Uma das barreiras mais importantes da natação mundial, a primeira vez que o homem conseguiu nadar os 1500 metros nado livre abaixo dos 15 minutos. Hoje, 22 de julho de 2020, faz 40 anos que isso aconteceu.

Foi na tarde de 22 de julho de 1980, no Olympiyski Sports Complex, em Moscou, era o terceiro dia da natação e o quarto dia dos Jogos Olímpicos. Com o boicote americano, e a ausência do recordista mundial Brian Goodell (15:02.40), Vladimir Salnikov já era apontado por todos como o grande favorito para a medalha de ouro.

 

 

Salnikov já havia vencido o Mundial de Berlim em 1978 com a sua melhor marca e então recorde russo de 15:03.99. Todos esperavam uma vitória do russo, a discussão era de quanto seria a diferença para o segundo colocado e se seria capaz de quebrar o recorde mundial.

Ele conseguiu 15 segundos sobre o o compatriota Aleksandr Chayev, companheiro de treino, a maior da história olímpica e o novo recorde mundial de 14:58.27. No dia anterior, Salnikov havia feito o melhor tempo das eliminatórias com 15:08.25 e uma diferença de quase 10 segundos a frente do segundo colocado.

 

 

Naquela Olimpíada, Salnikov foi perfeito. Venceu os 400 livre com recorde olímpico, os 1500 livre com recorde mundial e ainda levou o ouro no 4×200 metros nado livre.

 

 

O recorde mundial de Salnikov duraria pouco menos de dois anos e ele mesmo bateu a marca para 14:56.35 num torneio internacional contra a Alemanha Oriental em 1982 e novamente para 14:54.76 em 1983 no Campeonato Russo. Salnikov seguiu nadando e ainda se tornou campeão olímpico em 1988, em Seul, mas nunca mais baixou sua marca. No título de 88, venceu com 15:00.40.

 

 

Depois da era Salnikov, o recorde mundial dos 1500 metros nado livre foi quebrado outras sete vezes até os atuais 14:31.02 de Sun Yang nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

Na história da natação mundial, nadar abaixo dos 15 minutos nos 1500 metros nado livre é honra para 84 nadadores de 27 países. Em total de vezes que a barreira dos 15 minutos foram quebradas, são 492 vezes.

Estados Unidos é o país que mais vezes quebrou a barreira, foram 13 vezes, seguido por Austrália e China empatados com 9, Grã-Bretanha 7, Itália 6, Alemanha e Rússia.

Das 10 melhores performances da história nos 1500 livre, Sun Yang tem três, Gregorio Paltrinieri tem três, Florian Wellbrock tem duas, mais uma de Mykhailo Romanchuk e o aposentado Grant Hackett.

Salnikov e seus 14:58.27 hoje seria o 70o nadador do mundo ou a performance 394.

O Brasil demorou 37 anos depois do feito de Vladimir Salnikov para quebrar a barreira. Guilherme Costa, e somente ele, conseguiu o feito. A primeira vez foi em 6 de dezembro de 2017, no Open, no Rio de Janeiro com 14:59.01. Depois disso ele nadou mais duas vezes, no Sette Colli do ano passado, na Itália, com 14:59.91 e na vitória do US Open em dezembro com 14:55.49, atual recorde sul-americano da prova.

Veja a lista por país com o número de nadadores que quebraram a barreira dos 15 minutos:
Estados Unidos – 13
China – 9
Austrália – 9
Grã-Bretanha – 7
Itália – 6
Alemanha – 4
Rússia – 4
França – 4
Japão – 4
Polônia – 3
Dinamarca – 3
Ucrânia – 2
Hungria – 2
Empatados com 1 nadador:
Brasil, Tunísia, Canadá, Noruega, Croácia, Ilhas Faro, Coreia do Sul, República Tcheca, Grécia, Egito, Espanha, África do Sul, Vietnã e Holanda.

 

 

Vladimir Salnikov atualmente é Presidente da Federação Russa de Natação e membro do Bureau da FINA.

2 respostas
  1. Carlos Maia
    Carlos Maia says:

    Lembro que o Salnikov veio a Porto Alegre e nadou na piscina olímpica do União. P/ mim, outro fato histórico!!!
    Parabéns pelo texto, Coach!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *