22 de agosto de 1920, na Antuérpia, na Bélgica, era a estreia da natação brasileira nos Jogos Olímpicos. 100 anos de uma história rica e cheia de registros memoráveis de nosso esporte.

 

 

Naquele dia, dois jovens, Ângelo Gammaro de 24 anos de idade, Orlando Amendola de 20 anos, disputaram a prova dos 100 metros nado livre, suas únicas participações na natação. Ambos pararam nas eliminatórias da tradicional prova que teve o primeiro bi campeão olímpico da história, o lendário Duke Kahanamoku.

Os 100 livre foi a prova com maior número de participantes, 31. A natação olímpica de 1920 aconteceu no Zwemstadion van Antwerpen, uma piscina escura, fria e construída ao lado do estádio olímpico. No total, eram 116 atletas de 19 países.

 

Duke Kahanamoku

 

Duke Kahanamoku havia ganho os 100 livre nos Jogos de 1912. Desta vez, era ameaçado por outro americano, Norman Ross campeão dos Jogos dos Aliados no ano anterior. A prova foi facilmente vencida por Kahanmoku, mas um protesto da Austrália, reclamava de que Ross havia nadado por cima do australiano Billy Herald. Com a piscina de água escura e sem raias, a organização decidiu repetir a prova, e Kahanamoku venceu novamente.

Ângelo Gamaro e Orlando Amendola não encerraram ali seus sonhos olímpicos. Os dois voltaram a mesma piscina horas depois para os jogos de polo aquático. O Brasil terminou na quarta colocação da classificação geral do torneio. E Amendola ainda disputou as provas de remo.

Os Jogos de 1920 também marcaram a estreia do esporte olímpico para o Brasil. Nossa delegação de 19 atletas esteve nas disputas do saltos ornamentais, remo, tiro, natação e polo aquático. Também foi a primeira vez que subimos ao pódio, com três medalhas, uma de cada cor, todas no tiro esportivo.

Esta Olimpíada marcou a estreia da bandeira olímpica, do juramento olímpico e foi a última vez que as provas de tiro utilizaram pombos vivos como alvos.

 

Foto Surto Olímpico dos brasileiros medalhistas no tiro esportivo em 1920

2 respostas
  1. Angelo Tadeu Gammaro Júnior
    Angelo Tadeu Gammaro Júnior says:

    Angelo Gammaro é meu avô, grande atleta do século XX, também foi remador, seu nome ficou marcado nos esportes aquáticos do Brasil, orgulho em ser seu neto.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *