Um excelente artigo publicado na Swim Channel em abril (link) falava da evolução do bloco de partida na natação mundial. É incontestável que o avanço tecnológico influenciou bastante a melhora da eficiência de saída dos nadadores. Um destaque no artigo foi a menção ao americano Chris Jacobs, medalha de prata nos 100 metros nado livre dos Jogos de Seul em 1988, teria sido o primeiro nadador a utilizar a chamada “saída de atletismo” (Track Start) nas Olimpíadas.

 

(Photo by Al Bello/Getty Images)

 

Fizemos uma busca e uma pesquisa detalhada, em provas e vídeos, e a dúvida só ficou esclarecida com o PodCast de Brett Hawke. O ex-técnico de Cesar Cielo no título olímpico de 2008, mantém um PodCast com entrevistas dos maiores nomes e atletas da natação mundial e o entrevistado de hoje foi Rowdy Gaines, ex-nadador americano, o primeiro homem a nadar abaixo da barreira dos 50 segundos nos 100 metros nado livre e que hoje atua como comentarista da rede NBC.

Pois foi Gaines o primeiro a utilizar a saída de atletismo nos Jogos Olímpicos. Foi na final dos 100 metros nado livre dos Jogos de Los Angeles, em 1984. Com 25 anos de idade, Gaines era considerado “velho” para a natação mundial e sua vitória foi até considerada uma surpresa para a época. Executando a saída de atletismo, e o único de toda competição a fazê-la, Gaines venceu com 49.80.

Rowdy Ganes e Richard Quick

 

No PodCast, Gaines revela que a criação da saída de atletismo foi de seu treinador Richard Quick. Na época, as regras da natação estavam em mudança. Antes eram três saídas falsas e passou a ser utilizado o sistema de saída única. Gaines, segundo ele mesmo, tinha uma saída ruim e algo precisava ser feito para melhorá-la.

Em uma viagem a Europa, para um torneio de natação, Richard Quick e Rowdy Gaines também foram assistir uma competição de atletismo e ficaram inspirados com a ideia. Levaram para a piscina e praticaram por meses. Gaines também revela que na primeira vez que utilizou a saída foi desclassificado e depois revertida a decisão, pois os árbitros jamais haviam visto aquilo e, como não havia nada dizendo o contrário na regra, a desclassificação foi cancelada.

Veja abaixo a vitória de Rowdy Gaines nos Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1984: (Gaines está na raia 3, a terceira do alto)

 

 

A saída de atletismo se popularizou bastante nos anos seguintes. Ganhou inicialmente os velocistas e foi paulatinamente se espalhando pelas outras provas e estilos. Nos inícios dos anos 2000 ainda se encontravam nadadores de peito que resistiam a mudança. Atualmente, é raro, muito raro encontrar nadadores que ainda utilizem a saída colocando os dois pés a frente.

1 responder
  1. Eu mesmo
    Eu mesmo says:

    Muito interessante esta matéria coach!
    Não tinha ideia de que foi o grande campeão Rowdy Ganes o precursor da “saída do atletismo” na natação. E como a saída do atletismo só viralizou mesmo e tornou-se quase uma unanimidade nos anos 2000, não tinha ideia de que sua origem era tão antiga e remonta aos anos 80…
    No meu caso, que costumo nadar provas de 200m pra cima, principalmente os 200 e 400 medley, acho que,apesar de o tempo de reação à largada ser ajudado pelo “saída do atletismo”, sinto que perco impulsão e potência muscular no salto do bloco em relação à “saída com as pernas paralelas”, por isso uso a saída com as pernas paralelas nas minha provas de medley, já que a impulsão na saída no medley, no meu caso, é mais importante que o tempo de reação.
    Porém, se eu nadasse provas mais rápidas, investiria mais na saída do atletismo.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *