Desde ontem, para quem me acompanha no Twitter eu vinha alertando para as restrições de vôo de saída e entrada da Austrália o que poderia comprometer a viagem dos nadadores e comissão técnica australiana para tomar parte na temporada 2 da ISL, a Liga Internacional da Natação.

Hoje, a coisa explodiu!

O Governo Australiano deliberou desde o dia 28 de março através do Ministro da Saúde Greg Hunt uma decisão que restringe entrada e saída de vôos do território australiano. O país é um dos melhores no combate a Pandemia com 26.779 casos e 824 mortes. No índice de mortos por milhão de habitante são 32, um dos melhores do mundo entre os grandes países e o melhor no G20.

A decisão de Hunt na restrição de entrada e saída do país está prevista até 17 de dezembro, mas com tendência, e forte, de extensão. Existem exceções, e alguns atletas e a ISL contavam com isso. Agora, saiu uma recomendação da Swimming Austrália, a Federação de Natação que fez um comunicado direto a todos os nadadores indicando que não concordava com a participação dos atletas e suas viagens para a Europa.

Australianos são o segundo maior contingente de nadadores dos 302 atletas recrutados para a temporada 2 da ISL, com 28 atletas eles estão em oito dos 10 clubes da Liga. Só não tem nadadores australianos nos novos times, Toronto Titans e Tokyo Frogs. Na lista, London Roars é quem acumula o maior número de australianos com 9 seguido pelo New York Breakers com 7.

Nas redes sociais a discussão começou. London Roars fez um comunicado lamentando a saída de todos os seus atletas australianos.

O NY Breakers fez outra publicação no Tweet do treinador Brett Hawke que mencionava a restrição governamental da Austrália dando a responsabilidade para a proibição para a Swimming Australia.

Existe um temor muito grande que  isso possa gerar um efeito dominó e outras federações possam tomar o mesmo posicionamento que a Swimming Australia fez. A primeira delas é a do Japão, uma das mais resistentes a toda esta disputa da temporada da ISL durante a Pandemia.

Fora isso, ainda existe as restrições de vôo para a Hungria. Desde 1o de setembro o país voltou a adotar diversos controles e bloqueios na entrada. Para ser mais exato, as fronteiras estão fechadas. O acesso dos nadadores e comissão técnica da ISL seria classificando-os como “extraordinários”.

Podemos ter novidades em breve sobre tudo isso, e pode não ser notícia boa…

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *