Campeonato Europeu, em agosto, em Glasgow, na Escócia. O britânico Adam Peaty foi absoluto e fez a melhor performance do ano de forma controversa. Peaty bateu o recorde mundial com 57.00 e menos de 24 horas depois, a LEN, Liga Europeia de Natação reconheceu um mal funcionamento no sistema de cronometragem eletrônica e foi necessário um ajuste de 10 centésimos. Assim, o recorde foi registrado como 57.10. A marca anterior de Peaty era de sua vitória nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 com 57.13. A FINA reconheceu o recorde e o ajuste feito pela LEN e a marca está homologada.

 

 

MELHOR PERFORMANCE EM PISCINA DE 25 METROS

 

Escolhida pela FINA como a melhor performance do ano. O chinês Xu Jiayu venceu os 100 metros costas na etapa da Copa do Mundo de Tóquio, no Japão, com 48.88. A marca apagou os 48.90 do russo Kliment Kolesnikov estabelecida no ano passado na Rússia.

 

 

MELHOR PERFORMANCE BRASILEIRA EM PISCINA DE 50 METROS

Havia uma grande expectativa para os nadadores de 100 metros nado livre do Brasil no Pan Pacífico em Tóquio, no Japão. A expectativa não se confirmou. Nadamos mal. Quando a equipe foi para a prova do 4×100 metros nado livre, se nossos nadadores repetissem a performance que se viu na prova individual, o Brasil terminaria em quarto.

Nada disso, a equipe brigou pelo título. Venceu, é verdade que beneficiado pela desclassificação do time americano, mas esteve na briga e superou os maus resultados das provas anteriores.

A equipe brasileira que termina o ano de 2018 como número um do mundo teve os parciais de Gabriel Santos 48.93, Marcelo Chierighini 47.62, Marco Antonio Ferreira Jr. 48.53 e Pedro Spajari 46.94.

 

MELHOR PERFORMANCE BRASILEIRA EM PISCINA DE 25 METROS

Um resultado que superou qualquer expectativa, nacional ou internacional. O Brasil fez história no Campeonato Mundial de Piscina Curta ao apagar o recorde sul-americano do revezamento 4×200 metros nado livre em quase oito segundos, o recorde mundial em quase três segundos. Uma equipe que lutava por medalha fez história em prova onde as três primeiras equipes nadaram abaixo do recorde mundial.

O revezamento 4×200 livre do Mundial de Hangzhou vai ficar marcado para sempre nos parciais de Luiz Altair Melo 1:42.03, Fernando Scheffer 1:40.99, Leonardo Santos 1:42.81 e Breno Correia 1:40.98.

 

 

MELHOR PERFORMANCE BRASILEIRA DE NATAÇÃO DE BASE

31 anos, quatro meses e três dias, foi isso que durou o mais antigo recorde brasileiro. Uma marca inesquecível que deu a Cristiano Michelena a medalha de prata nos 400 metros nado livre nos Jogos Pan Americanos de Indianápolis, Estados Unidos, no dia 13 de agosto de 1987, 3:55.37.

 

No dia 15 de dezembro de 2018, Murilo Setin Sartori apagou esta marca. Venceu o Campeonato Brasileiro Juvenil, na piscina do Grêmio Náutico União, em Porto Alegre, marcando os incríveis 3:52.03. Um de seus tantos recordes nacionais de categoria batidos este ano e nos anos anteriores, mas sem dúvida, este muito especial. A performance de 2018 na natação de base do Brasil.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *