Brasil terminou com mais cinco medalhas no último dia, um ouro muito celebrado com a vitória de Guilherme Costa nos 1500 metros nado livre. Confira o resumo prova a prova:

1500 metros nado livre feminino –
A argentina Delfina Pignatiello completou a sua trinca, venceu os 1500 metros nado livre, sua terceira vitória individual na competição, a única entre todos os participantes deste Pan. Depois dos 400 e 800 livre, foi a vez de levar os 1500 com 16:16.54, a estreia da prova na competição em tempo que fica estabelecido como o recorde de campeonato. Um tanto distante do seu melhor, os 15:51.68 feitos na Europa no mês passado, mas o suficiente para bater a chilena Kristel Kobrich que chegou na segunda colocação com 16:18.19. Aos 34 anos de idade, Kobrich se tornou na primeira (e única) nadadora a vencer uma medalha em Panamericano com 16 anos de intervalo. Foi sua quinta medalha em Panamericanos, um ouro, duas pratas e dois bronzes desde 2003. A americana Rebecca Mann que entrou na prova para substituir Haley Anderson que foi para o teste evento das águas abertas terminou no terceior lugar com 16:23.23. Viviane Jungblut ficou em quinto lugar 16:30.00 e Ana Marcela Cunha na sétima colocação com 16:39.83.

200 metros medley feminino –
Dobradinha americana, as duas na casa dos 2:11 e alternando posições na disputa. No final, melhor para Alexandra Walsh vencendo com 2:11.24 e Meghan Samll em segundo com 2:11.36. A canadense Bailey Andison ficou em terceiro com 2:14.14.
A brasileira Camila Lins ficou a oito centésimos do seu melhor terminando na sétima colocação com 2:17.22. Parciais da brasileira:
29.54, 1:04.13 (34.59), 1:44.03 (39.90), 2:17.22 (33.19).
Na final B, Gabrielle Roncatto ficou em 13o lugar com 2:22.61.

200 metros medley masculino –
A estratégia era atacar nos dois primeiros parciais e tentar sustentar o ataque do americano William Licon. Tanto Caio Pumputis como Leonardo Santos fizeram, mas não conseguiram segurar até o final. Vitória de Licon, o campeão dos 200 peito, agora dos 200 medley com 1:59.13. Caio Pumuputis e seu peito no sacrifício ficou em segundo com 2:00.12 e Leonardo Santos e seu peito mais fraco em terceiro com 2:00.29.
As marcas não foram fortes e ficou aquele gosto da chance e oportunidade perdida pelos brasileiros. Parciais dos dois na prova:
Pumputis 25.39, 55.75 (30.36), 1:30.30 (34.55), 2:00.12 (29.82)
Santos 25.72, 55.51 (29.79), 1:31.08 (35.57), 2:00.29 (29.21)

1500 metros nado livre masculino –
Depois de um resultado sofrível e distante do seu melhor no Mundial de Gwangju, Guilherme Costa precisava organizar e voltar a colocar os fundamentos do seu treino no programa. E com poucos dias de trabalho assim foi feito. Mesmo sem a presença física de seu técnico Rogério Karfunkelstein que estava no Rio acompanhando o seu pai enfermo, Guilherme cumpriu um programa para resgatar o que tem de melhor na prova em que é recordista sul-americano. Os ajustes feitos e Guilherme nadou de ponta a ponta na frente para vencer um ouro que foi dos mais celebrados pela delegação brasileira neste Pan.
Ouro para Guilherme Costa 15:09.93, prata para o americano Nicholas Sweetsser 15:14.24 e bronze para Ricardo Vargas do México 15:14.99.
Diogo Villarinho, o outro brasileiro na prova, chegou em sexto lugar com 15:26.94.
Parciais de Guilherme:
57.63, 1:57.49, 2:58.11, 3:59.17, 5:00.44, 6:01.55, 7:03.00, 8:04.29, 9:05.81, 10:07.55, 11:08.70, 12:09.48, 13:10.60, 14:11.67, 15:09.93.
Parciais de Diogo
58.88, 2:00.11, 3:01.76, 4:03.79, 5:05.62, 6:07.74, 7:10.15, 8:12.21, 9:14.45, 10;16.37, 11:18.82, 12:21.34, 13:34.94, 14:26.55, 15:26.94.

Revezamento 4×100 metros medley feminino –
Deu bronze para o Brasil com 4:04.96. Parciais do time brasileiro Etiene Medeiros 1:00.99 de costas, Jhennifer Conceição 1:08.39 de peito, Giovanna Diamante 1:00.52 de borboleta e Larissa Oliveira fechando de crawl com 55.06.
Vitória fácil para o time americano com 3:57.64 e prata para o Canadá com 4:01.90.

Revezamento 4×100 metros medley masculino –
A prova seria difícil e a Best Swimming já havia antecipado. E foi. Estados Unidos e Brasil fizeram um belo duelo com ambas as equipes destruindo o recorde panamericano que era do Brasil de 3:32.68. Vitória americana 3:30.25 contra 3:30.98 do Brasil, quase o mesmo tempo que fizemos na final do Mundial de Gwangju.
No costas, Guilherme Guido abriu na frente 53.70 contra 53.95 de Daniel Carr. No peito foi a vez dos americanos nadarem melhor, Nic Fink que não havia nadado a prova dos 100 peito fez 58.56 contra 58.86 de João Gomes Jr. Quando Tom Shields pulou na água para o parcial de borboleta, a vantagem americana era de quatro centésimos, quando entregou era de 77 centésimos. Shields fez o parcial de 50.40 contra 51.13 de Vinicius Lanza. Marcelo Chierighini foi até mais rápido do que Nathan Adrian 47.29 contra 47.33, mas não o suficiente para bater o time americano.
Ouro para os Estados Unidos com recorde panamericano, prata para o Brasil e bronze para a Argentina com 3:38.41 novo recorde nacional.

10.08.2019 – Jogos Panamericanos Lima 2019 – Lima (PER) – VIDENA – Natação –
na foto: Natação celebra 30 medalhas nos jogos Pan-americanos de Lima 2019
Foto: ©Wander Roberto/COB

Resultados completos:
https://www.lima2019.pe/en/results

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *