FABIOLA MOLINA

Hoje é a festa é sua, hoje a festa é nossa, é de quem quiser…

 

Fim de ano, como a embalada mensagem cantada todos os anos na Globo é assim é festa. Por pior que tenha sido o ano, a esperança da virada se sobrepõem a tudo isso. Aliás, não tem nada melhor que defina o fim de ano do que a palavra “virada”.

 

Não é só virar o 31 pelo 01, nem o 2018 pelo 2019, é principalmente acreditar em poder realizar sonhos, conquistas ou planos. Por mais difíceis, complicados e até mesmo fáceis e simplórios que possam ser.

 

Tem gente que pula onda, outros vestem amarelo, branco, come lentilha, pula sete ondas, seja o que for, o que vale é a esperança.

 

Que esta virada cheia de esperança nos traga alegrias e realizações. Que consigamos superar nossas diferenças, um ano carregado de tanta intolerância ao qual conseguimos sobreviver. No nosso esporte, não é diferente. Vivenciamos alguns dos anos mais conturbados da nossa modalidade e embora ainda existam arestas e situações a serem aparadas, nos resta a esperança.

 

2019 tem tudo para ser um grande ano. Aliás, isso a gente fala todo início de ano, e desta vez, não vai ser diferente. Temos Jogos Pan Americanos, e a gente ama Pan! A gente gosta mesmo é de medalhas. E o Pan nos enche delas.

Também tem o Mundial de Longa, e segundo os céticos (e realistas), é o que vale! E vale mesmo. Temos um grupo novo, renovado, mas ainda nos restaram alguns veteranos que seguem nadando rápido. Vamos ter um desafio a cumprir para cruzar o mundo e sair da Coreia do Sul e chegar poucos dias antes de nadar no Pan.

 

Este ano é ano para garantirmos nossos revezamentos nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Precisamos terminar entre os 12 primeiros que disputarem as provas no Mundial de Gwangju, e os que não estiverem por lá (provavelmente alguns femininos) precisam fazer grandes marcas no Pan. Os tempos nos colocarão em destaque no ranking mundial para as quatro vagas da repescagem.

 

O ano também tem Sul-Americano Juvenil e o Mundial Júnior para a nova garotada, mas o bom mesmo será o Mundial Júnior em Budapeste, na Hungria, em agosto.

 

Nas águas abertas, o ano é olímpico! Sim, os sonhos de Tóquio 2020 para a natação é no próximo ano. Para os maratonistas é agora!

 

Os homens ainda passam por uma seletiva em Doha, e depois dois representantes de cada sexo nadam em Gwangju. O objetivo é terminar entre os 10, e aí garantir vaga na Olimpíada. O sonho olímpico da modalidade começa e pode terminar este ano.

 

Assim, quando o relógio bater meia noite, os fogos estourarem lá fora, pode ter certeza de que esta garotada vai estar pensando, sonhando. Que a virada nos traga toda a esperança e que estes sonhos possam se tornar realidade.

 

A Família Best Swimming deseja a todos um grande ano, uma super temporada, cheia de realizações. Aqui estaremos, junto com vocês, para comemorar, relatar e até mesmo sofrer com tudo o que vier.

 

Feliz Ano!

 

Deixe uma resposta