Toda segunda-feira a partir desta semana na Best Swimming você tem um relatório de como anda o cenário internacional para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Notas, resultados e informações para se manter atualizado até a Olimpíada.

 

Katsuhiro Matsumoto

Saiu o primeiro recorde nacional da natação pelo mundo em 2020. Foi no Japão, Katsuhiro Matsumoto na prova dos 400 metros nado livre marcando 3:37.94 em piscina curta. O recorde anterior era de Naito Ehara de fevereiro de 2017 com 3:38.00. Matsumoto foi medalha de prata nos 200 metros nado livre do Mundial de Gwangju com 1:45.22 atrás apenas do chinês Sun Yang que venceu a prova com 1:44.93. Matsumoto agora detém três recordes nacionais japoneses: 200 e 400 metros nado livre em piscina curta e 200 metros nado livre em piscina longa, a marca de Gwangju.

 

 

Um belo artigo na Venezuela faz uma projeção de quantos nadadores poderão chegar a Tóquio. Na previsão até quatro atletas, incluindo piscina e águas abertas. Veja o link da matéria abaixo:

 

 

A Federação de Natação do Quênia é a primeira federação a ser punida e está fora da disputa da natação dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A decisão da FINA foi em virtude da federação não ter cumprido os procedimentos referentes as regras da entidade e da constituição. Pelas regras, a federação deveria ter realizado eleições em 2018. Mesmo suspensos, o Quênia poderá ter nadadores na Olimpíada, seja por universalidade ou pelos índices, mas competirão sob a bandeira do Comitê Olímpico Internacional.

 

Dean Boxall, treinador de Ariarne Titmus e Mitchell Larkin na Austrália, colocou uma placa onde se lê “Tokyo 2020” pendurada na raia 5 da St. Peters Western School onde treinam. Segundo ele, é para os nadadores não deixarem de estar com a mente sempre focada no maior objetivo.

 

 

Petter Lovberg, atual head coach da Seleção da Noruega, renovou seu contrato até os Jogos Olímpicos de Paris 2024.

 

 

Hong Kong anunciou uma premiação milionária para quem for medalhista nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Uma medalha de ouro vai valer 644 mil dólares, uma de prata 322 mil dólares e um bronze 161 mil dólares. Vale destacar que na Olimpíada do Rio, Hong Kong passou batido, não ganhando nenhuma medalha. Na história da participação do país em Olimpíadas, desde 1952, são apenas três medalhas, uma de cada cor. O último medalhista olímpico do país foi Lee Wai Size no ciclismo, medalha de bronze.

Como comparação, um ouro vai valer 37 mil dólares para os atletas americanos, uma prata 22.500 dólares e uma medalha de bronze 15 mil dólares.

 

 

Luca Urlando, campeão mundial júnior, e um dos destaques da nova geração da natação americana sofreu uma lesão séria, deslocou o ombro e ficará dois meses afastado dos treinamentos.

Competições desta semana:

14 e 15 de janeiro, Copa dos Campeões, em Shenzhen, China

16 a 19 de janeiro, Troféu Cidade de Terrasa, na Espanha

16 a 19 de janeiro, TYR Pro Swim Series, em Knoxville, nos Estados Unidos

18 e 19 de janeiro, Flanders Cup, na Antuérpia, Bélgica

18 e 19 de janeiro, Copa dos Campeões, em Beijing, China

Vídeos em destaque da semana:

Daiya Seto em comercial novo pela Arena Japão

 

Um pouco do treino da holandesa Femke Heemskerk

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *