FABIOLA MOLINA

Resiliência!

Etiene Medeiros teve um ano de muitas dificuldades. Começou operando o ombro e isso lhe custou o primeiro semestre de treinos e competições. Depois uma doença na família que sempre nos afeta.

Para o segundo semestre, Etiene conseguiu ajustar o seu corpo e estava pronta para detonar em Hangzhou. No relato dos treinamentos, Etiene não iria somente em busca do tri campeonato mundial repetindo os títulos de 2014 e 2016, mas estava pronta para bater o seu recorde mundial.

Uma escorregada, uma saída que lhe custou a prova e nem passou a final. Etiene colocou a cara e com toda decepção do mundo não se esquivou e respondeu ao SporTV minutos depois a sua falta de sorte. Estava começando ali a sua recuperação.

48 horas depois, Etiene Medeiros ganhava um bronze histórico para o Brasil. Sua primeira medalha em prova olímpica em campeonatos mundiais  e um novo recorde das Américas superando uma antiga marca de Dara Torres.

Resultado que lhe credencia a sonhar mais alto. De olho em Tóquio 2020, Etiene vai começar um novo ciclo de sua carreira. O resultado foi o que faltava para ganhar confiança e partir para alcançar algo ainda maior.

 

A partir de 1o de janeiro de 2019, a nossa finalista olímpica, tem nos 50 metros nado livre a sua principal prova!

1 Comentário

Deixe uma resposta