Nem Michael Phelps, nem qualquer outro nadador americano conseguiu e consegue tanto espaço e tantas oportunidades na mídia americana.

Vem aí o documentário “In deep with Ryan Lochte” a ser exibido a partir de 15 de julho na rede americana NBC, mais precisamente na NBCUniversal. A produção é da Peackcock Originals e NBC Sports Films que vão retratar toda a trajetória de Lochte nestes últimos quatro anos.

O documentário vai traçar todo o período de recuperação de Lochte após o incidente nos Jogos Olímpicos do Rio, a perda de patrocínios até chegar ao momento atual, onde tenta aos 36 anos de de idade a sua quinta Olimpíada, agora casado, com dois filhos e uma nova atitude.

Vai ser mais uma entre tantas aparições de Lochte em programas de TV. Antes, fora aparições esporádicas, Lochte ganhou o seu próprio reality show “What would Ryan Lochte do”. Este, acabou sendo um grande fracasso. Era uma sequência do seu dia a dia, no modelo “Lochte de viver” e seu tradicional “Jean”, expressão que ele mesmo criou e utilizava diariamente. Acabou durando apenas cinco semanas e cancelado logo na primeira temporada.

Depois dos Jogos do Rio 2016, mesmo com toda a exposição negativa, Lochte participou da temporada do “Swim with the stars”. Fez dupla com a dançarina Cheryl Burke, ficou por oito semanas no programa e terminou em sétimo lugar.

Em 2017, Lochte fez uma ponta no cinema. Em filme de Sharon Stone, Lochte apareceu no “Little something for your birthday”.

No ano passado, Lochte esteve no Celebrity Family Feudalizando com sua esposa Kayla. Antes, também apareceu no Celebrity Big Brother e terminou em 10o lugar após 10 dias.

Lochte também aparece com frequência nos sites de celebridades. Quase todas suas notícias são lançadas no TMZ e afins.

Ame ou odeie, Lochte é o herói e anti-herói americano. Tudo com ele é produzido e bem divulgado. No ano passado, quando perdeu peso, a notícia foi inflada com números distintos para diferentes meios de comunicação.

A tentativa de sua quinta Olimpíada, se confirmada, fará de Lochte o mais velho nadador americano em Jogos Olímpicos. Para isso, ele treina com Gregg Troy em Gainesville, onde viveu os melhores momentos da carreira entre 2004 a 2013.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *