Katie Ledecky estava doente, depois de perder os 400 livre ficou de fora dos 1500 livre e dos 200 livre. Voltou para reforçar o time americano que entrou na água em busca de recuperação, afinal as australianas que já haviam vencido o 4×100 livre eram ainda mais favoritas para o 4×200. 

Ariarne Titmus, campeã dos 400 e vice nos 200, abriu o revezamento e colocou a equipe logo na frente com 1:54.27, melhor do que havia feito na prova individual. Madison Wilson foi a segunda a pular na água e enfrentou Katie Ledecky. A americana foi atrás e tomou a liderança com parcial de 1:54.61 contra 1:56.73 de Wilson. 

Brianna Throssell tirou pouca diferença, fez parcial de 1:55.60 contra 1:55.81 de Melanie Margalis dos Estados Unidos. Ficava para Emma McKeon a responsabilidade de recuperar. Ela que foi medalhista olímpica desta prova e que optou por não nadar a distância no individual. 

Missão dada, missão cumprida. Emma McKeon fechou com 1:54.90, Katie Mc Laughlin fechou com 1:55.36 para o time americano. Austrália campeã e recordista mundial com 7:41.50, americanas em segundo novo recorde das Américas, 7:41.87. As duas equipes abaixo do recorde mundial da China 7:42.08 desde o Mundial de Roma em 2009. 

AUSTRÁLIA 4×200 LIVRE FEMININO, o Revezamento do Ano do Troféu Best Swimming 2019. 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *