Se esta categoria não fosse do Brasil, mas Mundial, o resultado seria o mesmo. Ana Marcela Cunha fez um ano incrível, uma temporada impressionante. Não é a toa que recebeu a unanimidade do Painel de Especialistas. Não é a toa que vai ser consagrada pela sexta vez, a maior vencedora da história, pela FINA, a melhor do mundo. 

Ana Marcela tem muito para comemorar os feitos de 2019. Segue como a mulher brasileira mais medalhista da história em Campeonatos Mundiais, em todos os esportes. Com os ouros de Gwangju nos 5 e 25 quilômetros chegou a 10 medalhas em Mundiais. 

Mesmo ausente em duas provas, por conflito de calendário, terminou o Circuito do FINA Marathon Swim Series como vice campeã e abriu vantagem como a maior vencedora de provas da história da competição. 

O ano ainda teve conquistas inéditas como campeã americana, campeã panamericana, campeã mundial militar e campeã do mundial de praia. Feitos e mais feitos que tem consagrado Ana Marcela como uma das melhores da história. 

Este coroamento pode (e deve) ser feito em Tóquio 2020. Só falta a medalha olímpica e nas braçadas de Ana Marcela Cunha estão uma das maiores esperanças de pódio do esporte brasileiro para a Olimpíada. 

Também foram apontadas, sem votos do Painel, Betina Lorscheitter do Corinthians e Viviane Jungblut do União. 

ANA MARCELA CUNHA, Melhor nadadora de Águas Abertas do Brasil no Troféu Best Swimming 2019. 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *