1) Maria Lenk 400 metros peito 11 de outubro de 1939 6:15.80

Foi o primeiro recorde mundial batido por um nadador sul-americano, homem ou mulher. Maria Lenk vinha fazendo marcas muito próximas aos recordes mundiais nos treinos e foi durante o 5o Concurso de Natação da Liga de Natação do Rio de Janeiro, piscina de 25 metros do Botafogo, Maria Lenk que representava o Club de Regatas Guanabara estabeleceu a nova marca 6:15.8.

Maria Lenk nadou o borboleta, que na época ainda era aceito como nado peito, ela foi a pioneira do continente para a recuperação dos braços feitos por fora d’água.

O recorde anterior era de uma nadadora alemã, M. Genegnger com 6:19 feitos no dia 30 de junho de 1939, também em piscina de 25 metros. Na época, recordes poderiam ser quebrados tanto nas piscinas de 25 como 50 metros.

A marca de Maria Lenk não demorou muito, a dinamarquesa I Sorensen no ano seguinte, em agosto de 1940, nadou para 6:16.5 tirando o recorde da brasileira.

 

2) Maria Lenk 200 metros peito 8 de novembro 1939 2:56.90

Um mês depois do primeiro recorde, na mesma piscina de 25 metros do Botafog, Maria Lenk agora quebrava o recorde da prova olímpica dos 200 metros nado peito. Utilizando a sua técnica de recuperação de braços por fora, nadou a prova para 2:56.0, superando o recorde da holandesa Jopie Waalberg que havia sido feito há dois anos. A marca de Maria Lenk, desta vez, ficou imbatível por mais tempo, somente em 19 de março de 1941 que a alemã Anni Kapell conseguiu quebrar marcando 2:55.5 no Campeonato Alemão em Dusseldorf.

 

 

3) Manoel dos Santos 100 metros nado livre 53.6 20 de setembro de 1961

Depois de conquistar a medalha de bronze nos Jogos Olímicos de Roma em 1960, Manoel dos Santos fez uma tentativa isolada de recorde mundial na piscina de 50 metros do Club de Regatas Guanabara, no Rio de Janeiro. O recorde era de Steve Clark dos Estados Unidos com 54.4 e Manoel dos Santos conseguiu 53.6.

Foram três anos de recorde, até que o francês Alain Gotvallés no Campeonato Europeu de 1964 nadou para 52.9.

 

4) José Silvio Fiolo 100 metros peito 19 de fevereiro de 1968

Durante o Campeonato Sul-Americano na piscina do Fluminense, no Rio de Janeior, José Silvio Fiolo, com apenas 17 anos de idade, fazia uma grande performance. Sua participação já havia terminado, e o treinador Roberto Pável decidiu marcar uma tomada de tempo na piscina do Guanabara. E lá, Fiolo em estratégia mais controlada, a pedido do seu técnico, nadou para 1:06.4. O recorde era do russo Vladimir Kosinsky de 1:06.7 de 1937.

O recorde de Fiolo durou pouco. Dois meses depois, outro russo, Nikolai Pankin fez em Moscou 1:06.2, novo reocrde mundial.

 

5) Ricardo Prado 400 metros medley 4:19.78 2 de agosto de 1982

Com 17 anos de idade, Ricardo Prado foi a estrela do Brasil no Campeonato Mundial de 1982, em Guayaquil, no Equador. Além da vitória nos 400 metros medley, esteve em outras quatro finais.

Nos 400 medley, Pradinho quebrou o recorde de Jesse Vassalo dos Estados Unidos 4:23.39 feitos há quatro anos no Mundial de 1978.

O recorde de Pradinho durou dois anos, o alemão oriental Jens-Peter Berndt quebrou em 23 de maio de 1984 durante o Campeonato Nacional de seu país com 4:19.61.

 

Recorde mundial 400 metros medley Ricardo Prado

 

 

6) Gustavo Borges 100 metros nado livre piscina curta 47.94 6 de julho de 1993

A fama de piscina rápida para o Internacional de Regatas em Santos sempre existiu, mas atingiu o ápice com a série de recordes quebrados no Troféu José Finkel de 1993.

Gustavo Borges defendendo as cores do Pinheiros se tornou no primeiro homem abaixo dos 48 segundos no Finkel daquele ano ao vencer a prova com 47.94. O recorde era de Michael Gross estabelecido em 1988.

Foi Alex Popov da Rússia que quebrou a marca de Gustavo. Abrindo o ano de 1994, na Copa do Mundo de Hong Kong, Popov marcou 47.83.

7) Revezamento Brasil 4×100 metros nado livre piscina curta 3:13.97 7 de julho de 1993

Entusiasmados com o resultado do Troféu José Finkel, a CBDA decidiu reunir os quatro melhores nadadores do Brasil para fazer uma tentativa de quebra de recorde mundial que aconteceu. A marca era da Suéica 3:14.00 feita em 1989. Gustavo Borges abriu para 48.19, Fernando Scherer 47.95, José Carlos Souza Jr. 49.37 e Teófilo Ferreira fechou para 48.46. Uma arquibancada lotada comemorou o feito.

O recorde seria batido pelo próprio Brasil, cinco meses depois.

 

8) Revezamento Brasil 4×100 metros nado livre piscina curta 3:12.11 5 de dezembro de 1993

Na primeira edição do Campeonato Mundial de Piscina Curta, em Palma de Mallorca na Espanha, o Brasil ganhou quatro medalhas, duas delas de ouro. O revezamento 4×100 metros nado livre ainda veio premiado com novo reocrde mundial. O mesmo time da tomada de tempo do Finkel, mas em ordem diferente, Fernando Scherer, Teófilo Ferreira, Gustavo Borges e José Carlos Souza Jr. nadaram para 3:12.11, 57 centésimos a frente do time americano.

O recorde ficou imbatível por cinco anos, e novamente batido pela equipe brasileira.

 

9) Revezamento Brasil 4×100 metros nado livre piscina curta 3:10.45 20 de dezembro de 1998

Troféu José Finkel de 1998, no Rio de Janeiro, mantendo Gustavo e Xuxa no time, chegada de Carlos Jayme e Alexandre Massura. O Brasil quebra a sua própria marca com 3:10.45. Os parciais Fernando Scherer 47.27, Carlos Jayme 48.49, Alexandre Massura 47.93 e o melhor parcial do mundo para Gustavo Borges 46.76.

A marca ficou um ano e meio intocável, e foi a Suécia que no Mundial de 2000, em Atenas, marcou 3:09.57 que derrubou o nosso recorde.

 

10) Kaio Márcio Almeida 50 metros borboleta piscina curta 22.60 piscina curta 17 de dezembro de 2005

Primeira edição do Troféu Open, piscina do Internacional em Santos. Kaio Márcio abusando do submerso, marca 22.60, baixa a marca que era de Ian Crocker 22.71 feitos no Mundial do ano anterior em Indianápolis.

O recorde de Kaio ficou três anos imbatível até Matt Jaukovic na Copa do Mundo de Sydney em 2008 com 22.50.

 

11) Thiago Pereira 200 metros medley piscina curta 1:53.14 piscina curta 18 de novembro de 2007

Um ano incrível na carreira de Thiago Pereira. Depois de brilhar nos Jogos  Pan Americanos do Rio, onde virou o Mr. Pan, fez boa parte do Circuito da Copa do Mundo com excelentes resultados. Na etapa de Berlim, quebrou o recore mundial dos 200 metros medley com 1:53.14. A marca era de Ryan Lochte do Mundial de Shanghai em 2006 com 1:53.31.

O recorde de Thiago durou apenas um mês. Em dezembro de 2007, no Campeonato Europeu de Curta, Laszlo Cesh da Hungria quebrou para 1:52.99.

 

12) Cesar Cielo 100 metros nado livre 46.91 30 de julho de 2009

O Campeonato Mundial mais recheado de recordes mundiais da história. Foram 43 recordes mundiais, e, entre eles, Cesar Cielo quebrou uma marca que se mantém até hoje.

O recorde era de Alain Bernard feito em abril daquele ano no Campeonato Francês com 46.94. Cielo em performance explosiva no Foro Itálico, em Roma, Cielo passou em segundo com 22.17, três centésimos atrás de Fred Bousquet, mas fechou melhor 46.91, seu primeiro título mundial da carreira.

TROFEU PROF. DALTELY GUIMARAES 2009 – CBDA

13) Kaio Márcio Almeida 200 metros borboleta piscina curta 1:49.04 10 de novembro de 2009

Kaio Márcio fez uma boa campanha no Circuito da Copa do Mundo de 2009. Foram várias vitórias e boas marcas. Em Estocolmo, na Suécia, conseguiu se tornar o primeiro nadador da história a fazer os 200 metros borboleta abaixo dos 1:50. marcou 1:49.11 superando o recorde que era de Nikolay Skvortsov 1:50.53 feito no mesmo ano num torneio na Rússia, nove meses antes.

A marca de Kaio resistiu por quase quatro anos. Foi Chad Le Clos da África do Sul que veio a quebrar em 7 de agosto de 2013, na Copa do Mundo de Eindhoven, na Holanda com 1:49.04.

 

14) Cesar Cielo 50 metros nado livre 20.91 18 de dezembro de 2009

Para terminar o ano, o Open na piscina do Pinheiros, em São Paulo. A expectativa era de que Cielo quebrasse a marca naquela que seria a última competição utilizando os trajes tecnológicos.

Cielo havia batido na trave no Mundial de Roma, fez o recorde das Américas, ficou a 14 centésimos do recorde mundial.

Com uma saída perfeita, aceleração máxima em poucos metros, Cielo marcou 20.91, marca que até hoje está imortalizada com uma placa na piscina do Pinheiros. No próximo ano, o recorde vai completar 10 anos.

 

Recorde mundial 50 livre Cesar Cielo

 

 

 

15) Etiene Medeiros 50 metros costas piscina curta 25.67 7 de dezembro de 2014

Outro recorde brasileiro em vigência, completou quatro anos este mês. Etiene Medeiros se tornou a primeira mulher da natação brasileira a subir ao pódio em Campeonatos Mundiais, subiu no lugar mais alto e ainda com recorde mundial. Nadou para 25.67 no penúltimo dia de competição do Mundial de Doha, no Catar. A marca era de Sanja Jovanovic da Croácia com 25.70 do Europeu de 2009.

 

 

Recorde mundial 50 costas Etiene Medeiros

 

16) Nicholas Santos 50 metros borboleta piscina curta 21.75 6 de outubro de 2018

Nicholas Santos foi convidado pela FINA para fazer duas etapas da Copa do Mundo deste ano. Na etapa de Budapeste, na Hungria, surpreendeu até ele mesmo. Nadou para 21.75 quebrando o recorde do alemão Steffen Deibler 21.80 que ainda resistia desde a Copa do Mundo de Berlim, na era dos trajes, em nveombro de 2009.

 

Recorde mundial 50 borboleta Nicholas Santos

 

 

17) Revezamento Brasil 4×200 metros nado livre 6:46.81 14 de dezembro de 2018

A melhor performance olímpica dos homens no Mundial de Hangzhou. O Brasil amassou o recorde mundial por mais de três segundos em prova onde os três primeiros colocados nadaram abaixo da antiga marca da Rússa 6:49.04 de 2010. O Brasil abriu em segundo com Luiz Altamir Melo 1:42.03, assumiu a ponta com Fernando Scheffer 1:40.99, Leonardo Santos sustentou o Brasil na briga entregando em terceiro com 1:42.81 e Breno Correia tomou novamente a ponta para vencer com 1:40.87.

 

Recorde mundial 4×200 metros nado livre Brasil

 

RECORDES MUNDIAIS DO BRASIL
TOTAL MASCULINO FEMININO INDIVIDUAL REVEZAMENTO LONGA CURTA
17 14 3 13 4 5 12

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *