Na sua conta de Instagram, o australiano Daniel Smith, 29 anos, anunciou a sua aposentadoria. Nadador olímpico da equipe da Austrália no Rio 2016, Smith tem uma história de recuperação que precisa ser devidamente contada. Na carreira, Smith esteve nas equipes nacionais dos Mundiais de Curta de 2014 e 2016 e no Mundial de Longa de 2015, além da Olimpíada no Rio.

 

 

Smith foi daqueles super talentos desde o início. Aos 12 anos já brilhava nas competições de categoria. Aos 16, foi a sensação do Australian Youth Olympic Festival, uma das principais competições da natação australiana de base. Era o ano de 2007, quatro medalhas, dois ouros, uma prata e um bronze. Para aquele jovem atleta que parecia despontar um super futuro na Seleção Australiana, veio um grande drama.

Daniel Smith se envolveu com as drogas, a bebida, e o vício lhe tirou do esporte. O problema foi bem profundo e segundo informações, Smith chegou a morar pelas ruas entre drogados. A recuperação veio com a religião e o esporte. Lendário treinador Dennis Cotterell decidiu aceitar o seu antigo promissor talento de volta, mas com diversas condições. Antes,  passou por um centro de reabilitação e se aprofundou na fé.

 

 

Foram quatro anos fora do esporte e em um ano de treinamento Smith já estava na Seleção para o Mundial de Piscina Curta de Doha, em 2014, quando ficou em sétimo lugar nos 200 metros nado livre. No ano seguinte, estava no time do 4×200 livre que foi bronze no Mundial de Kazan. Para a Olimpíada do Rio, Smith terminou em quarto lugar na seletiva australiana e a equipe acabou ficando em quarto lugar perdendo o bronze olímpico por 68 centésimos.

 

 

Daniel Smith é mais um dos tantos atletas que tinha planos para a aposentadoria após a Olimpíada de Tóquio. A Pandemia e a mudança do calendário acabou por determinar pressão em outras oportunidades que estavam na agenda destes atletas. Daniel Smith desde o ano passado não estava mais em um dos principais centros de alto rendimento da natação australiana. Optou por treinar num programa menor onde faz uma menção especial no seu post de aposentadoria.

Fora da piscina, Smith tem cumprido uma série de palestras e visitas em centros de jovens sempre contando sua história de superação, além de ser um ativo membro de sua igreja.

View this post on Instagram

Most things start of with a dream, & for me at 12 I knew I wanted to be the fastest man in the world. Given my talent, drive & ability; in my eyes it wasn’t just a possibility, but a probability. Pursing that came at a cost; enough was never enough, the expectation got stronger, I lost sight of the enjoyment of being in the water, my wellbeing got lost & my identity got wrapped in the sport, which all lead me to a deep level of unfulfillment & brokenness. I tried everything to fill the void & emptiness in me, which lead me down a dark road. Coming back to the sport after 4yrs out, I wanted it to be different but it wasn’t long before it became my everything again. Considering where I had come from, I was able to achieve some pretty phenomenal things pre Olympics, which was putting me in a good position to achieve my dream in Rio. Unfortunately, the Olympic year, I started to crack under pressure, where at the trials & then in Rio I didn’t live up to what I was capable of, which hurt me a lot. My life changed a lot after Olympics; I was treated differently, there was a disconnect between me & the high performance world, I lost ‘friends’, I became old news pretty quickly and felt I had to earn the respect again; which is just some of the nature of the industry. I became pretty bitter at times & spent a lot of time trying to redeem my dream & prove I was capable. I just couldn’t produce anymore which was extremely humbling. I soon discovered how empty & superficial it all was, which helped me discover identity without performance. Moving coaches start of 2019 gave me time to refocus. My coach & I did everything we could to help me as a person & build my swimming potential again. The healthier I got, I couldn’t produce like I use to but I was able to get my enjoyment back & give it 1 last go. I gave my career everything I had & I left nothing in the tank. I owe a lot to my final team (tagged) I know you guys had my heart at your best interest. I’m really sorry we didn’t get the desired outcome. And to my family, for sticking by me through the highs & lows of life & sport, I know it was tough on you guys. My family & team are incredible. OFFICIALLY DONE🏊🏼‍♂️❌✌🏽

A post shared by Dan Smith (@dan_smith28) on

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *