Algumas notas da última Convenção Mundial da FINA, a chamada Golden Clinic, em Hangzhou, na China, as vésperas do Campeonato Mundial de Piscina Curta:

Peter Andrew, África do Sul, pai e treinador de Michael Andrew (USA)
“O cérebro controla tudo, e a fadiga é apenas um estado mental, não é algo do corpo. Treinamento com fontes diversas produz diversos resultados, assim, nós não misturamos. Nunca vamos treinar algo que não fazemos quando nadamos”.

Nigel Redman, Grã-Bretanha, Diretor de Performance da British Swimming
“Na natação, o erro para o sucesso é mínimo”.
Nos Jogos do Rio 2016, por sete vezes os britânicos chegaram em quarto lugar. A soma total da diferença deles para o medalhista de bronze foi de 0.76 segundos, cerca de 1,4 metros. Na sua tese, milímetros de melhora nestes quatro anos podem representar futuras medalhas nos próximos Jogos.
Os nadadores britânicos tiveram suas melhores marcas fora dos Jogos de Londres 2012 em 75%, no Rio 2016 este percentual caiu para 70%.

Sebastian Weber, autor do software INSCYD para análise de lactato
“A performance de um nadador pode ser diferente de um dia para o outro mesmo que o tempo alcançado seja o mesmo”.

Tristan Lehari, Canadá, criador do programa Tritonwear
“67% dos atletas de alta performance se lesionam todos os anos. Ajustes técnicos podem minimizar ou até eliminar tais riscos”.

David Lush, Austrália, treinador de Emily Seebohm
“Ser treinador não é um compromisso social, é estar comprometido 100%”.

David Gerrard, Nova Zelândia, médico da Federação da Nova Zelândia
“A relação treinador-comissão multidisciplinar precisa ser de engajamento, respeito em cada uma das áreas de sua especialidade”.

Kevin Boyd, médico na Grã-Bretanha
“Polo aquático foi o quarto esporte com maior incidência de lesões durante os Jogos Olímpicos do Rio 2016 com 19,4%. Natação, uma das mais baixas com apenas 2,5%”.
“Nadadores chegam a fazer um milhão de movimentos de braçadas por ano, algo que nosso corpo não foi preparado para fazer. O fortalecimento não é uma opção, é uma obrigação”.

John Atkinson, Canadá, Diretor de Alta Performance da Swimming Canadá
“Precisamos ter 48 semanas de treinamento por ano e duas semanas de campeonato nacional a cada temporada”.

Xu Guoy, China, treinador da Seleção da China
No treinamento de Shiwen Ye e seus 400 metros medley “Utilizamos seu melhor tempo na prova mais 10 segundos e séries com intervalos decrescentes”.
No treinamento de Xu Jiayu e seus 100 metros costas “Trabalhamos diariamente em educativos e trabalho técnico. Fazíamos séries de 8×50 sempre com 24 ciclos de braçadas e nadando para 28 segundos”.
“Somente trabalhando um melhor posicionamento na água, conseguimos reduzir um ciclo a cada 50 metros de Jiayu (de 27 para 26) o que representou a sua vitória em Budapeste”.
“O treinamento deve ser feito e planejado de acordo com o ritmo a ser utilizado na competição”.
“Eu não discuto meu programa de treinamento com meus atletas, eles apenas executam”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *