O Governo da Austrália mantém uma rígida proibição de entrada e saída de cidadãos nos aeroportos do país. Cada caso é um caso. Para a disputa da temporada 2 da ISL, o Governo Australiano deu autorização para os atletas e seus respectivos treinadores viajarem para Budapeste, na Hungria, onde acontece no próximo mês a primeira parte da temporada com seis semanas de treinamentos e competições.

Porém, mesmo sem ter anunciado oficialmente em qualquer publicação, a proibição para a participação dos 28 nadadores australianos veio da Swimming Austrália, a Federação Nacional de Natação. Segundo alguns atletas informaram de forma extra-oficial, houve uma “forte recomendação” para não participarem.

A Swimming Austrália não se manifestou, a ISL sim. Hoje publicou uma forte nota, sem citar a Federação Australiana mas numa mensagem mais que direta (link). O medo de uma possível contaminação e o prejuízo dos atletas em ano olímpico é o motivo para esta preocupação.

Outra possibilidade pode ser também econômica. Atletas da Seleção da Austrália não são profissionais. Os 1.500 dólares mensais que a ISL prometeu pagar por 10 meses fazem diferença, mas estão abaixo do que eles recebem da Federação Australiana. Atletas integrantes do Perform Pathway Performance recebem entre 15 a 40 mil dólares anuais.

Atletas da Austrália, até mesmo os da elite, também são responsáveis pelo pagamento de parte de seus treinamentos nos clubes e nas competições locais pelo país.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *