Saiu o resultado do Painel de Doping da nadadora paralímpica Patrícia Pereira dos Santos que testou positivo na véspera dos Jogos Para Pan Americanos de Lima, no ano passado. Patricia apresentou resultado analítico adverso para as substâncias Hidroclorotiazida e SARM LGD4033 e deixou a competição após disputar duas provas e ganhar duas medalhas, prata nos 50 metros nado livre e bronze nos 100 metros nado livre classe S5 (S4-5).

Na decisão do Painel, o teste de Patricia foi identificado como involuntário e não intencional. Mesmo com a ausência de dolo, a nadadora recebeu uma suspensão de 12 meses pela negligência com o período iniciando no dia 21 de agosto de 2019 e encerrando no dia 20 de agosto deste ano. Com a mudança das datas dos Jogos Paralímpicos para 2021, Patricia volta a ter chances de fazer parte da Seleção Brasileira de Natação.

Sempre alegando inocência, Patricia inicialmente pensou sido um processo estético a razão para a possível contaminação. Na sua defesa, a nadadora submeteu todos os 16 suplementos que ingeriu na época, oito antes da viagem e outros oito durante a viagem do Parapan, além das substâncias utilizadas no procedimento estético.

Na análise do laboratório da UFRJ dois suplementos produzidos em farmácia de manipulação apresentaram contaminação para as substâncias indicadas e laudo fez parte do processo de defesa da nadadora que teve José Rubens de Macedo Soares como seu advogado.

Patricia Pereira dos Santos, 42 anos de idade, é atleta da classe S4 da natação paralímpica e fez parte da equipe do Brasil nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 onde integrou o time medalhista de prata no revezamento 4×50 metros nado livre misto. Patricia treina com Leonardo Miglinas no Álvares Cabral, em Vitória, Espírito Santo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *