quarta-feira, julho 17, 2019
Home Blog Página 2

Mundial dos Esportes Aquáticos levou 10 anos para superar Roma 2009

0

Depois de 10 anos, e quatro Campeonatos Mundiais, Gwangju finalmente conseguiu superar o Mundial de Roma 2009 e passa a ser a partir de agora o maior certame de aquáticos da FINA em número de atletas e de países.

No Mundial de 2009, disputado no Foro Itálico, em Roma, um total de 2.556 atletas de 185 países estiveram presentes. Em Gwangju, segundo números oficiais da FINA são 2.655 atletas de 194 países.

Para relembrar um pouco do Mundial de 2009, o vídeo promocional daquela competição que deixou grandes memórias.

 

A história dos empates em Mundiais

0

Em Budapeste 2017, foram dois empates, nos 100 metros borboleta Joseph Schooling de Singapura e James Guy da Grã-Bretanha empataram na terceira colocação com 50.83 e nos 200 metros nado livre, Katie Ledecky dos Estados Unidos e Emma McKeon da Austrália ficaram em segundo lugar com 1:55.18.

Os dois empates elevaram o total de empates de pódios em Campeonatos Mundiais para 18 desde a primeira edição da competição em 1973. Um detalhe, são nove edições consecutivas, desde 1982, todo Campeonato Mundial tem empate em alguma prova da competição.

O primeiro empate de pódio em Mundiais aconteceu nos 100 metros peito feminino no Mundial de Madri, em 1982. Na época a canadense Anne Ottenbrite e a americana Kimberley Rodenbaugh dividiram a segunda colocação com 1:11.03.

Desde então, são 18 empates, mas as mulheres parecem gostar mais de empatar que os homens. São 12 vezes contra apenas seis das provas masculina.

Nestes 18 empates em pódios de Mundiais, empatar pelo ouro é o mais raro, apenas três vezes, pela prata foram 10 vezes e no bronze cinco vezes.

Empatar três nadadores na mesma posição, apenas uma vez, os 200 peito feminino no Mundial de Kazan em 2015, Jessica Vall da Espanha, Rikke Pedersen da Dinamarca e Shi Jinglin da china empatadas em terceiro lugar com 2:22.76.

Empatar dois nadadores do mesmo país, só o duplo ouro da França nos 100 metros costas do Mundial de Shanghai em 2011. Camille Lacourt e Jeremy Stravius subiram no alto do pódio para comemorar os 52.76 da medalha de campeão.

Stravius é o único nadador que já empatou duas vezes em pódios de Mundiais. Além do ouro dos 100 costas de 2011 ele ainda empatou na prata dos 50 costas do Mundial de 2013.

Os 50 livre feminino é a prova com maior número de empates em Mundiais, três oportunidades.

Revezamentos que o Brasil vai nadar no Mundial de Gwangju (atualizado)

0
Revezamento 4x100 livre, medalha de prata. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. Duna Arena. 23 de Julho de 2017, Budapeste, Hungria. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Os revezamentos tem um significado especial neste Campeonato Mundial em Gwangju. Das oito provas de revezamento, sete delas garantem vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Nos revezamentos 4×100 livre, 4×200 livre, 4×100 medley nos dois sexos, mais o revezamento misto 4×100 medley, garantem 12 vagas para os melhores tempos das eliminatórias. O único revezamento de Gwangju que não é olímpico é o 4×100 livre misto.

O Brasil vai estar nos três revezamentos masculinos. Confira cada um deles:

21/07, domingo, dia de abertura do Mundial
4×100 metros nado livre masculino

Eliminatórias 22:00 de sábado (horário de Brasília)
Finais 08:00 de domingo (horário de Brasília)

Equipe
Marcelo Chierighini, Breno Correia, Pedro Spajari e André Calvelo.
Gabriel Santos está afastado por conta de seu teste positivo para Clostebol.
Possibilidade do uso de nomes como Bruno Fratus e João de Lucca.

* Melhor resultado do Brasil em Mundiais
2o lugar no Mundial de Budapeste 3:10.34

* Medalhas do Brasil em Mundiais
Prata em 2017, Bronze em 1994

* Maiores vencedores da prova em Mundiais
Estados Unidos 12 vezes, Austrália e França 2 vezes

* Recorde sul-americano
3:10.34 no Mundial de Budapeste Gabriel Santos (48.30), Marcelo Chierighini (46.85), Cesar Cielo (48.01), Bruno Fratus

* Ranking de 2018
1o Brasil 3:12.02, Pan Pacífico
2o Rússia 3:12.23, Europeu
3o Austrália 3:12.53, Pan Pacífico

Projeção Best Swimming:
Brasil briga por medalhas, Estados Unidos, Rússia, Itália e Austrália são os grandes adversários.

Mundial de 2017, Brasil foi prata 

26/07, sábado
4×200 metros nado livre masculino

Eliminatórias 21:30 de sexta (horário de Brasília)
Final 06:30 de sábado (horário de Brasília)

Equipe:
Fernando Scheffer, Breno Correia, Luiz Altamir Mello e João de Lucca.

* Melhor resultado do Brasil em Mundiais
7o lugar no Mundial de 1982, Cyro Delgado, Jorge Fernandes, Marcelo Jucá e Djan Madruga, nossa única final nesta prova

* Maiores vencedores da prova em Mundiais
Estados Unidos 8 vezes, Austrália 3 vezes, Grã-Bretanha 2 vezes

* Recorde sul-americano
7:09.71 com Thiago Pereira (1:46.57), Rodrigo Castro (1:48.23), Lucas Salatta (1:48.48), Nicolas Oliveira (1:46.43) 10o lugar no Mundial de Roma 2009

* Ranking de 2018
1o Estados Unidos 7:04.36, Pan Pacífico
2o Austrália 7:04.70, Pan Pacífico
3o Japão 7:05.17, Jogos da Ásia
10o Brasil 7:11.65, Pan Pacífico

Projeção Best Swimming:
É o melhor revezamento 4×200 livre do Brasil. Vai com reais condições de finais e briga até por medalha. Na lista dos maiores adversários pela ordem Estados Unidos, Rússia, Itália e Grã-Bretanha.

4×200 livre no último Mundial

28/07, domingo
4×100 metros medley masculino

Eliminatórias sábado 21:30 (horário de Brasília)
Final domingo 06:30 (horário de Brasília)

Equipe:
Guilherme Guido, Felipe Lima ou João Luiz Gomes Jr, Vinicius Lanza e Marcelo Chierighini.
O Brasil deve usar um nadador de peito na eliminatória e outro na final. Também existe a possibilidade de poupar Marcelo Chierighini para a final e o uso de Breno Correia ou Pedro Spajari.

* Melhor resultado do Brasil em Mundiais
4o lugar no Mundial de Roma 2009 3:29.16

* Maiores vencedores da prova em Mundiais
Estados Unidos 13 vezes, Austrálias 3 vezes, França 1 vez

* Recorde sul-americano
3:29.16, Guilherme Guido 53.78, Henrique Barbosa 58.68, Gabriel Mangabeira 50.48, Cesar Cielo 46.22 no Mundial de Roma 2009

* Ranking de 2018
1o China 3:29.99, Jogos da Ásia
2o Japão 3:30.03, Jogos da Ásia
3o Estados Unidos 3:30.20, Pan Pacífico
7o Brasil 3:32.16, Pan Pacífico

Projeção Best Swimming:
Estados Unidos, Austrália, Japão, China e Grã-Bretanha na briga pelas medalhas. O Brasil chega na final.

Brasil 4o lugar no Mundial de Roma 2009 

Ficha da prova dos 10 quilômetros masculino na briga pela vaga olímpica

0

Segunda-feira, 20 horas, horário de Brasília, 8 da manhã do dia seguinte em Yoesu, a prova dos 10 quilômetros masculino na briga pelas 10 vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Veja a ficha da prova:

Brasileiros na prova
Allan do Carmo, olímpico em 2008 e 2016
Victor Hugo Colonese

Nomes fortes na briga pelas 10 vagas
Nicholas Sloman da Austrália
Esteban Enderica do Equador
Marwan Elamrawy do Egito
Marc Antoine Olivier da França
Jack Burnell da Grã-Bretanha
Florian Wellbrock da Alemanha
Kristof Rasovszky da Hungria
Gregorio Paltrinieri da Itália
Mario Sanzullo da Itália
Ferry Weertman da Holanda
Evgeni Drattcev da Rússia
Jordan Willimovsky dos EStados Unidos

Pódio do Rio 2016
1o Ferry Weertman da Holanda
2o Spyridon Gianniotis da Grécia
3o Marc-Antoni Olivier da França

Pódio do último Mundial Budapeste 2017
1o Ferry Weertman da Holanda
2o Jordan Wilimovsky dos Estados Unidos
3o Marc-Antoine Olivier da França

Pódio do Europeu 2018
1o Ferry Weertman da Holanda
2o Kristof Rasovszky da Hungria
3o Rob Muffels da Alemanha

Pódio do Pan Pacífico 2018
1o Jordan Willimovsky dos Estados Unidos
2o Eric Hedlin do Canadá
3o Nicholas Sloman da Austrália

Ranking do Circuito FINA Marathon Swim Series 2018
1o Ferry Weertman da Holanda
2o Jack Burnell da Grã-Bretanha
2o Simone Ruffini da Itália
4o Kristof Rasovszky da Hungria
5o Marcel Shouten da Holanda
6o Matteo Furlan da Itália
7o Rob Muffels da Alemanha
8o Gregorio Paltrinieri da Itália
8o Fernando Ponte do Brasil

Diário do Mundial, 14 de julho de 2019

0

Primeiro domingo do Mundial, terceiro dia de competições. Chuvas esparsas durante o dia e previsão de muito chuva para a semana que se inicia. Temperatura entre 25 a 28 graus.

* China mantém a liderança do quadro de medalhas do Mundial, oito medalhas, seis delas de ouro. Rússia vem em segundo lugar com três medalhas, duas de ouro. São 14 países com pelo menos uma medalha conquistada.
* Dia de folga das águas abertas. Equipes recarregando as baterias para nova disputa classificatória olímpica, agora dos 10 quilômetros masculino, nesta segunda-feira.
* A França oficializou um protesto junto a FINA contestando o resultado final da prova dos 10 quilômetros feminino. A disputa é um possível confronto de Aurelie Muller e a italiana Rachele Bruni. Foi o mesmo confronto que determinou a desclassificação de Muller no final da prova olímpica no Rio em 2016. O protesto deve ser analisado pela FINA nesta segunda-feira. Muller terminou em 11o lugar, um décimo atrás da 10a colocada enquanto que Bruni finalizou a prova na terceira colocação.
* Enquanto o time americano faz o seu training camp em Singapura, Singapura faz o training camp no Japão. Os americanos quando acertaram com a organização do OCBC Aquatic Complex em Singapura, exigiram total privacidade e uso exclusivo para o time americano até a viagem para o Mundial.
* Depois de 24 horas de vôo, a equipe de natação da Bélgica é uma das primeiras a chegar a Gwangju. A equipe com Pieter Timmers já começou a treinar na piscina da competição, o Nambu University Municipal Complex.
* Notícia ruim do dia foi o corte da nadadora Shayna Jack da Seleção da Austrália. A nadadora de 20 anos de idade tinha o terceiro tempo dos 200 livre (1:56.37) e quarto nos 100 livre (53.18). Sem dar detalhes, Jack diz que deixa a Seleção Australiana por problemas particulares.
* Thiago Pereira está na Coreia do Sul. O ex-nadador brasileiro faz parte da Comissão de Atletas da FINA e também discute um incremento da influência política do Brasil na FINA.
* Presidente Miguel Cagnoni da CBDA não vai ao Mundial. Ele será representado por Ricardo Prado na Assembleia Geral da entidade no dia 19 de julho.
* Os mascotes Suri e Dari estão espalhados por toda Coreia do Sul. Estátuas e produtos licenciados, é a maior popularização já feita em termos de Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos.
* Segundo números oficiais, o Mundial dos Esportes Aquáticos está custando apenas 5,24% do custo total dos Jogos Olímpicos de Inverno no ano passado em PyeongChang e 11% do custo dos Jogos da Ásia em Incheon.
* Um pouco de curiosidade da Coreia do Sul. Salário médio do país 2.279 dólares, cerca de 8,5 mil reais. Já o salário mínimo é 856 dólares mensais. E ainda se come carne de cachorro por lá. A tradição milenar de se alimentar da carne de cachorro é chamada de “Kaegogi” e está disponível em inúmeros restaurantes tradicionais a preços bem populares.

Amanhã a gente volta com mais…

Gwangju bate recorde em número de países no Mundial dos Esportes Aquáticos

0

Serão 194 países dos 208 filiados da FINA que estarão na 18a edição do Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos em Gwangju, o maior número da história.

ANO LOCAL TOTAL DE PAÍSES
1973 Belgrado, Iugoslávia 47
1975 Cali, Colômbia 39
1978 Berlim, Alemanha 49
1982 Guyaquil, Equador 52
1986 Madri, Espanha 84
1991 Perth, Austráia 60
1994 Roma, Itália 102
1998 Perth, Austráia 121
2001 Fukuoka, Japão 134
2003 Barcelona, Espanha 157
2005 Montreal, Canadá 144
2007 Melbourne, Austrália 167
2009 Roma, Itália 172
2011 Shanghai, China 177
2013 Barcelona, Espanha 181
2015 Kazan, Rússia 190
2017 Budapeste, Hungria 182
2019 Gwangju, Coreia do Sul 194

Maurício Fiol volta com marca B olímpica nos 200 borboleta

0

Depois de quatro anos suspenso por doping, o peruano Mauricio Fiol voltou a competir. Participou nestes últimos dias do Campeonato Chileno de Inverno, em Santigo, e mesmo sem descansar conseguiu bons resultados.

Fiol, que é treinado pelo brasileiro radicado no Perú Reinaldo Dias, venceu as provas de 100 borboleta com 54.24, 200 borboleta com 1:58.82 e 400 metros nado livre com 3:58.99. O melhor resultado veio na sua especialidade, os 200 borboleta onde com 1:58.82 nadou abaixo da marca B exigida para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 (1:59.97).

O nadador peruano testou positivo para Estanozolol no dia 12 de julho de 2015, na véspera do início da natação dos Jogos Pan Americanos de Toronto. Depois de chegar em segundo lugar e até receber a medalha de prata dos 200 borboleta, Fiol ainda nadou as eliminatórias dos 100 borboleta passando a final antes de ser comunicado do teste positivo. Perdeu a medalha, os resultados e recordes e foi suspenso por quatro anos.

Durante todo este tempo, nunca deixou de treinar, fez águas abertas e percorreu o país em clínicas e apresentações. Desde o final do ano passado está treinando com Reinaldo Dias que já havia sido treinador de Fiol durante a sua fase de desenvolvimento.

Fiol está convocado pela Federação Peruana para os Jogos Pan Americanos, mas ainda não tem confirmada que provas irá participar na competição.

Programação de Segunda a Quarta do Mundial dos Esportes Aquáticos no SporTV

0

Segunda-feira, 15 de julho
01:00 – Saltos Ornamentais no SporTV2
03:30 – Saltos Ornamentais no SportTV3
05:00 – Nado Artístico no SporTV2
07:10 – Polo Aquático Brasil X Itália no SporTV2
07:00 – Nado Artístico no SporTV3
08:45 – Saltos Ornamentais no SporTV2
20:00 – Águas Abertas 10k masculino no SporTV2
Participação de Allan do Carmo e Victor Hugo Colonese
22:00 – Saltos Ornamentais no SporTV3

Terça-feira, 16 de julho
00:15 – Nado Artístico no SporTV2
03:30 – Saltos Ornamentais no SporTV3
07:00 – Nado Artístico no SporTV3
08:45 – Saltos Ornamentais no SporTV2
20:00 – Águas Abertas 5K feminino no SporTV2
Participação de Ana Marcela Cunha e Viviane Jungblut
22:00 – Saltos Ornamentais no SporTV2

Quarta-feira, 17 de julho
03:30 – Saltos Ornamentais no SporTV3
05:50 – Polo Aquático Brasil X Alemanha no SporTV3
07:10 – Polo Aquático Grécia X Montenegro no SporTV2
07:00 – Nado Artístico no SporTV2
08:45 – Saltos Ornamentais no SporTV2 ‘
20:00 – Águas Abertas Revezamento Misto no SporTV3
23:00 – Nado Artístico no SporTV2
23:10 – Polo Aquático Brasil X Japão no SporTV3

Análise técnica das provas 5k masculino e 10k feminino no Mundial

0
Prova dos 10km. Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos. 14 de Julho de 2019, Yeosu, Coreia do Sul. Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

Trabalho do Professor Doutor Rodrigo Zacca da ABIOMEP, Laboratório de Biomecânica da Universidade do Porto, Portugal. A avaliação coloca em gráfico a velocidade dos 10 primeiros colocados nas duas provas. É uma análise de velocidade em cada volta dos 10 melhores da prova. A linha azul é do primeiro colocado, a linha vermelha do último e a linha tracejada, a média dos top 10.

Prova dos 5 k masculino

Prova dos 10 k feminino

Best Cam: Análise da prova dos 10k com Ana Marcela Cunha classificada para Tóquio

0
Ana Marcela Cunha. Prova dos 10km. Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos. 14 de Julho de 2019, Yeosu, Coreia do Sul. Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

Ana Marcela Cunha rumo a sua 3a Olimpíada

0
Ana Marcela Cunha. Prova dos 10km. Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos. 14 de Julho de 2019, Yeosu, Coreia do Sul. Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

Ao terminar em quinto lugar nos 10 quilômetros em Yeosu, Ana Marcela Cunha alcançou a sua classificação para a 3a Olimpíada nas águas abertas. Com isso, ela iguala Poliana Okimoto que foi olímpica em 2008, 2012 e 2016. Veja abaixo as participações anteriores de Ana Marcela:

2008, Beijing
5o lugar 1:59:31.39
Chegou 9 segundos atrás da campeã
Chegou 5 segundos atrás do terceiro lugar

2016, Rio de Janeiro
10o lugar 1:57:29.0
Chegou 56 segundos atrás da campeã
Chegou 40 segundos atrás do terceiro lugar

Quem é a campeã mundial Xin Xin?

0

Histórica classificação para a natação chinesa com o primeiro ouro (e primeira medalha) do país em Mundiais de Águas Abertas. Xin Xin venceu os 10 quilômetros em Yeosu garantindo a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Foi apenas mais um capítulo do pionerismo de Xin Xin nas águas abertas. Foi a primeira nadadora de seu país a vencer uma etapa da Copa do Mundo na prova de Chun’An em 2016. Até hoje, só ela venceu, e no ano passado, venceu duas etapas, Lake Megantic no Canadá e voltou a ganhar em Chun’An.

Tóquio será sua terceira Olimpíada. Em 2012, quando a piscina ainda era sua prioridade, ficou em 24o nos 800 metros nado livre nos Jogos de Londres com 8:40.88. Tinha 16 anos.

No ano seguinte, mesmo tendo batido o recorde asiático dos 800 livre, virou para as águas abertas o seu foco de treinamento. Nos Jogos do Rio, terminou na quarta colocação na prova dos 10 quilômetros.

Xin Xin não impressiona pelo tamanho, tem 1,69 de altura, pesa 58 quilos e seu treina com o mesmo técnico desde o seu desenvolvimento, o chinês JIn Hao.

Seu pai, seus tios todos foram nadadores, tem um primo que inclusive foi seu treinador na formação.

É natural da Província de Shandong onde nasceu em 6 de novembro de 1996.

Na prova de classificação para Tóquio, Xin Xin não esperava ganhar. Nadou para garantir a vaga olímpica. Completou a prova em 1 hora, 54 minutos, 47 segundos e 20 centésimos. Nado uma prova controlada e estratégica. Esteve o tempo todo no pelotão do meio e só passou para a parte da frente nos últimos 30 minutos de prova. No final, foi beneficiada por nadar no lado de fora sem ser atacada pelas adversárias.

Rumo a Tóquio, Xin Xin vai em busca de seguir seu pionerismo. No seu profile da FINA, indica que o sonho é uma medalha olímpica no Japão.

Estados Unidos e Alemanha com 2 nadadoras nos 10K de Tóquio

0
Prova dos 10km. Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos. 14 de Julho de 2019, Yeosu, Coreia do Sul. Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

A única chance de poder ter dois nadadores na prova das águas abertas dos Jogos Olímpicos de Tóquio é a classificação no Top 10 do Mundial de Gwangju. Estados Unidos e Alemanha foram os dois únicos que alcançaram o feito na prova de hoje.

Os Estados Unidos classificaram Haley Anderson que vai para a sua 3a Olimpíada consecutiva junto com a estreante Ashley Twichell, esta aos 30 anos de idade é a mais velha estreante no time americano desde 1908.

Na Alemanha, Finnia Wunram e Leonie Beck farão suas estreias olímpicas em Tóquio 2020.

Veja as outras disputas olímpicas anteriores quando tivemos países com dois atletas na disputa dos 10 quilômetros entre as mulheres:

2008, Beijing
Brasil (Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha) e Grã-Bretanha com 2 nadadoras

2012, Londres
Nenhum país com 2 nadadoras na prova dos 10K feminino

2016, Rio de Janeiro
Brasil (Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha) e Hungria com 2 nadadoras

2020, Tóquio
Estados Unidos e Alemanha com 2 nadadoras

Fotos do Training Camp dos USA em Singapura

0

Fotos direto de Singapura, training camp da Seleção Americana se preparando para o Mundial de Gwangju.

Diário do Mundial, 13 de julho de 2019

0
Prova dos 10km. Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos. 14 de Julho de 2019, Yeosu, Coreia do Sul. Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

Dia de sol, e temperatura bem agradável na Coreia do Sul, dia em que o Brasil classifica a sua primeira representante do time aquático para os Jogos Olímpicos de 2020. Parabéns Ana Marcela!

* Tempo firme, apareceu o sol, temperatura beirou os 30 e a água do mar de Yeosu se manteve nos 23 graus.
* China, com a vitória nas águas abertas de Xin Xin abriu ainda mais no quadro de medalhas do Mundial dos Esportes Aquáticos. Até agora, são quatro medalhas, todas de ouro. A Rússia com um ouro e uma prata aparece em segundo. Doze países já ganharam medalhas, mas apenas três faturaram pelo menos uma medalha de ouro.
* Bombástica reportagem publicada no jornal australiano Daily Telegraph traz as 59 páginas do relatório completo da FINA no caso da destruição das amostras por Sun Yang. O caso foi arquivado pela FINA, mas a WADA recorreu e deve ser analisado pelo Tribunal da Corte Suprema CAS/TAS.
* O peruano Mauricio Fiol voltou a competir depois de quatro anos suspenso por doping. Participa do Campeonato Chileno de Inverno e marcou 54.24 nos 100 borboleta, 1:58.82 nos 200 borboleta e 3:58.99 nos 400 metros nado livre. Fiol é treinado pelo brasileiro Reinaldo Dias.
* O veterano treinador John Rodgers não pode estar com seus atletas no Mundial. Foi paciente de uma cirurgia de coração e assistiu a prova pelo computador. Sua principal atleta, Kareena Lee, classificou para a Olimpíada terminando na sétima colocação.
* Alegria para a americana Ashley Twichell de 30 anos de idade na classificação para a sua primeira Olimpíada. É a mais velha estreante do time americano desde 1908. Na história da natação feminina dos Estados Unidos em Jogos Olímpicos é a terceira mais velha, só atrás de Dara Torres e Jennifer Thompson.
* Na Rússia, Kliment Kolesnikov e seu treinador anunciam que não irão para o training camp da Seleção Nacional. Viajarão direto para Gwangju. Informações dizem que Kolesnikov está lesionado. Ele já saiu dos 200 costas, mas segue inscrito nos 50 e 100 costas, além do revezamento 4×100 livre. O time da Rússia faz seu treinamento em Osaka, no Japão.
* Outras informações reforçam ainda mais a bela história que o Blog do Coach trouxe ontem do nadador do Sudão que terminou em último lugar nos 5 quilômetros e depois, em bela tietada, tirou foto com a medalha e o campeão dos 5 quilômetros, Kristof Rasovszky. Mohammed Ibrahim chegou as 3 da manhã na Coreia, mesmo dia da prova, e viajou com seu próprio dinhieiro para competir no Mundial.
* Mundial de Gwangju vai distribuir quase 6 milhões de dólares de prêmio. Para ser mais preciso, 5 milhões, 847 mil e 800 dólares. Um pequeno aumento em relação ao Mundial de 2017, cerca de 7%.
* Dia foi de Mídia Day para a Seleção Americana que recebeu uma bela multidão no OCBC Aquatic Complex em Singapura. Em entrevista para os jornais locais, Caeleb Dressel diz que não merece nem acha certo ser comparado com Michael Phelps, enquanto isso, Simone Manuel declarou se sentir muito orgulhosa em ser a “pioneira”, primeira campeã olímpica negra em prova individual da história.

Amanhã tem mais, não tem águas abertas, mas segue o Mundial. Até lá….

SWIM CHANNEL