50 anos comemorados de forma emocionante e com resultados bem expressivos. Assim foi o Troféu Chico Piscina 2018, que no ano passado aconteceu em setembro, dias 27 a 29. A competição acabou sendo antecipada uma semana por conta do conflito com as eleições majoritárias e o impedimento para uso das escolas como alojamento.

A Mocoquense se esforçou e fez um torneio incrível, até inesquecível. Trouxe Lucas Salatta, o maior vencedor da história da competição para fazer a premiação de Murilo Sartori, que com as duas vitórias nos 200 e 400 livre, se igualou e agora os dois são os maiores vencedores da competição. Outro nome que também apareceu foi Pedro Spajari, maior nome da natação local, integrante da Seleção Brasileira que até fez uma disputa contra os melhores velocistas do torneio.

Murilo Sartori ainda se tornou no primeiro duplo tetra campeão, vencendo os 200 e 400 livre, e Aime Louise de Brasília ao vencer os 50 livre também se adicionou ao seleto grupo de tetras do Chico Piscina.

 

Murilo Sartori e seu treinador Fábio Cremonez

 

Competição teve 12 recordes batidos, dois recordes brasileiros de categoria, 50 livre Infantil II feminino com Stephanie Balduccini de São Paulo 26.61 e 400 livre Juvenil I masculino com Gustavo Saldo do Paraná e 3:56.94, e outros 10 recordes de campeonato.

Nenhum nadador teve três vitórias individuais, mas 10 conseguiram ganhar duas provas: Stephanie Balduccini e Giovana Reis de São Paulo no Infantil feminino, Lucas Tudoras e Stephan Steverink de São Paulo no Infantil masculino, Fernanda Celidônio e Aimê Louise de Brasília, Sofia Rondel de São Paulo no Juvenil feminino, Murilo Sartori e Lucas Souza de São Paulo e Victor Baganha de Minas Gerais no Juvenil masculino.

Sartori poderia ter chegado a 11 vitórias no Chico Piscina, mas perdeu os 200 metros medley para Victor Baganha. O nadador deixou a Seleção Paulista e a competição chorando, na despedida do torneio e a caminho de se apresentar a Seleção Brasileira que iria disputar os Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, na Argentina. Lá, Sartori chegou a final dos 200 metros nado livre.

 

Aimê Louise tetra campeã nos 50 livre

 

São Paulo venceu as categorias Infantil e Juvenil, chegou ao seu 25o título da competição, o 17o consecutivo. A equipe foi absoluta no quadro de medalhas, 37 conquistas, 26 delas de ouro. A Seleção da Argentina ficou em segundo com 5 ouros em 25 medalhas e o Distrito Federal em terceiro com 4 ouros em 10 medalhas.

Na contagem de pontos, São Paulo 528 pontos, Rio de Janeiro vice 292 pontos e Argentina em terceiro com 283 pontos.

Link dos resultados completos de 2018:
http://www.cbda.org.br/cbda/natacao/evento/32665/campeonato-internacional-infantil-e-juvenil-de-natacao

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *