2019 foi um ano mágico para Vladislav Grinev, velocista russo de 23 anos de idade. Ela já fazia parte da Seleção da Rússia, mas sempre entrava como um dos integrantes dos revezamentos. Tudo mudou no Campeonato da Rússia em abril do ano passado, com 47.43 ele quebrou o recorde nacional dos 100 metros nado livre que já durava 10 anos, desde a era dos trajes.

Depois disso, muitos bons resultados e se firmou como o melhor nadador de 100 livre do país. No Mundial de Gwangju, Grinev foi bronze na prova além de prata no 4×100 livre e bronze no 4×100 medley.

Hoje, Grinev foi apontado pelo Ministério da Defesa da Rússia como o prêmio “Melhor Atleta Militar do Ano” em reconhecimento a performance dele nos Jogos Mundiais Militares, que aconteceram em Wuhan, na China, em outubro do ano passado. Foram seis medalhas, três ouros, uma prata e dois bronzes. Nos 50 e 100 livre, Grinev venceu deixando o brasileiro Pedro Spajari com a medalha de prata.

Grinev é treinado por Vladimir Nucubidze e como todos os atletas russos seguem em quarentena. Hoje, o Ministério do Esporte anunciou que os centros de treinamento do país não irão abrir em maio e no futuro será determinado ou não a abertura para o mês de junho.

A Rússia ocupa hoje uma das piores curvas na Pandemia do Coronavírus.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *