Impressionante a história que vou descrever abaixo e está na edição de hoje da revista The Weekend Australian Magazine que faz parte do jornal australiano The Australian que circula todos os sábados. O título já diz muito: “Dirty pool”, piscina suja.

A matéria é assinada por Luke Slattery e traz o drama vivido pelo nadador australiano Mack Horton e sua família desde os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Basicamente, a rivalidade Horton e o chinês Sun Yang se tornou algo obsessivo para uma legião de fãs chineses, seja de forma organizada ou não, os detalhes são assombrosos.

Tudo começa em 2016, as vésperas dos Jogos Olímpicos do Rio, Horton indica insatisfação pela presença de Yang na competição. Segundo ele, deveria ter cumprido uma pena maior pelo caso de doping de 2014 onde só recebeu três meses de suspensão. A rivalidade ganhou proporções maiores quando os dois se encontraram na piscina de aquecimento, dias antes de começar a competição. Yang tentou cumprimentá-lo, e com a negativa de Horton, jogou-lhe água no rosto. Era o que faltava para ser intensamente propagado pela mídia.

Dias depois, Horton ganhou a medalha de ouro nos 400 metros nado livre batendo Sun Yang nos últimos 50 metros. No pódio, por iniciativa de Yang, os dois se cumprimentaram, parecia ter terminado, só parecia.

De acordo com a reportagem, os pais de Horton, Andrew e Cheryl passaram a ser acompanhados por seguranças durante a competição no Rio de Janeiro. Foi uma orientação do sistema de inteligência. Isso logo após a residência da família ser atacada em Melbourne. O filho menor, Chad Horton, estava em casa quando uma pedra quebrou o vidro da residência.

Depois disso, computadores hackeados, constantes ataques virtuais, incluindo ameaças de morte, veneno nas plantas da casa, fezes de animais jogadas sobre a cerca no quintal e até mesmo um balde cheio de vidro quebrado no fundo da piscina da casa.

Mesmo contactando as autoridades, Andrew Horton, pai de Mack, recebia uma constante ameaça por telefone com uma pessoa indicando que vai fazer alguma coisa com a sua filha. Detalhe, os Hortons não tem filha.

 

 

A rivalidade já existia e foi exacerbada no Mundial de Gwangju. Horton se negou a subir ao pódio nos 400 livre para a tradicional foto com Sun Yang, após ficar com a medalha de prata. Foi o suficiente para mais e mais ataques. Milhares de mensagens invadiram redes sociais, emails atacando o nadador e sua família.

De acordo com as autoridades australianas, especificamente o Department of Foreign Affairs and Trade, um total de 9 mil mensagens agressivas foram enviadas inclusive aos departamentos consulares e devidamente bloqueados.

A família Horton pensa que é algo planejado, e organizado. É uma milícia pró-Sun Yang e o filho virou o alvo por ser o maior oponente do nadador chinês.

Além da proximidade geográfica, existem cerca de 1,2 milhões de chineses vivendo na Austrália, 41% aproximadamente nascidos na China. Muitos dos ataques recebidos, de acordo com as investigações, seriam de estudantes chineses com vistos de permanência temporária no país. Na matéria, não há indicação de qualquer prisão feita até agora.

Para consultar a matéria da revista australiana clique aqui.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *