Michael Phelps é o nadador da história com o maior número de recordes mundiais batidos. Foram 39 na sua carreira. Ele até queria terminar com 40, e esperava fazer isso nos 200 medley no Rio 2016. Não consegui e encerrou com 29 recordes individuais e 10 de revezamentos. O primeiro recorde mundial de Phelps foi com apenas 15 anos de idade, no USA Nationals de 2001, nos 200 metros borboleta. Meses depois, ele voltaria a bater a marca no Mundial de Fukuoka, no seu primeiro título mundial.

Na minha carreira, tanto como técnico como atuando na mídia, tive a oportunidade de ver vários recordes mundiais de Phelps. Alguns da borda da piscina, outros na cabine de transmissão. Pela TV é bom, mas estando no local faz muita diferença. Como sempre digo, ter vivido na era Michael Phelps é um prazer, somos afortunados por isso.

 

 

Aqui, descrevo o primeiro recorde mundial de Phelps que assisti. Foi em 15 de agosto de 2002, no USA Nationals que foi realizado na piscina do International Swimming Hall of Fame, em Fort Lauderdale. Competição foi fantástica, afinal eu trabalhava na piscina e ter participado de todo aquele movimento foi bem especial.

Dois dias antes de Phelps quebrar o recorde mundial dos 400 medley, assisti Natalie Coughlin se tornar na primeira nadadora da história a fazer abaixo da barreira do minuto nos 100 metros costas. Seu recorde de 59.58 foi no dia 13 de agosto de 2002 e apagava os 1:00.16 da chinesa He Ciong que já durava oito anos.

Detalhe importante referente a performance de Coughlin é que a piscina de Fort Lauderdale era rasa, não tinha a profundidade adequada e Coughlin na sua virada, e na tradicional golfinhada, ela bateu com os pés no fundo da piscina, e mesmo assim ainda quebrou o recorde mundial.

Phelps tinha 17 anos e já era apontado como um nadador para uma destas vagas nos 400 medley, USA Nationals de 2002 era daqueles que selecionava muitas equipes, para o Mundial de Barcelona, para a Universiades e para os Jogos Pan Americanos de Santo Domingo. Entretanto, na prova estavam dois medalhistas do Mundial do ano anterior, Erik Vendt prata e Tom Wilkens bronze.

Nas eliminatórias, Phelps fez o segundo tempo e caiu na raia 5, Vendt ao seu lado, na 4. Na época, ainda não se usavam muito os trajes de corpo inteiro, apenas as bermudas. Phelps, já era profissional, atleta da Speedo desde o ano anterior, e nadou com seu jammer Fastkin.

Na prova, Phelps toma a frente, passa o borboleta em primeiro, fortes 55.97, Vendt virou longe em 58.57. Depois, Phelps abre uma grande vantagem no costas com 1:59.38. Na virada de costas para peito, Phelps estava cerca de três corpos a frente de Vendt. É no peito que as coisas se equilibram com um parcial impressionante de Vendt de 1:10.87, recuperou três segundos. Phelps ainda sai na frente para os últimos 100 metros, mas na virada, Vendt toca primeiro nos 350, apenas 14 centésimos.

A diferença da prova, e chama bastante a atenção, é o início de nado de Phelps, após a última virada. Ele fica num prolongado nado submerso saindo na altura dos 12-13 metros com uma diferença que foi determinante no resultado. Os dois braçada a braçada vão até o final com Phelps tocando em primeiro 4:11.09, Vendt em segundo com 4:11.27, os dois abaixo do recorde mundial anterior de Tom Dolan 4:11.76.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *