo anular, mais isto pode variar de pessoa para
pessoa.

As
orientação do Accusport e nossa experiência sugerem que se perfure
o dedo ao lado, no ponto médio entre a região da unha e a região
da palma da mão. Geralmente nesta região há menos calos e é mais
fácil de se atingir um capilar sanguíneo.

Uma
vez perfurado o dedo, mantenha a palma da mão para baixo, então
a gota de sangue poderá se formar voltada para baixo. Se manter
o dedo para cima, o que é a tendência da maioria das pessoas, o
sangue irá se espalhar pela ponta do dedo, e isto tornará mais difícil
retirar uma quantidade suficiente de sangue.

Limpe
a primeira gota de sangue com uma gaze com álcool. Esta primeira
gota pode conter oleosidades da pele, que pode afetar a leitura.
Delicadamente, “ordenhe”o sangue acima da superfície amarela na
tira de lactato. Quando a gota for grande o suficiente, coloque
a amostra de sangue acima da superfície amarela, sem tocar na tira.
Como esta etapa é crítica, sugerimos que todos que forem supervisionar
o teste, pratiquem inicialmente em si mesmo, até serem consistentes
em retirar uma gota grande o suficiente.

Se
a gota for muito grande ela cobrirá toda a superfície  e provavelmente formará uma camada lustrosa na superfície
da tira. Isto não tem nenhum problema, já que o excesso de sangue
não afetará o processo. Se você retirar muito sangue ele pode escorrer
para os lados. Isto pode ou não afetar o resultado, mas se o sangue
escorrer para os lados da tira, você deve limpar o aparelho com
algodão ou um papel toalha de boa qualidade. Evite sangue em excesso.
Novamente enfatizamos que para se retirar uma boa amostra de sangue,
é preciso experiência.

Não
toque na superfície amarela da tira com o dedo, ou capilar. Você
pode estragar a superfície porosa, que age como filtro e com isto
uma quantidade maior de fluído irá alcançar a camada inferior. Isto
pode ocasionar valores altos de leitura. Uma vez se relatou ter
atingido uma leitura acima de 10,0 mMol/l para o lactato em repouso,
e isto gerou muita confusão, até que o usuário disse ter colocado
o dedo firmemente na superfície da tira e amassando a superfície
porosa.

Se
você estiver impaciente aguardando que uma gota apropriada se forme
você pode se sentir tentado a pressionar o seu dedo na superfície
amarela da tira. Não faça isso pois poderá amassar a superfície
da tira.

Não
ponha uma segunda gota de sangue na superfície amarela da tira.
O problema não seria de se ter uma amostra muito grande de sangue,
mas o tempo de coleta. Uma segunda gota de sangue pode ser coletada
algum tempo depois e isto poderá fazer com que perca a amostra,
já que a leitura está planejada para 60 a 65 segundos. Este processo
químico, se inicia tão logo a primeira gota penetre na superfície
amarela. Quando você fecha a “janela”do aparelho, o processo de
leitura demora cerca de 60 segundos para ler a concentração de lactato.
Portanto, adicionando uma segunda gota de sangue isto ocasionará
uma demora de 15 a 20 segundos e o processo de leitura já pode ter
ocorrido.

Da
mesma maneira, você tem cerca de 5 segundos para fechar a “janela”depois
de a gota de sangue ter sido colocada na superfície da tira.

Algumas
pessoas preferem retirar a amostra de sangue do lóbulo da orelha,
já que esta  região
não cicatriza tão rápido quanto o dedo, portanto, um segundo furo
não seria necessário para uma segunda coleta alguns minutos após.
Para facilitar o processo, você tem de colocar uma tira limpa de
lactato no aparelho inicialmente para verificar o código. Em seguida,
abra a “janela”, tire a tira de lactato do aparelho e coloque o
sangue. Rapidamente coloque a tira de volta no aparelho e feche
a janela. ISTO DEVE SER FEITO RAPIDAMENTE. Você tem somente 5 segundos
para colocá-la de volta no aparelho e fechar a “janela”. Caso este
processo seja mais longo que 5 segundos, isso afetará a precisão
da leitura.

Coloque
sempre o sangue de maneira correta e tenha sempre um recipiente
apropriado com gaze, luvas cirúrgicas e uma quantidade suficiente
de lancetas. Cheque com o seu Conselho de Saúde a maneira correta
de coletar sangue e como descartar este tipo de lixo hospitalar.
Gazes com álcool, luvas cirúrgicas e lancetas devem ser jogados
em recipientes apropriados (como por exemplo, um plástico espesso
ou uma garrafa de detergente). Siga as orientações de seu guia de
saúde municipal, para saber com se desfazer deste lixo hospitalar.
NUCA REUTILIZE UMA LANCETA!!!

Sempre
planeje seu teste. Será muito mais fácil se você planejar o seu
teste, quando um atleta estiver pronto para o teste e ainda faltarem
2 minutos para completar o teste anterior. (Contudo, inicialmente
é recomendado 4 minutos entre os atletas, até que você se torne
confiante com o processo). O procedimento do teste dura cerca de
1 minuto e 40 segundos (cerca de 65 segundos para completar o teste
e observar a leitura de lactato e cerca de 30 a 35 segundos para
remover a tira, jogá-la, colocar no aparelho uma tira nova e calibrar
a fita).


então você estará pronto para o próximo teste. Se o teste anterior
estiver na contagem regressiva e você estiver preparando o próximo
atleta para a coleta, isto demorará cerca de 45 a 60 segundos, tempo
necessário para limpar e preparar o dedo, furá-lo com uma lanceta
e conseguir uma boa amostra de sangue. Com aproximadamente 15 segundos
para finalizar o teste anterior, fure o dedo e forme uma boa gota
de sangue. Então, quando uma nova fita estiver calibrada, o atleta
já pode ter uma boa gota de sangue formada. Estimamos cerca de 30
a 40 segundos entre perfurar o dedo e ter uma amostra apropriada
de sangue. Isto pode demorar um pouco mais se o atleta tiver problemas
em formar uma boa gota de sangue. Alguns usuários do Accusport usam
um tubo capilar para retirar a amostra de sangue e então pipetam
o sangue do capilar para a tira. Apesar de isto parecer complicado,
muitas vezes este procedimento pode ser mais rápido, durando cerca
de 10 a 15 segundos, depois que você estiver adaptado a ele. Este
processo é considerado mais rápido pois muitas vezes para se retirar
uma boa amostra de sangue e colocá-la na tira pode durar 30 a 40
segundos ou mais. Porém para se utilizar o capilar, você deverá
limpá-lo a cada coleta ou utilizar um capilar novo.

MANDE UM CARTÃO DE NATAÇÃO PARA SEUS AMIGOS!!!

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

Nada melhor do que dividir um
pouco da alegria de fazer parte deste maravilhoso esporte. Mande
um cartão animado, musical e incentivando seus amigos a
nadarem.

Entre no endereço abaixo e divida a paixão pelo seu esporte,
uma dica da Best Swimming:

http://www.aol.kidzonks.com/display.pd?
path=30222&bfrom=1&prodnum=2038605&

Outra opção para vitória em
natação

http://www.aol.kidzonks.com/display.pd?
path=30222&bfrom=3&prodnum=2036006&

Notícias

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

TEMPORADA UNIVERSITÁRIA
AMERICANA PEGA FOGO

Fonte: collegeswimming.com

Agosto foi o mês de fazer as competições internas
e diferentes. Setembro e Outubro foi a época dos Dual Meets
competições entre universidades reunindo duas ou mais
equipes. Novembro e comecinho de Dezembro foi a vez dos Invitationals,
pequenos torneios com a participação de várias
equipes e excelentes resultados para os brasileiros. Agora Dezembro/Janeiro
é a época dos training camps. As equipes estão
em treinamento intensivo com 2 a 3 sessões diárias
de trabalho por uma ou mais semanas de alta intensidade de programação.

Os trainings camps acontecem na Florida (grande preferência
das pequenas equipes), California, Hawwaii, Bahamas, Caribe, Porto
Rico, enfim aonde tenha sol e um pouquinho de diversão mas
muito treinamento.

Fort Lauderdale sempre foi o roteiro preferido dos colleges, aqui
se realiza o College Forum com a presença de mais de 60 equipes
universitárias das 3 divisões). Aqui vai estar a Universidade
de Washington State do pernambucano Diogo Bezerra. Algumas preferem
algo diferente como Alabama do coach brasileiro Arthur Albiero que
foram para a gelada Colorado Springs treinando no Centro Olímpico
Americano.

Purdue dos brasileiros Guilherme Rego e André Pereira vão
para o Hawaii por três semanas. A idéia do training
camp é um trabalho de alta intensidade combinado com uma
boa integração do grupo em um lugar aprazível
e que todos possam se divertir. O programa é realizado há
muitos anos e sempre nesta época de fim ou início
de ano.

ÚLTIMO RANKING UNIVERSITÁRIO
COLOCA BRASILEIROS NO TOP

Fonte: College swimming

Esta temporada talvez seja a que tenhamos o maior número
de nadadores brasileiros classificados para a fase final do NCAA
Divisão I. A performance de nossos nadadores tem sido fantástica
durante os dual meets e invitationals o que dá grande esperança
de melhores resultados para as conferências e o campeonato
nacional universitário.


Gueraldi durante o Nike Cup

Renato Gueraldi (Tennessee) termina
o ano como o maior destaque, suplantando Carlos Jayme (Florida)
que liderou o ranking nacional por várias semanas. Gueraldi
está liderando o ranking nas provas de 50 livre (19:57) e
100 livre (43:86). Jayme está em 2o. Nos 50 livre com 20:11
e em 3o nos 100 livre (44:13).

Boas surpresas com destaque para os brazucas nas provas de peito,
aonde os freshmans (1o ano de faculdade), Henrique Barbosa (Cal
Bekerley) é 4o nos 100 peito (54:50) e Leonardo Hobi Martins
(Arizona State) é 5o nos 200 peito (2:00:23) e Henrique aparece
logo atrás em 6o (2:00:50). Quem diria hein? No peito!

Confira a lista de todos os brasileiros colocados no ranking da
Divisão I do NCAA:

50 livre: 26o Gabriel Mangabeira (Florida) 20:65; 38o Fernando Barros
(Kentucky) 20:83
100 livre: 18o Gabriel Mangabeira (Florida) 48:15
200 livre: 19o Carlos Jayme (Florida) 1:39:28; 29o Gabriel Mangabeira
(Florida) 1:39:64; 70o Edoardo Daelli (Southern Illinois) 1:41:25;
73o Renato Gueraldi (Tennessee) 1:41:32
1000 livre: 54o Kleyton Franca (West Virginia) 9:31:29
100 costas: 19o Marcelo Possatto (Southern Illinois) 50:10; 31o
Paulo Mauricio Machado (Tennessee) 50:57
200 costas: 7o Gabriel Mangabeira (Florida) 1:47:36; 9o Marcelo
Possatto (Southern Illinois) 1:47:49
18o Paulo Mauricio Machado (Tennessee) 1:48:73; 52o Diogo Bezerra
(Washington) 1:50:71
100 borboleta: 28o Diogo Yabe (Brigham Young) 49:75; 44o Carlos
Jayme (Florida) 50:03; 65o Pedro Pinto (West Virginia) 50:51
200 borboleta: 30o Gabriel Mangabeira (Florida) 1:50:29
200 medley: 13o Gabriel Mangabeira (Florida) 1:51:01; 26o Diogo
Yabe (Brigham Young) 1:51:81; 43o Leonardo Hobi (Arizona State)
1:52:68
400 medley: 71o Leonardo Hobi (Arizona State) 4:01:63

No feminino, apenas Letícia Cunha da Universidade de Nevada
continua listada no ranking e apenas em uma prova: 200 peito aonde
figura em 70o com 2:21:06.

BRASILEIROS TAMBÉM SÃO
DESTAQUE NAS DIVISÕES II E III

Fonte: Collegeswimming.com

Não muito diferente da 1a.
Divisão, os brazucas também são destaques na
2a e 3a Divisões universitárias americanas. Na 2a
divisão dois nadadores lideram o ranking nacional, Fernando
Torres Alves na prova dos 100 borboleta com 48:38 e Rodrigo Cintra
na prova dos 1650 jardas com 15:47:80, ambos nadam pela Universidade
de Norte Dakota com o coach brasileiro Maviael Sampaio.

Confira os brasileiros que aparecem no ranking nacional:

50 livre: 4o Raul Neukamp (Drury) 20:99; 6o Bruno Fonseca (Indianapolis)
21:07; Gabriel Melo (West Chester) 21:07; 8o Fernando Alves (North
Dakota) 21:20
100 livre: 5o Gabriel Melo (West Chester) 46:25; 6o Bruno Fonseca
(Indianapolis) 46:54
200 livre: 4o Rodrigo Cintra (North Dakota) 1:41:48; 6o Gabriel
Melo (West Chester) 1:42:62; 9o Fernando Alves (North Dakota) 1:43:71;
16o Bruno Fonseca (Indianapolis) 1:44:31
500 livre: 2o Rodrigo Cintra (North Dakota) 4:32:98
1000 livre: 2o Rodrigo Cintra (North Dakota) 9:24:39
100 borboleta: 10o Gabriel Melo (West Chester) 51:58
200 borboleta: 6o Fernando Alves (North Dakota) 1:53:40
100 costas: 14o Raul Neukamp (Drury) 53:33
200 medley: 7o Fernando Alves (North Dakota) 1:56:31

Na 3a divisão, Leandro Monteiro
do Kenyon College é nosso maior destaque. El;e é líder
dos 200 costas (1:51:49) e 2o nos 100 costas (51:13), ele ainda
aparece em outras provas. Confira a lista completa da 3a. Divisão:

200 livre: 8o Leandro Monteiro (Kenyon) 1:43:68
500 livre: 5o Leandro Monteiro (Kenyon) 4:40:19
200 borboleta: 6o Gabriel Rodrigues (Kenyon) 1:56:13
100 costas: 2o Leandro Monteiro (Kenyon) 51:13
200 costas: 1o Leandro Monteiro (Kenyon) 1:51:49; 2o Fernando Rodrigues
(Kenyon) 1:52:67
400 medley: 2o Gabriel Rodrigues (Kenyon) 4:05:21

BRAZUCAS ARRASAM NOS INVITATIONALS

Fonte: Bestswimming

Renato Gueraldi foi o grande nome da Nike Cup disputada na Carolina
do Norte. O brasileiro surpreendeu a todos com seus melhores tempos
nas provas de 50 e 100 jardas sem qualquer descanso ou polimento.
Estes dois tempos inclusive, colocaram Renato Gueraldi como o 1o
colocado no ranking nacional. Na prova das 50 jardas, 19:57 foi
novo recorde da competição.

Duelo de titas! Nao se pode dar outro nome para a linda batalha
que Leonardo Hobi Martins (Arizona State) e Henrique Barbosa (Cal
Bekerley) travaram no mais imporante e rapido Invitational Meet
da temporada universitária americana: O Texas Invitational.
Foi na prova das 200 jardas peito aonde Leonardo Hobi ficou em 4o
lugar com a marca de 2:00:23 a frente de Henrique que marcou 2:00:50
sendo que ambos marcaram o tempo considerado NCAA indice B para
a Divisão I americana. Se fizermos a conversão, ambos
teriam feito o indice para o Pan e Mundial que é de 2:17:04.

Leonardo Hobi com o seu tempo se tornou o 4o melhor nadador de 200
peito na história da ASU – Arizona State University. E segundo
seu treinador, Michael Chasson, o objetivo é quebrar o recorde
da universidade ainda este ano que e de 1:58:83. Detalhe, Leonardo
e Henrique nao poliram para esta competição.

A competição reunia várias das mais fortes
equipes da 1a. Divisão e acabou com a vitória do Texas
no masculino e feminino

MAIS NOTíCIAS DOS BRAZUCAS

Fonte: Best Swimming

Renato Gueraldi é a sensação de Tennessee.
Aliás da Divisão I americana pela sua grande performance
na temporada de 2002 aonde lidera os rankings das provas de 50 e
100 livre. Gueraldi está no seu junior year, ou seja, ainda
tem a próxima temporada como atleta do Tennessee. No seu
programa orientado por John Trembley uma coisa que pode surpreender
a quase todos que conhecem o Renato Gueraldi há anos, ele
treina duas vezes por semana com o grupo dos fundistas! A idéia
de JT (como é conhecido o treinador John Trembley) é
dar a Gueraldi condições suficientes de nadar a prova
das 200 jardas com eficiência, aguarde que vocês verão.

Marcio Menezes, paulista de Piracicaba, está terminando sua
faculdade na Southwest Missouri State University. Aliás,
sua graduação acontecerá em maio e por enquanto
ele está treinando e trabalhando como assistente técnico
voluntário. Márcio está com várias propostas
para ficar nos Estados Unidos trabalhando mas na sua área
da computação.

O pernambucano Guilherme Rego está totalmente recuperado
da cirurgia do ombro e está no Hawaii no training Camp da
Universidade de Purdue. Ele está no seu último ano
de elegibilidade pela equipe mas só se formará em
2004. Ainda sem definição dos planos para o futuro,
Guilherme espera conseguir bons tempos afim de se motivar e continuar
a treinar por mais um ano por aqui.

MICHIGAN É O #1 DO RANKING MASCULINO UNIVERSITÁRIO

Fonte: collegeswimming.com

A Universidade do Texas é o atual tri campeão nacional
masculino da primeira divisão universitária do NCAA
e lidera o ranking há 4 anos. Entretanto, desde o início
de dezembro a Universidade de Michigan que começou a temporada
listada em 7o. agora é o primeiro colocado do ranking organizado
pela College Swim Coaches Association of America. O Texas inclusive
chegou a cair para a 3a. posição atrás da Universidade
de Stanford mas no último ranking voltou para o 2o. lugar
da pesquisa.

Entre as equipes que tem brasileiros em suas fileiras a melhor classificada
é a equipe da Universidade da Califórnia de Henrique
Barbosa que está em 4o. lugar. A Flórida de Carlos
Jayme, Gabriel Mangabeira e Cláudio Ulrich aparece em 6o.
O Tennessee de Renato Gueraldi e Paulo Maurício Machado está
em 11o. e Arizona State de Leonardo Hobi Martins é o 12o.

Outras equipes de brasileiros listadas no ranking são:
Em 16o.Universidade de Purdue de Guilherme Rego e André Pereira.

Em 19o. do Co-Head Coach Arthur Albiero a Universidade do Alabama.

Em 22o. Universidade de Brigham Young de Diogo Yabe.
Em 24o. Universidade de Washington de Diogo Bezerra
E em 25o. a Florida State University de Alan Ribeiro.

No ranking feminine a atual campeã Auburn lidera desde o
início da temporada universitária e a grande surpresa
é a equipe da Florida em 2o. lugar. Nenhuma atleta brasileira
está entre as 25 equipes de 1a. divisão selecionadas
pelo ranking nacional.

MICHAEL PHELPS ARRASA EM COMPETIÇÃO
LOCAL

Fonte: Best Swimming

Sem poder nadar em high school já que é profissional
e não tendo participado do US Open, Phelps teve a sua principal
competição de final de ano um Torneio realizado pelo
seu clube, o North Baltimore Aquatics, competição
esta denominada Christmas Invitational.

Para terminar o ano, Phelps não poderia ter melhor desempenho,
pois mesmo sem polir ou mesmo descansar ele nadou 7 provas com 7
vitórias e 7 grandes marcas para a época. Como os
tempos são em jardas fizemos uma conversão para você
compreender melhor a atual fase de Phelps. Detalhe, o cara tá
nadando até peito!!!

100 peito 55:92 (1:04 em metros), 100 borboleta 46:98 (53:98), 200
medley 1:47:05 (2:02), 400 medley 3:45:95 (4:15), 200 peito 1:59:98
(2:16), 100 costas 48:10 (56:10), 1650 jardas free 15:01:51 (15:20).

DEFINIDA COMISSÃO TÉCNICA AMERICANA PARA COMPETIÇÕES
DE 2003

Fonte: USA Swimming

Foram anunciados os nomes dos treinadores
e membros da comissão técnica para as competições
internacionais de 2003 da Seleção Americana.

A comissão técnica que irá para o Mundial de
Barcelona será a mesma que irá dirigir a equipe no
"Mutual of Omaha Duel in the Pool" a competição
contra os australianos em abril. Isso já demonstra que a
USA Swimming está concentrando suas forças nestas
duas competições deixando o Pan-Americano um pouquinho
de lado (bom pra nós brasileiros).

Confira o nome dos treinadores relacionados e entre parentesis as
equipes aonde trabalham:

World Championship & Mutual of
Omaha Duel in the Pool
Head Coach Men – David Marsh (Universidade de Auburn)
Assistant Men – Eddie Reese (Universidade do Texas)
Assistant Men – Dave Salo (Novaquatics Califórnia)
Assistant Men – Bob Bowman (North Baltimore Aquatic Club)
Head Coach Women – Jack Bauerle (Universidade da Geórgia)
Assistant Women – Mark Schubert (Universidade Southern Califórnia)

Assistant Women – Frank Busch (Universidade do Arizona)
Assistant Women – Teri McKeever (Universidade Cal)

Pan-Americano
Head Coach Men – Eric Hansen (Universidade de Wisconsin)
Assistant Men – Jon Urbancheck (Universidade de Michigan)
Assistant Men – Dick Shoulberg (Germantown Academy)
Head Coach Women – Bill Rose (Mission Viejo Nadadores)
Assistant Women – Bill Dorenkott (Universidade Penn State)
Assistant Women – Jay Benner (Tacoma Washington)

World University Games
Head Coach Men – Larry Biebowitz (Universidade Southern Califórnia)

Assistant Men – Steve Morsilli (Pleasonton Seahawks Swim Team)
Assistant Men – Dave Ferris (Long Island Aquatic Club)
Assistant Men – Dennis Dale (Universidade de Minnessotta)
Head Coach Women – Jill Sterkel (Universidade do Texas)
Assistant Women – Kim Brackin (Universidade de Auburn)
Assistant Women – Jean Freeman (Universidade de Minnessotta)

EXTENSOR FERE TREINADOR EM CLEVELAND
Fonte: Swiminfo.com

O treinador assistente da Universidade de Cleveland State, Gustavo
Barrios foi ferido no olho direito pelo rompimento de um extensor
de borracha utilizado na água. Gustavo Barrios é panamenho
e ex-nadador da própria universidade estando na sua Segunda
temporada como treinador assistente da equipe.

O acidente ocorreu durante o treinamento aonde os atletas executavam
series de velocidade assistida durante a temporada universitária
Americana. Segundo orientação da própria universidade,
a partir de agora os treinadores passarão a utilizar material
protetor durante este tipo de treinamento.

No Brasil durante a década de 90 nós já tivemos
um acidente bastante sério com um nadador do Minas Tênis
Clube que acabou perdendo a visão de um olho por conta do
mesmo tipo de acidente.

FESTIVAL OLÍMPICO AUSTRALIANO

Fonte: Australian Swimming Inc.

Atletas de 17 esportes num total de 1400 desportistas de elite se
encontrarão em Sidney na primeira semana de janeiro para
o 2o. Australian Youth Olympic Festival. Na natação
estarão lá as equipes dos Estados Unidos, Canadá,
Nova Zelândia, Japão, China e Austrália, além
de outras menos votadas da região da Oceania e Ásia.

A competição reúne atletas de 14 a 18 anos
de idade e será realizada no mesmo complexo das ultimas Olímpiadas
há 2 anos atrás ficando os atletas hospedados na Vila
Olimpica.

DEPOIS DE ROSOLINO AGORA CHAD
CARVIN

Fonte: Australian Swimming Inc.

Massi Rosolino tinha motivos (?).
Cansado da pressão da imprensa italiana que o chamava de
"dopado" todos os dias decidiu mudar de "mala e cuia"
para a Austrália aonde está treinando há um
mês com o Coach Ian Pope em Melbourne.

Mas e o americano Chad Carvin? Pois é, um dos maiores fundistas
americanos está agora instalado e treinando com o coach Denis
Cotterell, técnico de Grant Hackett. Chad sempre gostou da
Austrália e lá consegue conciliar uma de suas maiores
paixões: o surfe. Logo após os Jogos Olímpicos
de Sidney, Chad Carvin por lá ficou mais de um mês
surfando todos os dias.

NOVO LIVRO DE MAGLISCHO SAI EM
JANEIRO

Fonte: Best Swimming

Swimming Faster é o 4o livro
de Ernest Maglischo que será lançado em 14 de janeiro
nos Estados Unidos. Maglischo é um dos mais respeitados treinadores
universitários americanos com 13 títulos da 2a. Divisão
Universitária além de 19 títulos das conferências.

Assim como seus livros anteriores, Swimming Faster não é
um livro que se limita as técnicas de nado e métodos
de treinamento, mas também bases de hidrodinâmica e
fisiologia do exercício. O livro desta vez vem amplamente
ilustrado com mais de 600 fotos e gráficos de nadadores de
nível mundial.

Bastante interessante são suas idéias renovadas a
respeito das técnicas de nado e discussões das bases
de equilíbrio na água e uso do rolamento do quadril.

Ernest Maglischo tem sido treinador de natação por
38 anos e atualmente está de volta a borda da piscina na
Universidade de Oakland, Michigan. PHd em fisiologia do exercício
pela Ohio State University, Maglischo é o treinador americano
mais respeitado a nível mundial pelas suas obras anteriores.

O livro estará a disposição pelo site da Best
Swimming a partir de seu lançamento, fique ligado.

ATLETAS DO PINHEIROS FAZEM TRAINING
CAMP

Fonte: Best Swimming

Liderados pelo treinador infantil
do Pinheiros, Álvaro Taba, duas atletas da equipe do Pinheiros
Fernanda Fernandes e Rebeca Nascimento estiveram em training camp
na Flórida por 15 dias. As atletas estiveram uma semana em
Coral Springs treinando com o técnico alemão Michael
Lohberg aonde se submeteram a testes de lactato e depois uma semana
em Fort Lauderdale com os americanos Jack Nelson e Duffy Dillon.
As atletas ainda participaram do 2002 FGC Winter Championships que
é o principal torneio de final de ano local.

A viagem e o programa de treinamento foi organizado pela Best Swimming.
Durante o período que estiveram nos Estados Unidos a grande
notícia foi a convocação para a Seleção
Brasileira de Rebeca Nascimento que irá defender o Brasil
pela primeira vez no Sul-Americano Juvenil do próximo ano.

ATLETA DO FLST É CONVOCADO
PARA A SELEÇÃO BRASILEIRA

Fonte: Best Swimming

Altair Alencar mudou-se para os
Estados Unidos em dezembro de 2001 aonde treina no Fort Lauderdale
Swim Team. Desde sua vinda para cá houve uma melhora bastante
significativa em suas marcas. Este ano, sagrou-se vice campeão
brasileiro de inverno e de verão na prova dos 200 medley.
A melhor notícia veio agora com sua primeira convocação
para a Seleção Brasileira que irá ao Sul-Americano
Juvenil do próximo ano.

PROBLEMAS COM SEU BORBOLETA???

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

Dicas de correção
pelo Dr. Jane Katz um dos maiores especialistas em biomecânica
na natação nos Estados Unidos.

DICAS SE
ESTÁ FAZENDO ISSO
TENTE FAZER
ISSO
1 Sua cabeça está
muito alta durante a inalação Baixe a sua cabeça
para a frente logo após a inalação.
Pratique isso com o borboleta
acelerando o movimento da cabeça para baixo.
2 Seus braços na recuperação
estão muito baixos.
Mantenha os seus cotovelos altos
na recuperação. Pratique movimentos de braços
duplos para aumentar sua flexibilidade fora d´água.
3 Seus joelhos estão muito
flexionados trazendo seus pés para cima fora d´água.
Na posição vertical,
pratique a ondulação. Quando estiver nadando,
matenha a pernada para baixo e relaxe quando os pés vierem
para cima.
4 Estás fora de coordenação
e deslizando na água.
Pratique educativos alternando
braçadas e pernadas. Trabalhe coordenação
motora fora d´água tambem.

Notícias

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

NOVIDADES DA SPLASH MAGAZINE
Fonte: Splash Magazine

A revista oficial da USA Swimming
está circulando na sua edição de Novembro e
Dezembro com Natalie Coughlin na capa: "The Best – Swimmer
of the year" reconhecendo na atleta da Universidade da Califórnia
como a maior expressão Americana do ano de 2002.

Entre as novidades da edição destacamos:

· Dara Torres está noiva! Isto mesmo a celebridade
nacional Dara Torres que já foi casada acaba de noivar com
o israelense Ike Shasha de 52 anos. Dara Torres atualmente circula
o país dando clínicas e palestras de motivação.

· Dartswim é a novidade que a USA Swimming está
introduzindo. Um programa de computação para controle
e administração de imagem digital de seus atletas.
A Best Swimming está preparando uma matéria especial
a respeito da informática a disposição dos
treinadores na internet. Fique ligado.

· As 10 melhores provas do ano dentro da natação
Americana, confira a seleção da Splash e veja se você
concorda: (ordem de importância de 10 a 1)

10 – Larsen Jensen, o garoto sensação do fundo americano
vice campeão dos 800 livre no Pan Pacífico quebrando
o recorde americano na sua primeira competição internacional
(7:52:05).

09 – Revezamento 4 x 200 livre americano no Pan Pacífico,
Nate Dusing, Klete Keller, Michael Phelps e Chad Carvin que chegou
perto dos australianos e bateu o recorde americano com o tempo de
7:11:81.

08 – Michael Phelps nos 200 medley no Senior Nationals em Fort Lauderdale.
O tempo de 1:58:68 foi recorde americano e a 3a. melhor marca do
mundo para a prova distante a apenas 62 décimos de segundo
do recorde mundial de Jani Sievinen.

07 – Michael Phelps nos 100 borboleta também no Senior Nationals
de Fort Lauderdale. Nadando lado a lado com Ian Crocker quebrou
o recorde americano deste e ficou a apenas 6 centésimos do
recorde mundial do australiano Michael Klim.

06 – Natalie Coughlin 100 livre no Pan Pacífico. Seu tempo
de 53:99 foi recorde americano e se constituiu na Segunda mulher
do mundo a nadar abaixo dos 54 segundos.

05 – Natalie Coughlin de novo, agora nos 200 costas do Senior Nationals
de Fort Lauderdale. Ela nadou grande parte da prova próximo
aos parciais do recorde mundial mas acabou quebrando o mais antigo
recorde feminino da natação Americana: 2:08:53.

04 – Revezamento 4 x 100 medley no Pan Pacífico com Aaron
Peirsol, Brendan Hansen, Michael Phelps, e Jason Lezak, novo recorde
mundial: 3:33:48.

03 – Aaron Peirsol 200 costas no Senior Nationals de abril, recorde
mundial com 1:55:15.

02 – Natalie Coughlin 100 costas no Senior Nationals de Fort Lauderdale.
A primeira mulher a nadar a prova abaixo de 1 minuto com a marca
de 59:58.

01 – Michael Phelps e Erik Vendt na batalha dos 400 medley no Senior
Nationals de Fort Lauderdale. Uma das batalhas mais memoráveis
da natação mundial de todos os tempos e que deu a
Phelps a nova marca mundial da prova 4:11:09, apenas 18 centésimos
a frente de Erik Vendt e ambos abaixo da antiga marca mundial de
Tom Dolan.

Protesto Best Swimming:Total
esquecimento da performance sobrenatural de Ed Moses que quebrou
5 recordes mundiais em piscina curta durante 6 semanas entre Janeiro
e Fevereiro.

RANKING DAS UNIVERSIDADES AMERICANAS
Fonte: CSCAA

Os atuais campeões da
1a. divisão universitária Americana continuam liderando
o ranking da temporada 2002/2003. Texas está 9 pontos a frente
de Stanford no masculine enquanto que Auburn lidera o feminino com
10 pontos a frente da Universidade da Geórgia. Nenhuma destas
quarto equipes citadas tem brasileiros em suas equipes. A melhor equipe
no ranking com nadadores brasileiros é a Universidade da Califórnia
aonde está Henriquer Barbosa ocupando o 4o. lugar no ranking.
Quem caiu foi a Universidade da Flórida de Carlos Jayme, Gabriel
Mangabeira e Cláudio Ulrich que já chegou a estar em
5o. e agora aparece em 7o. lugar.

No naipe feminine, a Universidade de Las Vegas de Letícia Cunha
não aparece no ranking das 25 melhores. Boas surpresas foram
para as equipes de Purdue aonde está Guilherme Rego e Washigton
University aonde está Diogo Bezerra que pela primeira vez aparecem
no ranking das 25 melhores do país. Purdue está em 18o.
enquanto Washignton University está em 25o.

RESULTADOS DOS BRASILEIROS NA
TEMPORADA UNIVERSITÁRIA

Fonte: Best Swimming, Collegeswimming.com, Swiminfo.com

Carlos Alberto Jayme é sem
dúvida a maior expressão da natação
brasileira na temporada Americana. Até agora ele é
líder do ranking nacional da 1a. divisão em duas provas,
50 e 100 livre sendo o único nadador a liderar em duas provas.
Carlos Jayme detém os recordes da Universidade da Flórida
com as marcas de 19:76 para as 50 jardas e 43:05 para as 100 jardas.
Cursando o segundo ano na UF, Jayme está sendo apontado como
provável futuro recordista da Conferência SEC – Southeastern
Conference para as provas de 50 e 100.

Na prova das 100 jardas, o recorde pertence a Rowdy Gaines, ex-recordista
mundial dos 100 livre que estabeleceu o tempo de 42:48 há
21 anos atrás no NCAA disputado no Texas, alias mesmo local
da competição do próximo ano. O recorde dos
50 pertence ao australiano Brett Hank nadando por Auburn com 19:16.

Até agora, nesta temporada, Jayme nadou os 50 para 20:11
e os 100 para 44:13. Na última competição,
contra a Universidade da Carolina do Sul, outra vitória da
UF 130 x 104 com duas vitórias de Jayme 20:16 nos 50 e 44:40
nos 100. Mais vitórias para Gabriel Mangabeira nos 200 livre
1:39:64 e 200 borboleta 1:50:29. O outro brasileiro do time, Cláudio
Ulrich ficou em 6o nos 200 medley com 1:59:14 e 2o. nos 200 costas
com 1:53:06.

A UF (Universidade da Flórida) detonou a FSU (Florida State
University) no clássico e num encontro de brazucas. Jayme
voltou a brilhar com vitórias nos 200 livre (1:39:28) e 100
livre (45:18). Gabriel Mangabeira também foi duplo vencedor
nos 200 medley (1:53:70) e 500 livre (4:38:64). Na FSU está
o carioca Alan Ribeiro que ficou em 3o. nos 200 livre (1:43:28)
e 3o. nos 500 livre (4:39:43).

Outro encontro de brasileiros aconteceu na competição
entre Southern Illinois da 1a. divisão contra Drury University
da 2a. divisão. Vitória apertada por apenas 3 pontos
para Southern Illinois aonde estão o coach Gustavo Schalch
Leal, mais os atletas Edoardo Daelli, Marcelo Possato e Danilo Luna,
além de Karina Belache. Notime de Drury, está o gaucho
Raul Neukamp que venceu a prova dos 50 livre com 21:23. Entre os
brasileiros de Southern Illinois, Marcelo Possato foi o único
que venceu uma prova individual: 1:51:01 para os 200 costas. Possato
ainda ficou em 5o. lugar nos 200 medley (1:59:40). Danilo Luna ficou
em 2o. nos 100 costas com 1:54:62, enquanto Eduardo Daelli tabme´m
levou 2 segundos lugares, nos 100 livre (47:59) e 200 livre (1:43:84).
A brasileira Karina Belache ficou em 5o. nos 200 borboleta com 2:13:62.

Mais encontro de brasileiros aconteceu na vitória da Purdue
sobre a Universidade de Cincinnati.O pernambucano Guilherme Rego
de Purdeu ficou em 5o. nos 200 peito (2:10:42) e 6o. nos 100 peito
(1:004:48). Guilherme ainda se recupera da cirurgia que fez na temporada
passada e ainda está bastante distante de seus melhores tempos.
Na equipe de Cincinnati está o cearense André de Paula
Joca Ramos que ficou em 9o. nos 200 costas com 1:57:90.

O maranhense Pablo Banhos subiu ao podium duas vezes mas não
impediu que a sua equipe Wright State fosse derrotada pela Universidade
de Utah 125 x 112. Pablo foi 3o. nos 200 livre (1:46:38) e 2o. nos
100 borboleta (53:14). O cearense Tiago Veloso Barreira também
foi destaque duas vitórias mas sua equipe perdeu, Universidade
North Carolina Willmington para Davidson por 149 x 113. Tiago venceu
os 200 borboleta (1:57:43) e os 100 borboleta (51:63).

Bons resultados na West Virginia, aonde o carioca Kleyton França
ganhou duas provas na vitória contra Seton Hall . Kleyton
ganhou os 100 (46:70) e 200 livre (1:42:06). Outro brasileiro da
equipe, João Pedro Seabra Pinto ganhou os 200 medley com
1:54:25 e perdeu os 200 borboleta no toque (1:53:49). A brasileira
do time, a pernambucana Lívia Cascão ficou em 2o.
nos 50 livre 24:84.

Na Duquesne University estão dois brasileiros, Hugo Erse
e Alexandre Junqueira. Hugo é freshman e na sua primeira
competição pela nova equipe estreou com vitória
nas 1000 jardas (10:15:33) e 2o. lugar nos 500 livre (4:55:64).
Alexandre foi 4o. nos 100 peito (1:08:08).

O paranaense Diogo Yabe está na Brigham Young University
e tem conseguido vários resultados de destaque. Sua última
vitória foi contra Utah na prova dos 200 medley com 1:52:24.

Na 3a. divisão universitária Americana só dá
Kenyon College, campeão consecutivo nacional há 23
anos. E com destaque para o brasileiro Leandro Monteiro que é
o recordista da escola nos 200 costas com a marca de 1:47:21. Leandro
continua imbatível este ano e na útlima competição
contra a Universidade de Toledo mais duas vitórias de Leandro
nos 100 costas com 51:13 e nos 200 costas com 1:52:88. O objetivo
de Leandro é conseguir também o recorde da escola
dos 100 costas que pertence a outro brasileiro Estevão D´ávilla.
Na vitória sobre Toledo, participação de mais
dois brazucas: Gabriel Rodrigues 5o nos 200 livre (1:44:81) e 3o.
nos 200 borboleta (2:00:71), e Fernando Rodrigues 6o. nos 100 costas
(54:72) e 3o. nos 200 costas (1:54:48).

NADADOR DO ANO NA AUSTRÁLIA
SERÁ CONHECIDO EM DEZEMBRO

Fonte: Federação Australiana de Natação

Em grande cerimônia de gala
e com muita festa na noite de 9 de dezembro será anunciado
o Telstra Swimmer of The Year, prêmio dado ao nadador australiano
de maior destaque na temporada. Esta será a 13a. edição
do troféu que reúne centenas de jornalistas, treinadores
e atletas australianos.

O evento está marcado para o dia seguinte do encerramento
da etapa australiana da Copa do Mundo e um dia antes do início
do maior "training camp" da história da natação
da Austrália. Serão um total de 170 nadadores selecionados
para um treinamento conjunto de uma semana sob o comando de 100
treinadores e membros da comissão técnica e médica
responsável pela programação, análise,
testes e avaliações. Serão utilizadas 7 piscinas
e todos irão ficar hospedados no campus da Monash University.
Os atletas serão divididos de acordo com as provas em 3 grupos:
50, 100 e 200 livre, além de 100 e 200 estilos em um grupo,
400, 800 e 1500 livre num segundo grupo e os nadadores de medley
200 e 400 em um terceiro grupo.

THORPE É NOTÍCIA
TODO DIA

Fonte: Diversas

A troca repentina e inesperada de treinador, a busca de experiências
novas em disputar provas mais curtas cansado um pouco de ser "fundista",
uma ação contra dois fãs, uma provável
mudança para Mônaco afim de fugir dos altos impostos
da receita australiana, e agora a resposta as insinuações
de que ele seria gay. Estamos falando de apenas pouco mais de um
mês de notícias em que sempre o assunto é ele:
Ian Thorpe.

O mais popular atleta australiano e o mais bem pago nadador do mundo
ganha as manchetes diárias dos principais jornais australianos.
Ian Thorpe é vítima do intenso acesso da imprensa
australiana e estará em uma nova disputa para a primeria
semana de dezembro na etapa australiana da Copa do Mundo. Seu desafio
será a prova dos 50 livre na sua primeira aparição
nesta prova a nível mundial.

Conheça alguns dos adversarios de Thorpe para a Copa do Mundo
na prova dos 50 livre e suas melhores marcas:

Mark Foster (Inglaterra) 21:13 (recordista mundial)
Pieter Van den Hoogenband (Holanda) 21:65
Brett Hawke (Austrália) 21:69
Ashley Callus (Austrália) 21:72
Bartosz Kizierowski (Polônia) 21:78
Denis Pimankov (Rússia) 22:18
Igor Martchenko (Rússia) 22:26

O melhor tempo de Thorpe em curta é de 22:37.

USA SWIMMING ASSINA CONTRATO COM
A OMEGA

Fonte: USA Swimming e Omega

A Federação Americana
de Natação assinou contrato com a empresa suiça
Omega por 4 anos para controle do sistema eletrônico de cronometragem
em todas as competições nacionais quebrando um longo
período que existia entre a entidade e a Colorado Springs,
esta uma empresa Americana.

O contrato com o Omega foi assinado e vai cobrir todas as competições
oficiais da USA Swimming. O grupo Omega é responsável
pela fabricação dos relógios Swatch e tem sido
a grande inovadora do mercado de cronometragem eletrônica
mundial sendo a primeira empresa a introduzir as placas de chegada
e o sistema de saídas de revezamento.

A Omega também é a empresa oficial de cronometragem
da FINA e seu site contém várias das principais competições
mundiais com resultados automáticos. Visite o site da Omega
a nova patrocinadora da USA Swimming: www.omegatiming.com

USA SWIMMING PERDE O DIRETOR DO
NATIONAL TEAM

Fonte: USA Swimming

Uma surpresa muito grande. Dennis
Pursley anunciou o seu pedido de demissão do cargo de Diretor
do USA National Team para assumir a posição de Head
Coach no Phoenix Swim Club a partir de Janeiro de 2003. Dennis Pursley
tem sido o responsável pela seleção nacional
Americana desde 1989 e durante este tempo a equipe Americana disputou
3 Olimpíadas conquistando 86 medalhas olímpicas sendo
38 de ouro.

Com diversos prêmios e reconhecimentos pelo trabalho desenvolvido
durante o período não se sabe ao certo o real motivo
para a saída de Dennis Pursley da Seleção Americana.
Entre tantos feitos e vitórias, um dos seus fracassos foi
a criação do National Resident Team, ou seja a seleção
permanente que moraria e treinaria em Colorado Springs e que nunca
funcionou e acabou por ser praticamente eliminada.

Pursley irá ficar no cargo até o final do ano e a
USA Swimming já começou a procurar um substituto para
o cargo.

Vem aí o U.S. Open

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

De 5 a 7 de dezembro a gelada Minneapolis
irá sediar o US OPEN, o campeonato nacional americano que
permite a participação de equipes estrangeiras além
dos próprios estrangeiros que representam universidades e
times americanos. Nas edições do Senior Nationals,
o verdadeiro campeonato nacional absoluto americano, os atletas
estrangeiros não podem participar das equipes de revezamento
e podem ser proibidas suas participações como ocorreu
no último disputado em Fort Lauderdale no mês de agosto
passado quando foram selecionadas 5 equipes nacionais americanas.

O US OPEN é aberto a todos. Todos nadam, todos participam,
todos contam pontos. Sempre disputado em dezembro, o campeonato
este ano difere um pouco das edições anteriores pois
será disputado em piscina de 50 metros ao contrário
dos anos passados quando sempre foi em piscina de 25 metros. O motivo
para isso é a priorização da natação
Americana no programa olímpico já preparando a equipe
para 2004 em Atenas.

Serão 32 provas disputadas em 3 dias, em eliminatórias
e finais. Os indices deste ano estão bem mais fortes e não
está sendo esperada a participação de muitos
atletas. Mais informações a respeito da competição,
o programa de provas, indices, fotos e resultados anteriores você
pode acompanhar no site da USA Swimming: www.usa-swimming.org.

A Best Swimming irá apresentar um resumo das provas, opiniões
e fatos que irão marcar mais este grande evento internacional.
Fique ligado!

Notícias

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

SAIU O RANKING DOS ATLETAS NA DIVISÃO
1 UNIVERSITÁRIA AMERICANA. BRASILEIROS SÃO DESTAQUE.

Fonte: collegeswimming.com

Finalmente, após várias semanas de dual meets o CSCA
– College Swimming Coaches Association e o site collegeswimming.com
divulgaram o primeiro ranking dos atletas na temporada 2002/2003.
Para nossa grata surpresa os brasileiros são destaque como
nunca.

Carlos Alberto Jayme é o maior destaque brasileiro nadador
que disputa pela Universidade da Flórida está listado
em duas provas como melhor tempo do país nesta temporada. Jayme
é líder nas provas de 50 jardas com 20:11 e nas 100
jardas com 44:13. Jayme ainda figura na prova dos 200 livre (16o)
e até nos 100 borboleta (9o).

Um total de 11 brasileiros estão listados entre os 50 nadadores
mais rápidos da temporada universitária Americana da
1a. divisão no masculino, e apenas uma no feminino: a carioca
Letícia Cunha que está em 42o lugar na prova das 200
jardas de peito com 2:21:06.

Outros nadadores em posição de destaque são:
Gabriel Mangabeira da Universidade da Flórida que está
em 2o nos 200 medley (1:51:01) e em 3o nos 200 costas (1:47:36). Manga
ainda aparece em 4o nos 100 livre (45:15) e em 10o nos 50 livre (20:65).

Os outros brasileiros que aparecem no ranking e suas respectivas universidades:

Renato Gueraldi (Tenesse)
7o. nos 50 livre com 20:48
6o. nos 100 livre com 45:29
43o. nos 200 livre com 1:41:52

Marcelo Possato (Southern Illionois)
22o. nos 100 costas 51:10
15o. nos 200 costas 1:50:07

Diogo Gomes Bezerra (Washington State)
38o. nos 100 costas com 51:98

Carlos Sayão (Michigan)
14o. nos 200 costas com 1:50:01
38o. nos 200 peito com 2:07:15
6o. nos 200 medley com 1:51:65
8o. nos 400 medley com 3:57:06

Paulo Maurício Machado (Tennessee)
17o. nos 200 costas com1:50:80
48o. nos 200 medley 1:55:46

Cláudio Ulrich (Florida)
34o. nos 200 costas com 1:51:98

Leonardo Hobi Martins (Arizona State)
24o nos 200 peito com 2:05:29

Diogo Yabe (Brigham Young University)
6o. nos 100 borboleta com 49:75
8o. nos 200 medley com 1:51:81

Até o fechamento desta atualização
ainda não havia sido divulgado o ranking da 2a. divisão
aonde estão vários outros brasileiros em destaque.
Na próxima atualização da Best Swimming estaremos
divulgando este ranking.

Mais detalhes da natação universitária Americana
no site: www.collegeswimming.com

RODRIGO CINTRA É O NADADOR
DA CONFERÊNCIA NORTE DA SEMANA

Fonte: Swimnews


Rodrigo Cintra

O brasileiro Rodrigo Cintra da Universidade
de North Dakota ganhou o título de melhor nadador da semana
da North Central Conference. A indicação de Cintra
foi após sua participação em competição
que ganhou duas provas 500 jardas (4:46:51) e 1000 jardas (9:52:33)
contra as equipes da Air Force e University of Wyoming, ambas da
1a. divisão.

Rodrigo Cintra está na sua segunda temporada pela Universidade
de North Dakota aonde é treinado pelo brasileiro Maviael
Sampaio e foi campeão da Segunda divisão na prova
dos 1650 jardas no ano passado.
Confira a página da Universidade de North Dakota aonde está
outro brasileiro: Fernando Alves.
http://www.fightingsioux.com/sports/mswimming/

RESULTADOS DOS BRASILEIROS PELA
AMÉRICA

Fonte: Best Swimming

Na temporada universitária, o maranhense Pablo Banhos ficou
em 3o. na prova das 200 jardas borboleta representando a Wright
State University no dual meet contra a Oakland University. Pablo
nadou sua melhor marca para este ano 1:57:73.

A Universidade da Flórida com seus três brazucas (Carlos
Jayme, Gabriel Mangabeira e Cláudio Ulrich) estava ranqueada
número 6 da temporada e foi enfrentar a número 7,
Michigan, aonde está o canadense-brasileiro Carlos Chuck
Sayão. Mas o time de Michigan veio com tudo e aplicou a 1a.
derrota da UF este ano 132 x 198. Carlos Jayme muito doente só
nadou os 50 livre e pela primeira vez perdeu, só que foi
para Gabriel Mangabeira 20:66 contra 20:75. Manga ainda ficou em
2o. nos 100 livre.

Cláudio Ulrich foi duas vezes 8o. colocado no medley (1:56:86)
e nos 200 costas (1:53:54). Carlos Sayão, aqui só
chamado de Chuck Sayao ganhou o medley (1:51:65) e foi 4o .nos 200
costas (1:50:01).

A FSU – Florida State University ganhou da Georgia Tech e o site
da equipe anunciou a vitória como "Huge Victory".
No time da Florida está o carioca Alan Ribiero que ficou
em 3o. nos 200 livre (1:42:58) e 2o. nos 500 livre (4:37:85). Em
outra competição, desta vez contra a equipe de Indian
River Community College Alan ganhou os 1000 jardas com 9:48:01.
Até agora, a FSU está invicta em 4 competições
disputadas este ano.

O cearense Tiago Veloso Barreira estreou na sua temporada como senior
da North Carolina Willmington com um 2o. lugar nos 200 livre (1:43:99)
e um 4o. lugar nos 100 livre (47:52) em um torneio contra a North
Carolina State e James Madison University.

Três brasileiros em ação na equipe da West Virginia.
O carioca Kleyton França e o gaucho João Pedro Seabra
Pinto foram destaque em competições diferentes. Contra
Oakland Michigan, Kleyton França ganhou as 3 provas que disputou:
200, 500 e 1000 jardas, enquanto João Pedro ficava em 2o
nas provas de 200 medley (1:55:18) e 200 borboleta (1:54:03). Na
semana seguinte, contra a equipe de Rutgers University foi a vez
de João Pedro brilhar com vitórias nos 100 e 200 borboleta,
enquanto Kleyton ficava em 2o. no 1000, 3o nos 200 e 3o nos 100
livre. O terceiro brasileiro do time é a pernambucana Lívia
Cascão que está no seu segundo ano de universidade
e conquistou 2o nos 50 livre contra Oakland e 3o nos 100 borboleta
contra Rutgers.

Renato Gueraldi (Tennessee) na competição contra a
Lousianna University brilhou de novo. 1o. nos 100 livre (45:29)
e 3o. nos 200 livre (1:41:52). Gueraldi está sendo apontado
como uma das grandes esperanças da equipe para as finais
do NCAA deste ano. Seu companheiro de equipe Paulo Maurício
Machado nadou os 200 costas em exibição, ou seja,
sem contar pontos mas não deu outra: 1o: 1:51:29. Na mesma
competição Paulo Maurício ainda nadou os 400
medley ficando em 3o. com 4:07:16.
Outra vitória brasileira: Leonardo Hobi Martins no Arizona
State acumulando 3 este ano. Contra a equipe de Auburn levou o 1o.
lugar nos 200 peito com 2:05:29. Outro nadador de peito pernambucano
Guilherme Rego, nadando por Purdue disputou uma competição
em casa contra Northwestern University e Pittsburgh. Ficando em
9o lugar nos 100 peito com 1:00:84.

Na Segunda Divisão também só dá Brazil!!!!
Na Drury University, Raul Neukamp arrebatou duas vitórias
nos 50 livre (20:99) e 100 livre (46:90) nas competições
contra Washington University e Missouri – Rolla. Na Universidade
de Indianapolis, o destaque é o carioca Bruno Fonseca que
em duas competições nadou 4 provas e levou 3 primeiros
lugares. Na primeira num torneio com 4 equipes ficou em 1o. nos
50 livre (21:17) e 2o nos 100 livre (46:54). A segunda contra Ashland
University, Bruno levou dois primeiros lugares 200 jardas (1:44:31)
e 100 jardas (47:26).

Ainda na Segunda divisão, o paraense Gabriel Mello ganhou
o título de nadador da semana na equipe de West Chester Pennsylvania
pela sua atuação em um Tri Meet contra Lehigh e College
New Jersey vencendo as provas de 50 livre (21:98) e 100 livre (47:21).
Gabriel disputou ainda uma competição contra outras
5 equipes universitárias na inauguração da
piscina nova de Bucknell University e mesmo sendo uma equipe de
Segunda divisão levou o título geral da competição.
Os tempos de Gabriel: 50 (22:04), 100 (48:36), 200 (1:46:96).

NEW YORK, NEW YORK, NEW YORK
Fonte: USOC

O Comitê Olímpico Americano – USOC decidiu por votação
indicar a cidade de Nova Iorque como a candidata Americana para
os Jogos Olímpicos de 2012. A decisão foi contra a
cidade de San Francisco na Califórnia, tendo NY vencido com
132 votos contra 91 de San Francisco.

A decisão dos Jogos de 2012 só acontecerá em
2005 e New York concorreu inicialmente contra outras 12 cidades
americanas. Agora a luta será internacional contra as cidades
de Paris(França) , Moscou (Rússia), Toronto (Canadá),
Budapeste (Romênia), Istambul (Turquia), Madrid ou Sevilha
(Espanha), uma cidade alemã provavelmente Berlim e o Rio
de Janeiro.

Caso seja aprovada, New York terá as competições
de Natação a serem realizadas em Long Island, local
que vem sediando as etapas da Copa do Mundo nos últimos três
anos.

NOVIDADES DA SWIMMING TECHNIQUE

Fonte: Swimming Technique


Revista americana Swim Technique

A revista americana tri mensal Swimming
Technique de Outubro/Dezembro de 2002 foi lançada aqui. Entre
as matérias da revista está uma especial destacando
a evolução da tecnologia de acompanhamento e avaliação
dos treinamentos. A matéria destaca o trabalho desenvolvido
pelo treinador Bob Gillet que introduziu cameras digitais na análise
de treinamento e competição de sua equipe o Arizona
Fox. Bob Gillet é o responsável pelo treinamento da
campeã e recordista olímpica dos 200 borboleta Misty
Hyman. A Best Swimming irá traduzir e publicar a matéria
na próxima atualização.

Mais novidades nos implementos, agora vem com a introdução
de aparelhos para incrementar a sua capacidade respiratória.
A matéria intitulada "A Breath of Fresh Air" destaca
os três novos aparelhos introduzidos que trabalham neste sentido.
Os aparelhos são Spiro Tiger (990 dólares), Expand
a lung (19,95 dólares) e Power Lung (que vem em três
modelos o mais caro 104,95 dólares e o mais barato 79,95
dólares).

A respeito desta matéria a Best Swimming está introduzindo
para o Brasil o Cardio Cap, uma espécie de "chapéuzinho"
a ser colocado na ponta do snorkel diminuindo a passagem do oxigênio
e dificultando o trabalho do nadador. Aguarde novidades.

Ainda na matéria da revista, uma interessante pesquisa realizada
pelo Dr. Dave Tanner na comparação entre tempos executados
de cima do bloco da borda com saída sem ser do bloco e de
baixo direto da água. Nos resultados, a média de diferença
apontou 0.5 segundos mais lento quando a saída é executada
da borda sem ser do bloco e 1 segundo quando executada direto da
água.

NOVIDADES DA SWIM MAGAZINE
Fonte: Swim Magazine


Swim Magazine

Outra revista norte-americana que
saiu foi a edição bi mensal de Novembro e Dezembro
da Swim Magazine especializada na cobertura e indicação
técnica para nadadores masters. Esta edição
destaca na capa o nadador Richard Abrahams de 57 anos e sua preparação
física para ser um dos melhores nadadores mundiais masters.

Na edição da revista, destaque para a nadadora master
June Krauzer (76 anos), atleta do Coach Alex Pussieldi escolhida
como o melhor resultado dos 400 medley em jardas dos Estados Unidos
no último ano pelo segundo ano consecutivo. June é
detentora de mais de 20 recordes mundiais masters.

A empresa TYR está lançando o Socket Rocket um novo
óculos que lembra o modelo sueco bastante popular nos Estados
Unidos e no mundo inteiro. O anúncio ocupa a contra-capa
da revista e pode ser visto no site da empresa: www.tyr.com/socketrockets

MATT BIONDI É DESTAQUE
NA SPORTS ILLUSTRATED

Fonte: Sports Illustrated


Matt Biondi

A revista de maior circulação
esportiva na América é a Sports Illustrated. Entretanto
de natação lá não sai nada, alias quase
nada. Na edição da primeira semana de novembro, o
ex-campeão olímpico Matt Biondi recebeu algumas páginas
de destaque.

Matt Biondi havia se recusado a dar entrevista para a Sports Illustrated
há 4 anos atrás. Em 1998 na comemoração
dos 10 anos de sua brilhante participação na Olimpíada
de Seul quando conquistou 7 medalhas olímpicas sendo 5 de
ouro acabou por recusar uma entrevista para a revista. Alegação:
"Não tenho nenhum motivo para comemorar ou me orgulhar
de algo que não me fez feliz". Na época, Biondi
vivia apenas de palestras e clínicas dadas pelo país
contando suas façanhas olímpicas que soma um total
de 11 medalhas, sendo 8 de ouro.

Hoje distante das piscinas, Matt Biondi é um realizado professor
de matemática. Natural de Moragua, Califórnia, e formado
na universidade de Cal Bekerley, Matt Biondi está casado
e vivendo em Kamuela, Hawaii, aonde é professor da Parker
School, uma high school aonde tem 126 alunos. Matt Biondi foi parar
no Hawaii ao casar-se com sua esposa Kirsten que é de Oahu,
uma ilha local.

Com 2 filhos, Nate de 3 anos e Lucas de 2 meses, Matt Biondi dirige
sua bicicleta por cerca de 1 quilômetro de sua casa até
a escola que preferencialmente escolheu pelo fato de não
ter uma equipe de natação ou mesmo piscina, afim de
evitar algum futuro convite para ser o treinador do time.

Suas 11 medalhas olímpicas, 8 de ouro, 2 de prata e de bronze
conquistadas em 3 Olimpíadas (1984-1988-1992) foram guardadas
por muito tempo em um banco, mas desde 1994 foram doadas por Matt
Biondi ao National Italian American Sports Hall of Fame in Chicago.
O motivo para a doação foi o fato de que "todo
mundo"queria ver as medalhas de Biondi e ele não tinha
como mostrar. O museu foi a grande oportunidade para torná-las
públicas.

Bastante diferente, mais magro e sereno, daquele 1,98 e 92 quilos
que conquistou o mundo com 12 recordes mundiais e o 3o maior colecionador
de medalhas olímpicas da América, Matt Biondi dá
na revista uma última mensagem: "Você não
pode garantir nada na sua vida. Mas você pode transformar
isso e também você pode direcionar isso" diz com
grande convicção.

Você gostaria de conhecer a mais popular revista americana
de esportes, vá até o site da Sports Illustrated:
http://sportsillustrated.cnn.com/

EDUCATIVOS PARA VELOCIDADE DE REAÇÃO

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

Velocidade de reação? Pra quê?

Pois você treinador não imagina o quanto isso pode
ajudar ao seu atleta numa melhor saída principalmente aos
velocistas. Dicas da técnica da Universidade do Texas, Jill
Sterkel, ex-nadadora integrante da equipe campeã olímpica
e recordista mundial do 4 x 100 livre em 1976 em Montreal, confira:

"Nós fazemos uma série
de educativos e jogos com nosso time. O objetivo é de ajudar
na reação e principalmente melhorar a capacidade de
um melhor movimento na saída das provas.

Com a utilização de um companheiro, flexione o corpo
a frente e coloque um objeto entre as duas cabeças que devem
ser flexionadas para a frente até tocarem o objeto juntas.
Ao sinal do treinador os atletas que tem as duas mãos para
trás devem se separar e tentar agarrar o objeto.

Uma outra atividade, seria combinar movimentos com sinais. Tipo
palmas para movimentos a frente, silvatos de apito para movimentos
para cima, e gritos com movimentos para baixo. A coordenação
e capacidade de reação seriam muito bem trabalhadas
em todos eles."

Nota Best Swimming

Há muitos anos tenho incluído em meus treinamentos
a "velocidade de reação". Trabalhos básicos
e muitas vezes criativos tem excelente repercussão entre
os atletas independente do nível deles. Fernando Scherer
quando estava no Doze de Agosto com Carlos Camargo foi submetido
a uma enormidade destes trabalhos com grandes resultados específicos.

Mike Bottom treinador americano dos vencedores dos 50 livre da Olímpiada
de Sidney (Anthony Ervin e Gary Hall) executa treinamentos neste
aspecto diariamente. Vários deles são mostrados na
fita "Swimming Fast and Having Fun" a qual você
pode adquirir atravás da Best Swimming, pedidos para bestswimming@hotmail.com

ATIVIDADES & JOGOS DIVERTIDOS PARA O FIM DE ANO

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

ATIVIDADES
& JOGOS DIVERTIDOS PARA O FIM DE ANO

Estamos em época de Festas,
nada melhor do que comemorar com seus nadadores promovendo atividades
interessantes e que divirta a todos no seu treino. A Best Swimming
está apresentando uma série de atividades para entreter
a sua moçada.

Todas as atividades requerem de dois a cinco nadadores sempre de
mesma habilidade. A distância (metragem) para as atividades
pode ser variada, sempre lembrando que estamos em transição
de temporada não tem porque abusar da distância o que
deixaria a atividade monótona. A idéia destas atividades
é desenvolver o espírito de trabalho em grupo e cooperação
entre seus nadadores. Um pequeno aquecimento pode ser adicionado
antes do início da atividade.
Bem, então agora é hora de divertir, confira:

ATIVIDADE #1 – Pega e alcança
Dois nadadores por raia e de mesma habilidade e velocidade saindo
de lados opostos da piscina, ambos nadam em seu lado tentando alcançar
o seu companheiro. Não é uma brincadeira de pega-pega
normal, aqui o nadador vai nadar em seu lado da raia até
chegar ao seu companheiro. Esta atividade é bastante desgastante
e divertida, abuse dela! O vencedor aqui gozará de um merecido
descanso, enquanto o perdedor deverá pagar alguma atividade
extra. (recolher pranchas, guardar raias, jamais use borboleta como
castigo!!!)

ATIVIDADE #2 – FREEWAY
Com 3 a 5 nadadores por raia, saem em fila com apenas 3 ou 4 segundos
de intervalo entre cada um em nado lento e tranquilo. O último
nadador sai em alta velocidade e deve ultrapassar os nadadores a
frente antes que eles completem os 50 metros, ao final dos 50 metros
a posição se altera e a atividade segue-se até
que todos passem pela posição de último para
primeiro. Atividade que combina sprint com nado aeróbico.

ATIVIDADE #3 – GUERRA DE PERNA
Divida seus nadadores em duplas colocando um de cada lado de uma
prancha e mande-os para o meio da piscina. Um de frente para o outro
começarão a executar pernada em alta intensidade com
os bracos extendidos. O objetivo é mover o companheiro e
chegar até o final da borda. Faça a atividade por
30 segundos e pare por 30 segundos, e comece na mesma posição
aonde pararam, isso irá aumentar a qualidade e a potência
do trabalho. Use estilos diferentes, mas ambos nadadores devem estar
executando o mesmo estilo de pernada.

ATIVIDADE #4 – PUXADA COM RESISTÊNCIA
Novamente com seus atletas dividos em duplas. Um pullbuoy para cada
dupla sendo colocado entre as 4 pernas. Cada nadador tera seu percurso
para puxar o seu companheiro que ficará imóvel durante
a puxada do companheiro. Ao final do percurso, na mesma posição
que estão ficam, só que agora o que foi puxado e que
passara a ser o puxador.

ATIVIDADE # 5 – REVEZAMENTO FISIOLÓGICO
Bem esta atividade é para 3 atletas por raia. Coloque o primeiro
nadador para ser o que irá fazer um tiro de 50 metros para
tempo (anaeróbico), o segundo nadador irá nadar 50
metros em ritmo (aeróbico) e o terceiro nadador irá
estar fora d´água descansando. Ao final dos 50 metros, as
posições se invertem, passando o nadador descansado
a ser o que irá nadar em ritmo, o que deu o tiro vai descansar,
e o que nadou em ritmo irá dar o tiro. Fazer várias
rodadas entre os nadadores para melhores efeitos de treinamento.

ATIVIDADE #6 – SUICÍDIO
Minha atividade favorita para o trabalho de treinamento hipóxico
com atletas de categorias inferiores, álias com qualquer
um pois bem executada é fantástica. A atividade é
fazer seus atletas executarem um tiro de 25 metros para tempo em
toda velocidade sem respirar. Até ai nenhuma dificuldade,
mas antes de sair para o tiro, você dará um comando,
todos eles mergulharão e terão de expirar todo o ar
antes de começar o tiro. Eles ficarão embaixo d´água
esperando pelo seu apito (muito forte para todos ouvirem) e partirem
para os 25 para tempo em total hipoxi. O treinador tem de ficar
atento e conferir se todos estão soltando muitas bolhas antes
de sair para o tiro. Este é 10!

Era isso por agora, é melhor
manter a garotada em atividade divertindo-se que todos estarão
envolvidos com seu programa e o mais importante: pagando a mensalidade
para que todos tenhamos um FELIZ NATAL E PROSPERO ANO NOVO!!!

Por Coach Alex Pussieldi

Notícias

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

EXCLUSIVO BEST SWIMMING – 1a. MÃO!!!

Foi aprovado para os Jogos Pan-Americanos
a inclusão de dois nadadores extras por prova por país.
Ou seja, ao invés dos dois regulamentares atletas de cada
país por prova, os participantes dos Jogos Pan-Americanos
2003 poderão incluir mais dois atletas nas provas eliminatórias.

Estes dois atletas "extras" mesmo que fazendo os tempos
para irem as finais não poderão nadar as finais. Apenas
terão os seus tempos computados para ranking. As provas do
Pan 2003 serão de eliminatórias e finais sendo que
as provas de 800 e 1500 livre terão final direta.

Esta será a primeira vez que as provas de 50 metros nos estilos
serão disputadas na competição que será
realizada em agosto do próximo ano na República Dominicana.

Confira a ordem das provas por dia:

1o. dia – Eliminatórias
100 livre feminino
50 borboleta masculino
1500 livre feminino
100 peito masculino
400 medley feminino
200 livre masculino
4 x 200 livre feminino

1o. dia – Finais
50 borboleta masculino
100 livre feminino
100 peito masculino
400 medley feminino
200 livre masculino
4 x 200 livre feminino

2o. dia – Eliminatórias
800 livre masculino
200 livre feminino
400 medley masculino
50 borboleta feminino
100 borboleta masculino
200 peito feminino
4 x 200 livre masculino

2o. dia – Finais
200 livre feminino
400 medley masculino
50 borboleta feminino
100 borboleta masculino
200 peito feminino
1500 livre feminino
4 x 200 livre masculino

3o. dia – Eliminatórias
50 peito masculino
400 livre feminino
100 livre masculino
100 costas feminino
200 costas masculino
4 x 100 livre feminino

3o. dia – Finais
50 peito masculino
400 livre feminino
100 livre masculino
100 costas feminino
200 costas masculino
4 x 100 livre feminino

4o. dia – Eliminatórias
100 borboleta feminino
400 livre masculino
50 costas feminino
200 peito masculino
800 livre feminino
4 x 100 livre masculino

4o. dia – Finais
100 borboleta feminino
400 livre masculino
50 costas feminino
200 peito masculino
4 x 100 livre masculino

5o. dia – Eliminatórias
200 borboleta masculino
200 medley feminino
100 costas masculino
50 peito feminino
50 livre masculino
4 x 100 medley feminino
1500 livre masculino

5o. dia – Finais
200 medley feminino
200 borboleta masculino
50 peito feminino
100 costas masculino
800 livre feminino50 livre masculino
4 x 100 medley feminino

6o. dia – Eliminatórias

200 medley masculino
200 borboleta feminino
50 costas masculino
200 costas feminino
50 livre feminino
4 x 100 medley masculino

6o. dia – Finais
200 medley masculino
200 borboleta feminino
50 costas masculino
200 costas feminino
1500 livre masculino
4 x 100 medley masculino

SOUTHERN ILLINOIS TEM O
MAIOR NÚMERO DE BRASILEIROS NA TEMPORADA UNIVERSIDADE

Fonte: Best Swimming

A equipe de Southern Illinois diferente
do que a Best Swimming havia informado é a verdadeira equipe
com o maior número de brasileiros disputando a temporada
universitária nos Estados Unidos.Antes havíamos dito
que era a Universidade da Flórida com 3 atletas (Carlos Jayme,
Gabriel Mangabeira e Cláudio Ulrich). Aliás empatado
com a UF está a North Dakota University da Segunda divisão
com Fernando Alves, Rodrigo Cintra e Pedro Pereira.


Gustavo Leal

Southern Illinois lidera este quesito
com 4 nadadores: Edoardo Daelli, Marcelo Possato, Danilo Luna e
Karina Belache além do Assistant Coach Gustavo Schalch
Leal
também brazuca. Aliás eles estrearam na temporada
2002-2003 com bons resultados inclusive o carioca Marcelo Possato
foi escolhido o nadador da semana após o seu desempenho na
competição contra o Missouri e Michigan State.

Marcelo Possato ganhou as provas de 100 jardas costas (51:10) e
200 costas (1:50:07). Edoardo Daelli foi 2o nos 200 livre (1:43:27),
2o nos 100 livre (47:75) e 4o nos 50 Livre (22:09). Danilo Luna
foi 5o nos 100 costas (54:09) e 4o nos 200 costas (1:55:24). Karina
Belache que está no seu junior year foi 4a. colocada nos
200 borboleta (2:10:81) e 4a. nos 100 borboleta (59:54).

Na mesma competição ainda estava outra brasileira,
Mariana Costa do Rio Grande do Sul que estreou pela equipe do Missouri
nadando as provas de 100 peito, 6a. colocada (1:07:24) e 200 peito,
4a. colocada (2:25:13).

NOVIDADES DA SWIMMING WORLD
Fonte: Swimming World

A revista Swimming World, a mais popular revista de natação
do mundo de outubro traz Natalie Coughlin na capa saudando a nova
recordista mundial dos 100 costas. Aliás, a matéria
principal destaca o grande Campeonato Nacional Americano disputado
no último verão aonde a revista destaca: "O início
de uma nova era" principalmente pelas performances de Natalie
Coughlin e Michael Phelps.

A revista destaca ainda o Pan Pacífico disputado no Japão
com a matéria entitulada: "Banzai USA" relatando
a confirmação da posição número
1 no mundo da natação Americana pela expressiva vitória
sobre os australianos na competição.

Swimming World deste mês lista as Prep Schools americanas,
as escolas secundárias que oferecem hospedagem e um programa
de natação competitiva de alto nível. Entre
as equipes listadas está a Bolles School aonde Gustavo Borges
concluiu o high school nos Estados Unidos.

Na revista destaque para o brasileiro Arthur Albiero que é
anunciado como novo Associate Head Coach na Universidade do Alabama.

Você pode assinar a revista Swimming World e receber na sua
casa no Brasil. Detalhes em: www.swiminfo.com

SAIU O 1o. RANKING UNIVERSITÁRIO
DA TEMPORADA

Fonte: CSCAA

A College Swim Coaches Association
of America, órgão que congrega todos os treinadores
universitários americanos de natação, divulgou
o 1o. ranking da temporada da 1a. Divisão Universitária
Americana. A equipe do Texas atual tri campeã no masculinoo
lidera o ranking com 3 pontos a frente de Stanford (vice campeã
do ano passado) e de Auburn (3a. colocada no ano passado).

A melhor equipe com nadador brasileiro está classificada
em 4o lugar com a Universidade da Califórnia aonde está
o freshman Henrique Barbosa do Minas Tênis Clube. Em 6o lugar
aparece a Flórida de Carlos Jayme, Gabriel Mangabeira e Cláudio
Ulrich. Seguindo a Flórida, em 7o, aparece Michigan do canadense-brasileiro
Carlos Sayão. Em 8o vem o Tenesse de Paulo Maurício
Machado e Renato Gueraldi e em 11o o Arizona State de Leonardo Hobi
Martins. O Alabama do Coach Arthur Albiero é o 18o lugar
no ranking.

No feminino, a atual campeã Auburn lidera com 8 pontos sobre
a Georgia.

O ranking é feito através de uma votação
direta dos treinadores da 1a. divisão. Se você quiser
conhecer mais sobre a natação universitária
Americana visite o site da CSCAA: www.cscaa.org

VEM AÍ O PRÊMIO SUPER
NADADOR DO MUNDO

Fonte: Fina

O romeno Cornel Marculescu, diretor
executivo da FINA, está com um projeto na mão para
ser estudado e apresentado no próximo ano. O projeto é
uma iniciativa da FINA no sentindo de popularizar ainda mais a natação
mundial premiando o melhor nadador do mundo pelas performances combinadas
entre o Campeonato Mundial de 2003 em Barcelona, os Jogos Olímpicos
de 2004 em Atenas e o Mundial de Piscina Curta de 2004 em Indianápolis.

A idéia é um sistema de pontos acumulativo com uma
premiação expressivaa para os atletas que vai de 125
mil a 1 milhão de dólares. A FINA tem tentado popularizar
cada vez mais a natação atraindo mais o interesse
da mídia. Um dos grandes sucessos da entidade tem sido as
etapas da Copa do Mundo.

Novidades sobre a FINA e natação mundial você
consegue no site da entidade:
www.fina.org

DECISÃO SOBRE A SEDE DO
MUNDIAL DE 2007 SÓ ACONTECERÁ EM JULHO DO PRÓXIMO
ANO

Fonte: FINA

Será durante a realização
do Mundial de 2003 em Barcelona que o o Bureau da FINA irá
decidir a sede da próxima edição do Campeonato
Mundial de Esportes Aquáticos do ano de 2007. O Rio de Janeiro
concorre junto com mais 4 cidades: Melbourne (Austrália),
Alemanha (a cidade ainda não foi definida), Istambul (Turquia)
e Dubai (Emirados Árabes Unidos).

A visita dos inspetores da FINA acontecerá entre os meses
de Janeiro a Março do próximo ano as 5 cidades candidates
aonde os itens de instalações, TV, marketing e outros
serão analisados e avaliados. A proposta de cada cidade deverá
ser oficiallizada até 25 de junho de 2003 com as condições
e ofertas que cada um irá proporcionar aos países
participantes.

O Rio de Janeiro já sediou o Campeonato Mundial de Piscina
Curta em 1995 e foi derrotado na primeira votação
para sediar a competição novamente no ano de 2005
que acontecerá em Montreal, Canadá.

TOM JAGER RODA O MUNDO EM CLÍNICAS

Fonte: swimclinics.com

O velocista Tom Jager, primeiro
homem do mundo a nadar os 50 metros nado livre abaixo de 22 segundos
está rodando o mundo ministrando clínicas. Membro
do International Swimming Hall of Fame e afastado das agues há
7 anos, Tom Jager agora viaja o mundo inteiro apresentando palestras
e clínicas.

Tom Jaeger em 1990 nadou os 50 metros nado em memoráveis
21:81 tempo que ficou como melhor marca mundial por mais de 10 anos.
Em três participações olímpicas Tom acumulou
5 medalhas de ouro.

Sua empresa é Gold Medal Swimming Clinics e você pode
conferir detalhes das clínicas e dicas de Tom no site: www.swimclinics.com

Confira as dicas técnicas de Tom Jager no link Dicas da Best
Swimming.

NATAÇÃO CONTINUA
SEM POPULARIDADE NA TV AMERICANA

Fonte: Sports Illustrated

O mercado esportivo está
em plena ascensão na TV Americana. As cotas de transmissão
para os esportes de futebol americano, basquete, beisebol e hóquei
sobre o gelo aumentam a cada temporada. A natação
enquanto isso continua sem popularidade e o pior sem mercado televisivo.
Os americanos morrem de inveja dos australianos neste aspecto.

Competições como o Campeonato Nacional Americano Absoluto
passam em especiais de uma hora de duração mas sempre
uma semana depois do evento. Transmissão ao vivo nem pensar.
Até o programa especial da USA Swimming Splash TV este ano
teve seu número de edições diminuida e está
passando no canal para crianças Nickelodon.

Enquanto isso, estão sendo lançados emissoras de televisão
exclusiva para esportes específicos. Confira o calendário
para o lançamento das emissoras:

Ainda este ano – The Football Network para cobertura do futebol
americano
Dezembro de 2002 – Tennis Chanel cobertura de jogos e informativo
de tênis profissional
Janeiro de 2003 – National College Sports Network cobertura do desporto
universitário
Fevereiro de 2003 – NBA TV cobertura da liga profissional de basquete
Julho de 2003 – Blackbelt TV cobertura de artes marciais
Natação nem pensar.

Notícias

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

COMEÇOU A TEMPORADA UNIVERSITÁRIA
AMERICANA

Fonte: Best Swimming, www.collegeswimming.com

As aulas começaram no final
de agosto, os treinamentos em setembro, mas as competições
agora em outubro. É a temporada universitária Americana,
a mais famosa e competitivaa competição universitária
de natação do mundo. A temporada universitária
reúne as 3 divisões mais os community colleges em
competições intermediaries até o mês
de fevereiro do próximo ano quando serão disputadas
as chamadas conferências. Nas conferências sairão
os nadadores que participarão da fase final, o verdadeiro
campeonato nacional universitário.

Na primeira fase de competição as equipes normalmente
abrem a temporada com torneios internos dividindo as equipes em
dois times, normalmente cada um com denominado com uma cor da equipe.
Depois vem as competições amistosas chamadas "dual
meets" quando são apenas duas universidades ou pequenos
torneios com três ou mais equipes.

Os brasileiros começaram bem a temporada 2003. A Best Swimming
com exclusividade foi buscar alguns dos que começaram o ano
com o "pé direito".

Sob o comando do Coach brasileiro Maviael Sampaio, a Universidade
de North Dakota iniciou a temporada com uma boa vitória sobre
a equipe da Universidade de Manitoba. Na vitória destaque
para dois brasileiros Fernando Torres Alves e Rodrigo Cintra cada
um com três vitórias na competição. Fernando
venceu as provas de 200 jardas medley (2:00:17), 200 borboleta (1:56:18)
e 100 livre (47:99), enquanto Rodrigo Cintra levou o 1o lugar nas
provas de 1000 jardas livre (9:39:65), 200 livre (1:44:25) e 500
livre (4:44:11).

Outro treinador brasileiro que é destaque na temporada universitária
Americana é Arthur Albiero na sua primeira temporada como
Head Coach da Universidade do Alabama aonde já estava há
três anos como assistant coach. A partir de agora aumentam
a responsabilidade e o salário.

O pernambucano Leonardo Hobi Martins (Pinheiros-SP) já tem
duas vitórias na sua primeira temporada no Arizona State.
As duas na sua principal prova: os 200 peito. A primeira num torneio
interno com 2:06:74 e a outra contra a equipe da Universidade de
Las Vegas com 2:06:22.

Ainda nos 200 peito, mas agora feminino, a carioca Letícia
Cunha vai muito bem na Universidade de Nevada aonde está
em seu "junior year". Letícia já tem duas
vitórias nesta prova: 2:21:60 e 2:21:06 nas duas competições
contra Fresno State e Nebraska. Nesta última, Letícia
também levou a vitória nos 200 medley (2:09:27).

O maranhense Pablo Banhos (Viva Água-MA) está na sua
segunda temporada na Wright State University em Ohio e começou
o ano com um 4o. lugar nos 100 jardas borboleta com 52:65. O paraense
Gabriel Melo também na sua segunda temporada nadando em West
Chester, Pensylvannya, abriu com 3o. lugar nos 50 livre (22:33),
3o nos 100 livre (48:18) e 3o. nos 100 borboleta (52:98) em competições
contra Penn College e New Jersey.


Equipe de Tennessee. Na fila
do meio, da esquerda para a direita, ao lado do Coach John Trembley
está Renato Gueraldi, e Paulo Mauricio Machado é
o sétimo.

Na Universidade Florida State está
o carioca Alan Ribeiro (ex-Flamengo RJ) que começou o ano
com um 2o lugar nas 1000 jardas (9:49:24) num dual meet com a Florida
Atlantic University de Boca Raton, Florida. No Tennessee, estão
dois brasileiros, ambos do Pinheiros: Renato Gueraldi e Paulo Maurício
Machado. Na primeira competição da temporada, Gueraldi
levou o 1o lugar contra a equipe do Kentucky nas provas de 50 livre
(20:48) e 100 livre (45:51). Paulo Maurício começou
a temporada com um 2o lugar na prova das 200 jardas costas com o
tempo de 1:50:80.

A maior concentração de brasileiros em uma equipe
está na Universidade da Flórida, aonde Carlos Jayme
está imbatível este ano. Nas duas competições
já realizadas contra Lousianna State e Penn State, Carlos
Jayme ficou em 1o lugar nas provas de 50 e 100 jardas livre. Contra
a LSU nos 50 livre Jayme fez 20:11 enquanto que contra Penn State
marcou 20:62. Nos 100 livre Jayme nadou melhor na primeira competição
44:13 contra 44:77 na competição seguinte. Gabriel
Mangabeira também vai muito bem e abriui o ano com vitória
nos 200 medley na disputa contra a LSU e levou o 1o lugar nos 200
costas na competição contra Penn State. O outro brasileiro
do time é Cláudio Ulrich que ficou em 3o lugar na
prova dos 200 costas com a marca de 1:51:98.

O pernambucano Diogo Gomes Bezerra (Nikita Sesi PE) começou
o ano de equipe nova. Está na Washignton State University
e nada melhor do que começar ganhando. No torneio interno
que abriu a temporada Diogo abriu com vitória na prova dos
100 costas com 52:54.

Sem vitória, mas nadando provas diferentes na primeira competição
do ano foi o gaúcho Raul Neukamp que está na sua Segunda
temporada na Drury University. Raul ficou em 2o nas provas de 100
costas (52:90) e 200 medley (1:58).

Henrique Barbosa (Minas Tênis Clube) estreou pela Universidade
da Califórnia em uma competição de altissimo
nível, o Pacific Invitational e mesmo nadando razoavelmente
ficou em 13o lugar na prova dos 200 medley (1:58:68) e 21o nos 50
livre (22:32).

Ainda na Califórnia, Rodrigo Castro perdeu sua elegibilidade
de representar a escola em competições, mas ainda
continua treinando sob o commando do Coach Mark Schubert, treinador
americano da equipe masculina da Olimpíada de 2000. Rodrigo
Castro para isso teve de assinar um protocolo formal aonde ele exerce
a função de aluno assistente, ou seja, uma espécie
de auxiliarr técnico. Na verdade, isso só foi uma
formalidade para continuar treinando com a equipe que defende há
3 anos.

Novidades e resultados dos colleges americanos você encontra
no site: www.collegeswimming.com

SELEÇÃO AMERICANA
PREPARA EQUIPE JÚNIOR

Fonte: USA Swimming

O chamado National Junior Team tem um programa dentro da USA Swimming
desde 1989 e desde que foi iniciado pela Federação
Americana sempre pelo menos 1 de seus integrantes chegou a equipe
olímpica. A equipe é reunida anualmente para um período
de treinamento em conjunto e uma competição internacional.

O treinamento em conjunto foi realizado agora em Colorado Springs
no Centro de Treinamento Olímpico do Comitê Olímpico
Americano e a competição acontecerá em Janeiro
de 2003 na Austrália em um torneio internacional reunindo
os países do Pan Pacífico. Desta vez o Brasil não
foi convidado!

Para fazer parte do USA National Junior Team são selecionados
os melhores nadadores do país em cada prova sendo para homens
de 17 anos ou menos e para mulheres de 15 anos ou menos.

Se você fizer parte da Seleção Americana Junior
deste ano está impedido de participar dos próximos
anos pois o objetivo do programa é revelar nadadores a cada
temporada. Assim como se você conseguir chegar a Seleção
Principal antes não poderá retornar e defender a Seleção
Júnior.

A equipe de 32 nadadores teve 5 sessões de treinamento em
3 dias, além de avaliações médicas e
laboratoriais, sessões de preparação psicológica,
aulas de nutrição e doping.

Para conhecer a relação completa da nova geração
Americana você pode ir até o site abaixo:
http://www.usa-swimming.org/superstars/template.pl?opt=news&pubid=2889

DUELO NA PISCINA TEM INGRESSOS
ESGOTADOS

Fonte: USA Swimming

A competição será só em abril, mas os
ingressos já estão esgotados! A competição
que definirá quem é o número 1 do mundo na
natação mundial é um verdadeiro sucesso muito
antes de ser disputada. A USA Swimming anunicou que o "Duel
in the Pool" evento que reunirá as seleções
nacionais dos Estados Unidos e Austrália em abril já
não tem mais ingressos à venda. E o pior: muita gente
comprou o ingresso via internet e não irá receber,
pois foram vendidos ingressos a mais. A confusão vai ser
grande.

De qualquer forma, a competição que acontecerá
no dia 6 de abril, um dia após o encerramento do Campeonato
Absoluto Americano será transmitida pelo canal americano
ABC no dia 12 de abril. Uma promoção no site de leilão
da eBay vendeu um pacote especial para duas pessoas, com direito
a entradas, passagem aérea, duas noites em hotel, transporte
local e a oportunidade de conhecer pessoalmente os membros da seleção
Americana. Valor da brincadeira: 2 mil 105 dólares.

UNIVERSIDDADE DE PURDUE PERDE
UM BRASILEIRO MAS GANHA OUTRO

Fonte: Best Swimming

A Universidade de Purdue no Estado de Indiana perdeu um nadador
brasileiro, Michael Miller (Pinheiros-SP) que voltou para o Brasil,
mas ganhou outro: André Costa Pereira do Nikita-SesiPE, que
chega em novembro mas já está relacionado no roster
da equipe para a temporada 2003.

Além de André Pereira, outro nadador do Nikita Sesi
está lá no seu último ano de faculdade: Guilherme
de Moraes Rego, que depois de uma temporada afastada por uma cirurgia
no ombro já está de volta aos treinamentos.

Confira o site da equipe dos dois brasileiros do Nikita-Sesi:
http://purduesports.ocsn.com/sports/m-swim/pur-m-swim-body.html

ATENÇÃO VELOCISTAS
DO BRASIL !!!

Fonte: Best Swimming

Você quer estudar nos Estados Unidos e com bolsa 100% em uma
equipe da 1a. divisão???

Bem, aí vai a dica. A equipe de Oakland University do Estado
de Michigan perdeu um dos mais importantes nadadores da equipe com
um problema sério de lesão. A oferta é "full
ride" ou seja, 100% de bolsa aí incluídos anuidade
da faculdade, livros, hospedagem e alimentação. Entretanto
o nível do atleta tem de ser muito bom e o ingles a ponto
de iniciar a faculdade em Janeiro.

Pode ser especialista nas provas de crawl, borboleta ou costas,
desde que seja rápido para as provas de 50 e 100.

Aos interessados entrar em contato urgente conosco: coachalexpussieldi@hotmail.com

Se você quiser conhecer mais a respeito da faculdade vá
até o site:
http://www.ougrizzlies.com/

NEWS FROM AUSTRÁLIA
Fonte: Australian Swimming Inc.

Detalhes da natação australiana agora cada vez mais
freqüentes nos noticiários americanos.


Scott Volkers

De técnico novo, ou melhor
de técnicos novos a Seleção da Austrália
vai para a Copa do Mundo no Brasil somente com a equipe masculinaa.
O novo treinador feminino é Scott Volkers, ex-treinador de
Susan O´Neil e Samantha Rilley. No masculinoo, o novo treinador
principal é Brian Sutton da Universidade de Sidney. Ambos
foram escolhidos em contrato válido até as Olimpíadas
de 2004 em Atenas. A verdade é que desde a saída de
em 2001 após o Mundial de Fukuoka ninguém se entende
na direção dos rumos da natação australiana.

A Austrália vai mandar uma seleção masculinaa
para as etapas do Rio de Janeiro e New York da Copa do Mundo 2002/2003.
As mulheres representarão a Austrália nas etapas de
Shangai e Melbourne.

Um dia após a etapa de Melbourne, dia 9 de dezembro, acontece
a cerimônia do 2002 Telstra Australian Swimmer of the Year,
um cerimonial que escolherá os destaques do ano da natação
australiana. Seguindo-se a este evento, no dia 10, inicia o maior
"training camp" da história daquele país.
Serão exatamente 150 nadadores já convocados e 64
treinadores, com 15 dirigentes e todo o grupo de cientistas, fisiologistas,
e especialistas do Australian Institute of Sport para um período
intenso de trabalho por 5 dias.

Diferente dos americanos que já definiram o grupo para o
Mundial de 2003 em Barcelona, os australianos terão sua seletiva
somente em maio de 2003 com a disputa do Telstra Australian Championship.

A equipe do AIS – Australian Institute of Sport, ou seja, aqueles
nadadores que fazem parte da seleção "permanente"
da Austrália estarão em um treinamento de altitude
no México este mês. Na cidade de Toluca por 3 semanas.
Após este período o grupo irá disputar uma
competição na Califórnia em Mission Viejo.

A Speedo continua com o patrocínio exclusivo da Seleção
da Austrália de natação e no seu mais recente
anúncio destaca que no último Campeoanto Nacional
Australiano nadadores vestindo Speedo ganharam 91% das medalhas
de ouro, 94% das medalhas de prata e 97% das medalhas de bronze.

Você quer saber mais da natação australiana,
não deixe de visitar a seção de videos Best
Swimming e conhecer a coleção de Bill Sweentenham.

VENEZUELA OU BRASIL
Fonte: Best Swimming

A Seleção Nacional da Venezuela esteve em "training
camp" durante uma semana de 20 a 27 de outubro em Fort Lauderdale.
Venezuela ou Brasil?

Bem esta era a pergunta mais feita durante o período, já
que treinadores do grupo vestiam camisas da seleção
brasileira, bones, os atletas treinavam com toucas do Brasil e até
maiô da seleção canarinho pintou no time venezuelano.

Popularidade brasileira a parte, os venezuelanos estão em
preparação para os Jogos Centro-Americanos que acontecem
em novembro em El Salvador. No time, destaque para o veterano Francisco
Sanchez, ex- bi-campeão mundial dos 100 livre (um pouquinho
gordinho) e para a revelação Arlene Semeco, jovem
velocista de 17 anos que tem nas suas marcas de 57.01 nos 100 livre
e 26.10 nos 50 livre as maiores esperanças de medalha para
a Venezuela no naipe feminine.

A única falta no time foi do fundista e recordista sul-americano
Ricardo Monastério que não pôde se afastar das
aulas na Universidade da Flórida.

Notícias

0
Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

COMEÇA TEMPORADA ESCOLAR DA
FLÓRIDA

Fonte: Best Swimming


Almir Aelncar

Começou em setembro uma das
mais disputadas temporadas escolares (high school) americana, a
da Flórida. E aqui estão alguns brasileiros a se despontar.
Almir Alencar de 14 anos,(Duvel Natação do
Maranhão) que está em seu primeiro ano de High School
e representando a Escola Chaminade Madonna de Hollywood já
fez seu nome ao bater o recorde da escola nas 100 jardas peito.
Almir ainda é o 1o. colocado do Condado de Broward batendo
vários nadadores de até 18 anos. Logo na sua primeira
competição, Almir Alencar marcou 1:01:24 o que numa
conversão para metros corresponderia a cerca de 1:09.

Almir segue uma tradição dos últimos dois anos
de brasileiros se destacando nas provas de peito na temporada de
high school. Leonardo Hobi Martins foi bi campeão estadual
dos 100 peito e agora está na Universidade Arizona State.

A melhor equipe do Estado da Flórida do ano passado foi a
equipe do Saint Thomas Aquinas High School de Fort Lauderdale, treinada
pelo brasileiro Alex Pussieldi. Aliás, a equipe foi destacada
em todos os jornais apontada como novamente favorita para o título
deste ano.

Confira a reportagem do Jornal local Sun Sentinel destacando a equipe
do Coach Alex e o principal astro do time Bradley Ally apontado
como uma das grandes revelações para a temporada:

http://www.sun-sentinel.com/sports/highschool/swimming/sfl-robboysswim11sep11,0,5516978.story?coll=sfla%2Dhighschool%2Dswimming

Se você estiver interessado em vir participar da temporada
escolar da Flórida, entre em contato conosco podemos lhe
dar toda a orientação:
coachalexpussieldi@hotmail.com

NOVIDADES DA SPLASH MAGAZINE
Fonte: Revista oficial da USA Swimming


Splash Magazine de Setembro

A revista bi-mensal da USA Swimming
de Setembro/Outubro traz Michael Phelps na capa anunciando "Phelps
está voando" destacando na matéria principal
os recentes feitos do jovem campeão. A matéria será
traduzida e publicada em nossa próxima atualização.

Na página central da revista e com direito a poster está
a brasileira Gabrielle Rose em matéria especial aonde relata
o porquê decidiu trocar sua nacionalidade brasileira pela
Americana: "Após representar o Brasil em 96 em Atlanta,
eu vi uma maior confiança em mim mesmo especialmente quando
entrei na universidade em Stanford. Eu achei que tentar representar
os Estados Unidos em uma Olimpíada seria um verdadeiro desafio
para mim. Eu realmente joguei fora a certeza de representar o Brasil
em 2000 por uma dúvida ao escolher nadar pela Seleção
Americana. Entretanto, o sonho virou realidade, e eu me tornei mais
forte e mais confiante, eu acho que fiz a opção correta".

A revista Splash Magazine é anunciada como a revista especializada
em natação com a maior circulação do
planeta e não é vendida em banca de revista apenas
distribuída para assinantes e membros da USA Swimming e tem
uma circulação de 200 mil exemplares.

QUAIS SÃO OS MELHORES CLUBES
AMERICANOS DE NATAÇÃO

Fonte: USA Swimming

A USA Swimming desenvolveu um plano chamado "Club Excellence
Program" no qual determinou quais são os clubes com
melhores programas de acordo com resultados nacionais e internacionais.
A avaliação serviu para classificar os principais
clubes do país em três níveis: Gold, Silver
e Bronze. Os clubes classificados no primeiro nível Ouro
receberão até 15 mil dólares da entidade.

Confira os 16 melhores clubes americanos segundo o levantamento
da USA Swimming:
Irvine Novaquatics (Califórnia), Dynamo Swim Club (Geórgia),
Curl-Burke Swim Club (Maryland), Swim Atlanta (Geórgia),
Kansas City Blazer (Kansas), Sun Devil Aquatics (Arizona), Pilot
Aquatic Club of Knoxville (Tennessee), Nashville Aquatic Club (Tennessee),
Cypress-Fairbanks Swim Club (Texas), North Baltimore Aquatic Club
(Maryland), Terrapins Swim Team (Califórnia), Nova of Virginia
Aquatics (Virgina), Tucson Ford Dealers Aquatics (Arizona), Lake
Forest Swim Club (Illinois), Rockwood Swim Club (Missouri), Santa
Clara Swim Club (Califórnia).

AUSTRÁLIA PROCURA TREINADOR
PARA A SELEÇÃO PRINCIPAL

Fonte: Federação Australiana de Natação

Doeu bastante a "lavagem"
Americana durante o último Pan Pacífico disputado
em agosto em Iokohama no Japão. A Federação
Australiana decidiu abrir para aplicações o posto
de treinador principal para as seleções masculina
e feminina para os dois próximos anos.

Alan Thompson, o treinador atual que substituiu a Don Talbot desde
o ano passado deve re-aplicar se quizer manter o posto. Ainda existem
outros candidatos como Doug Frost (ex-Thorpe), Brian Sutton e Ian
Pope. A Federação Austaliana já começou
a intrevistar os candidatos e espera dar uma posição
final até o dia 7 de outubro.

Notícias da Natação Australiana você
obtém no site da Federação Australiana de Natação:

http://www.ausswim.telstra.com.au/

MUSEU DA FAMA DA NATAÇÃO
VAI GANHAR NOVA CASA

Fonte: Best Swimming

Final feliz para todo mundo! A cidade
de Fort Lauderdale na Flórida irá perder o Museu da
Fama da Natação Mundial. Nem por isso ninguém
está triste na comunidade aquática. Isto porquê
a Câmara da Cidade aprovou uma emenda dando ao Complexo Aquático
de Fort Lauderdale uma verba de 27,7 milhões de dólares
para total reforma do centro. Isto se constituiu em verba suficiente
para reformar completamente e até re-construir a piscinaa
principal que foi sede do último Campeonato Nacional Americano.
Aliás, a piscinaa de Fort Lauderdale é a piscinaa
ao ar livre com maior número de recordes mundiais do planeta
com um total de 10 marcas.

Enquanto isso, três dias após a aprovação
da câmara de Fort Lauderdale, a vizinha cidade de Pompano
Beach aprovou em disputa acirrada 3 a 2, o plano de construção
do novo Parque Aquático da Cidade e que abrigará no
futuro o International Swimming Hall of Fame. O projeto teve muita
controvérsia na sua aprovação por parte da
comunidade local oposta a grandes obras na orla da cidade reconhecida
como uma cidade residencial e não turística.

Além do novo Complexo Aquático o projeto prevê
a construção de dois condomínios de 30 a 40
andares. As obras estão previstas para serem iniciadas no
final de 2003 ou início de 2004.
Conheça o web site do International Swimming Hall of Fame:
www.ishof.org

TREINADORES UNIVERSITÁRIOS
AMERICANOS INVADEM O BRASIL

Fonte: Best Swimming

Isso era novidade, e nos últimos
tempos tem virado rotina. Os "coaches" dos principais
times universitários americanos começaram a freqüentar
as competições nacionais mais importantes como Troféu
Brasil e Troféu José Finkell. Sob a alegação
de "acompanhar" alguns de seus nadadores, técnicos
do Tennesse (Renato Gueraldi) e Flórida (Carlos Jayme, Gabriel
Mangabeira, Cláudio Ulrich) estiveram em Brasília
na última edição do Troféu Brasil.

Na verdade, John Trembley do Tennessee, apostou forte nos resultados
de Renato Gueraldi vendo na possibilidade de conquistar novos atletas
para a sua equipe. O mesmo aconteceu com a Universidade da Flórida
que enviou Rick DeSelm que estava de olho em vários possíveis
futuros atletas para a equipe, um deles já anunciado como
pretendente: Antônio Vielmo do Grêmio Náutico
União de Porto Alegre.

Este procedimento também é feito pelos treinadores
brasileiros que atuam em universidade como Arthur Albiero do Alabama,
Maviael Sampaio de Dakota do Norte e Gustavo Leal de Southern Illionis.

O nadador brasileiro graças ao sucesso passado de atletas
como Gustavo Borges (Michigan), Alexandre Massura e Ricardo Dornelas
(Minnessotta), e presente de Rodrigo Castro (Southern Califórnia),
além dos já citados Gueraldi, Jayme, Mangabeira começaram
a abrir portas para novos atletas nacionais no sistema universitário
americano. Atualmente, os brasileiros parecem ser um dos mercados
mais vistosos para as universidades americanas, diferente dos outros
países sul-americanos aonde a reputação dos
atletas não é a mesma.

Novidades da natação universitária Americana
você encontra no site:
www.collegeswimming.com


UNIVERSIDADE AMERICANA COM 2 BRASILEIROS ESTÁ SEM TREINADOR

Fonte: NCAA

A Universidade de Duquesne em Pittsburg,
na Pennsylvannia, está sem treinador. Lá estão
dois brasileiros: Alexandre Junqueira e Hugo Erse. A posição
inclusive está à disposição dos interessados
aplicarem na internet.

A equipe de Duquesne University é integrante da Conferência
Atlantic 10 e integrante da 1a. divisão universitária
Americana. O emprego de treinador principal é só para
a equipe masculinaa e além de dirigir o time o novo responsável
deverá organizar e administrar o parque aquático da
universidade.

Como requerimentos básicos, é solicitada uma graduação
universitária (não específica), mais alguns
cursos que lhe qualificam para a posição, além
de pelo menos 3 anos de experiência.
Interessados devem submeter carta de aplicação para:

Brian Colleary, Director of Athletics, Duquesne University, 600
Forbes Avenue, Pittsburgh, PA 15282.

Veja o anúncio da vaga na página do NCAA:
http://ncaa.thetask.com/market/ads/swimming

Conheça a página da Universidade Duquesne:
http://www.duq.edu/frontpages/indexf.html

Agora conheça a página da equipe de natação
da Duquesne University:
http://goduquesne.ocsn.com/sports/m-swim/duqu-m-swim-body.html


USA SWIMMING ANUNCIA 132 ATLETAS CONVOCADOS
Fonte: USA Swimming

Com base nos resultados do Campeonato
Americano Absoluto e do Pan Pacífico a USA Swimming anunciou
a formação das 3 seleções americanas
que irão representar o país em competições
internacionais no próximo ano. A Seleção A
com os melhores nadadores estará no Campeonato Mundial de
Barcelona na Espanha no mês de julho. A Seleção
B estará nos Jogos Pan Americanos em Agosto na República
Dominicana, e finalmente uma Seleção C vai a Universíade,
os Jogos Mundiais Universitários que serão na Coréia
do Sul.

Ainda não foi anunciada a equipe que disputará o "Duelo
na Piscina", o Dual Meeting previsto para abril entre americanos
e australianos em Indianapolis, porém provavelmente seja
a mesma equipe do Campeonato Mundial adicionada de alguns reforços.

Na próxima atualização Best Swimming iremos
fazer uma análise das equipes americanas fique ligado.

Veja a relação completa dos atletas convocados:
http://www.usa-swimming.org/media_services/template.pl?opt=news&pubid=2820

PUBLICIDADEFABIOLA MOLINA
SWIM CHANNEL
PUBLICIDADEMANSUR SPORTS