Desde 2013, Madeline Groves está no pódio dos 200 metros borboleta nos campeonatos nacionais da Austrália. Em 2016, nos Jogos do Rio, o seu ápice com a medalha de prata, atrás apenas da campeã Mireia Belmonte da Espanha. Depois da Olimpíada, após diversos sintomas, Groves fez a sua primeira cirurgia, e ainda recuperou em tempo para estar no time do Commonwealth Games de 2018.

Os sintomas voltaram, e a adenomiose, uma condição na qual o revestimento interno do útero (endométrio) se rompe através da parede muscular do útero, precisava de outra cirurgia. Era inevitável.

O que poderia ser o fim da sua carreira, fazer uma cirurgia como esta a poucos meses dos Jogos, deu nova esperança com a mudança para 2021. Groves já não está mais com seu treinador de longa data, Michael Bohl, agora vai treinar na English Grammar School com Phil Lutton, o técnico de Emily Seebohm e da nova sensação do costas australiano, Minha Atherton.

Os australianos farão apenas uma seletiva, e a exemplo dos americanos, será faltando pouco mais de um mês para os Jogos de Tóquio, em 2021.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *