Bronca grande, estamos falando em 2,7 bilhões de dólares em cálculo aproximado para o custo da mudança de data dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020 para 2021.

O problema tem se intensificado na hora que começam a chegar as contas para pagar. De acordo com fontes do COI, no contrato assinado pela cidade de Tóquio, no dia 7 de setembro de 2013, quando ganhou o direito de sede, estaria sob sua responsabilidade tal tipo de despesa.

Na manhã de terça-feira em Tóquio, uma possível declaração do Primeiro Ministro Shinzo Abe indicando que o Japão iria pagar a conta deflagrou uma reação bastante negativa no país.

Poucas horas depois, o Chefe do gabinete de Abe, Yoshide Suga corrigiu o próprio Primeiro Ministro indicando que não há esta condição e que este montante será de responsabilidade do COI.

Não demorou muito para a própria Governadora de Tóquio Yuriko Koike engrossar a controvérsia indicando que a cidade não tem capacidade para arcar com tal despesa.

Esta discussão deve seguir por meses. De qualquer forma, a declaração de Shinzo Abe que havia sido postada no site do Comitê Olímpico Internacional já foi retirada.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *