John Kennedy, ex-Presidente dos Estados Unidos disse lá pela década de 60: “The Chinese use two brush strokes to write the word ‘crisis. ‘ One brush stroke stands for danger; the other for opportunity. In a crisis, be aware of the danger–but recognize the opportunity.”. Na tradução, “quando escrito em chinês a palavra crise compõe-se de dois caracteres: um representa perigo e o outro representa oportunidade”.

E é assim que penso sobre o momento que estamos vivendo. Existem histórias e registros suficientes para provar que durante as grandes crises, grandes guerras, grandes tragédias aparecem as grandes ideias, os grandes nomes que fazem a história mudar seu curso e fazer o mundo melhor. Parece que chegou a nossa vez.

Por conta gotas algumas piscinas começam a ser abertas pelo Brasil, poucas, muito poucas, e com pouca gente, muito poucas, mas cheia de protocolos e cuidados, muitos, muitos mesmo. Enquanto todos nós estamos desesperados por vê-las abertas, ainda somos resistidos pelas ordens das autoridades e sob a constante orientação do pessoal de saúde.

O processo de reabertura não vai ser fácil, não vai ser simples, mas temos uma vantagem em relação ao restante do mundo. Mesmo que pelos indicativos de números de casos e óbitos, e até mesmo a própria indicação da Organização Mundial de Saúde que apontou a América do Sul como epicentro da epidemia, em algum momento vamos ter de abrir.

E vai ser na estratégia três “Ps”, progressivo, protocolos e muita, mas muita paciência. Paciência em atender a todas as exigências, e entender que o retorno vai ser aos poucos e principalmente cuidando da saúde de nossos atletas e alunos.

Durante esta quarentena, eu, como tantos de vocês, fomos afortunados de acompanhar inúmeras lives, apresentações, palestras, discussões e reuniões. Entre tantas autoridades que tive a oportunidade de assistir, e não foram poucas, me chamou muita atenção a participação do treinador francês Fred Vergnoux em uma Live organizada pela RKF Swim Team. Vergnoux foi brilhante em descrever a beleza e as vantagens que a quarentena nos deu. Foi nestas nove semanas que ele ficou sem poder trabalhar que ele pode fazer coisas que não fazia há muito tempo. Comeu melhor, dormiu melhor, estudou mais e principalmente curtiu a família.

Nossos nadadores tem vida também, sabia? Sim, eles descobriram coisas maravilhosas que faziam pouco, ou nem faziam.

Noutro dia, vi Lilly King treinando num lago em Indiana. Em entrevista ao jornal local, ela disse que poderia treinar numa piscina de um amigo, mas achou divertido ir treinar no lago, por sinal, tão frio, mas tão frio, que ela teve de colocar uma roupa de neoprene, e mesmo assim se divertiu!

Esta semana também teve a bela entrevista do jovem nadador húngaro Kristof Milak que saiu no jornal Nemzeti Sport e o Blog do Coach destacou. Aos 20 anos de idade, Milak mostrou uma maturidade incrível ao descrever o sentimento que passa pela cabeça de um nadador alto rendimento. Suas dificuldades, suas adversidades, e principalmente, os sacrifícios. Milak está feliz, e olhou para o ano a mais até os Jogos de Tóquio como mais tempo, ou seja, OPORTUNIDADE!

Neste processo, todos nós aprendemos. As dificuldades nos fazem mais fortes. E precisamos ver com atenção o que foi feito na Ásia no processo de reabertura, depois na Europa, nos Estados Unidos. Agora será a nossa vez, de fazer a coisa certa, copiar os modelos adequados, evitar os erros e retornar de forma segura.

Nas observações de retorno, também vale olhar outros esportes e suas dificuldades. Na primeira rodada da Bundesliga, o Campeonato Alemão de futebol foram oito jogadores lesionados. Ou seja, não haviam feito a preparação adequada e o número de lesões foi acima do normal. É o tipo de observação que nos serve, que nos ajuda.

A Oportunidade que vislumbramos é poder fazer este retorno da melhor forma possível, como mencionado antes, não vai ser fácil, e bem provavelmente bem mais lento do que gostaríamos, aí é que entra a tão difícil Paciência para lidar com tudo isso.

Para terminar, uma bela frase de Platão, o grande filósofo grego, que dizia: “Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida”.

Fiquem bem, e bom retorno a todos, com paciência…

Coach Alex Pussieldi, editor chefe da Best Swimming

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *