A WADA publicou o seu relatório de análise da conduta do teste de controle de dopagem dos Jogos Pan Americanos de Lima, no ano passado. O chamado IO, Observador Independente, é um programa que a WADA introduziu desde os Jogos Olímpicos de Sydney em 2000. Uma equipe da WADA circula acompanhando todo o trabalho de coleta e armazenamento de controle durante a competição.

Em Lima, o grupo do IO esteve em 19 instalações esportivas e acompanhou a disputa de 34 modalidades. No relatório de 33 páginas são listados 21 casos positivos em andamento. Dos 21 casos, natação é o esporte com maior número de análise adversa, com quatro. Ciclismo vem na sequência com três e beisebol com dois. No total, foram feitas 1.912 coletas de sangue e urina no Pan de Lima.

Na natação:
249 testes
177 de urina após as provas
42 de urina antes do início da competição
26 de sangue após as provas
4 de sangue antes do início da copetição

Os nomes dos 21 atletas que testaram positivo, por regra, não podem ser divulgados até a configuração do Painel de Doping. Na natação são quatro atletas:
* Uma nadadora que competiu no dia 6 de agosto em provas de velocidade (50 ou 100 metros) por anfetamina
* Um nadador que competiu no dia 6 de agosto em provas de velocidade (50 ou 100 metros) por testosterona
* Uma nadadora que competiu no dia 7 de agosto em provas de velocidade (50 ou 100 metros) por methylphenidate
* Uma nadadora que competiu no dia 10 de agosto em provas de velocidade (50 ou 100 metros) por anfetamina

Na análise do Painel de Doping, e em caso de “falso positivo”, estes nomes dos atletas jamais serão revelados e qualquer punição será imposta. Todos os atletas que testaram positivo já foram notificados.

Veja o relatório completo da WADA:
io_report_2019_pan_am_games

1 responder

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *