A estas alturas, saber quem é o culpado, não adianta.

A falta de dinheiro, a CBDA, o Conselho Técnico, os próprios clubes, a ideia da competição “festiva”, seja o que fora, o Open 2018 está afetado, e muito! Vamos ter uma competição com 25 clubes e 122 nadadores, coisa que qualquer torneio, de qualquer nível, de qualquer idade, atrairia muito mais.

Os integrantes do Conselho Técnico Nacional que votaram e desvotaram as decisões de fazer um torneio festivo para fechar a temporada, precisam sentar e deliberar um alternativa para evitar que isso não volte a acontecer. A depreciação do Open 2018 pode ser fatal e irreversível. Para isso, uma revisão das ideias, calendários e objetivos precisa ser tomada e deliberada.

Não se pode mais discutir e decidir algo da temporada em transcurso. Isso precisa ser feito ao final de 2018 para 2019, ou no máximo, no início de 2019.

Todos sabemos que estamos com verbas reduzidas para o nosso calendário nacional. Tanto a CBDA, como os clubes. Assim, precisamos rever a importância e até mesmo uma estratégia de ter um torneio que fecha a temporada.

Acho extremamente prejudicial aos clubes a sua eliminação. Ter o Troféu José Finkel em agosto, e sem qualquer torneio nacional fechando o ano, é praticamente perder um bocado de nadadores para o restante da temporada.

A grande maioria dos países ao redor do mundo tem apenas dois campeonatos nacionais, mas para isso precisaríamos de uma disputa estadual ou regional mais intensa e organizada. No nosso caso, apenas São Paulo supre tal exigência.

Para ser sincero, nem sei qual seria realmente a solução, mas uma coisa é certa, desta vez, erramos. Não interessa quem foi, mas erramos. Que todos os interessados se reúnam, discutam e encontrem uma solução para 2019.

Alexandre Pussieldi, editor chefe Best Swimming.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *