Brasil terminou o Mundial com mais três medalhas sendo duas delas históricas, as primeiras medalhas femininas em provas olímpicas. Daiene Dias nos 100 borboleta e Etiene Medeiros nos 50 metros nado livre junto com Felipe Lima nos 50 metros peito fizeram a alegria do Brasil no encerramento do Mundial de Piscina Curta em Hangzhou, na China.

Etiene Medeiros. Campeonato Mundial de Natacao. Centro Olimpico de Hangzhou. 16 de Dezembro de 2018. Hangzhou. China. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Veja prova a prova:

Revezamento 4×50 metros nado livre feminino
Americanas começaram atrás, só assumindo a liderança a partir da terceira nadadora para não perder mais. Bateram o recorde de campeonato com 1:34.03 e que era da Holanda desde 2014 (1:34.24) e ficaram a 12 centésimos do recorde mundial tamém da Holanda sendo que em 2017 (1:33.91).
Pódio da prova
1o Estados Unidos 1:34.03 recorde de campeonato
Madison Kennedy 24.05, Mallory Comerford 23.28, Kelsi Dahlia 23.37, Erika Brown 23.33
2o Holanda 1:34.55
3o Austrália 1:36.34

1500 metros nado livre masculino
Uma bela disputa e decidida no final. Dois nadadores quebrando o recorde de campeonato, melhor para o ucraniano Mykhailo Romanchuk vencedor com 14:09.14 batendo o italiano Gregorio Paltrinieir por 73 centésimos. Na dipsuta, Romanchuk só assumiiu a liderança nos últimos 50 metros.

Pódio da prova
1o Mykhailo Romanchuk da Ucrania 14:09.14 recorde de campeonato
2o Gregorio Paltrinieri da Itália 14:09.87
3o Henrik Christiansen da Noruega 14:19.39

100 metros nado livre masculino
Vladimir Morozov era o favorito. Havia feito uma grande Copa do Mundo, nadou para 44.94. Nadou a prova toda na frente, passou em primeiro (21.39) mas errou a chegada, e ainda respirou na faixa dos cinco metros. Caeleb Dressel que ficou os últimos 15 metros sem respirar venceu por dois centésimos, na batida.

Pódio da prova:
1o Caeleb Dressel dos Estados Unidos 45.62
2o Vladimir Morozov da Rússia 45.64
3o Chad Le Clos da África do Sul 45.89

200 metros peito feminino
Prova com alternância de liderança onde a vencedora Annie Lazor dos Estados Unidos só foi assumir a ponta no parcial final. Dobradinha americana com as três primeiras colocadas nadando na casa dos 2:18.

Pódio da prova:
1o Annie Lazor dos Estados Unidos 2:18.32
2o Bethany Galat dos Estados Unidos 2:18.62
3o Fanny Lecluyse da Bélgica 2:18.85

100 metros borboleta feminino
Daiene Dias fez história. A pequena notável da natação brasileira saiu decidida, passou forte, na frente, 25.96, mais rápido do que havia feito na prova dos 50 borboleta. Voltou com 30.35, o suficiente para bater em terceiro lugar quebrando os 56.40 feitos na semifinal para novo recorde sul-americano.
A medalha foi a primeira medalha brasileira em prova olímpica em Campeonatos Mundiais.

Pódio da prova:
1o Kelsi Dahlia dos Estados Unidos 55.01
2o Kendyl Stewart dos Estados Unidos 56.22
3o Daiene Dias do Brasil 56.31 recorde sul-americano

50 metros peito masculino
Com cinco nadadores na casa dos 25 segundos, o Brasil voltou ao pódio, Felipe Lima fez a melhor marca pessoal 25.80 para terminar com o bronze. Vitória do sul-africano Cameron van der Burgh que se aposentou fazendo o recorde de campeonato com 25.41 apagando a marca do brasileiro Felipe França 25.63 do Mundial de 2014. Van der Burgh se despede das piscinas como campeão dos 50 e 100 metros peito neste Mundial. Ouro para o sul-africano, prata para o bielo-russo Ily Shymanovic com 25.77 e bronze para Felipe Lima 25.80. João Luiz Gomes Jr. que havia feito a melhor marca pessoal na semifinal, quebrando a barreira dos 26 segundos pela primeira vez, terminou em sexto lugar com 26.02.

Pódio da prova:
1o Cameron van der Burgh da África do Sul 25.41 recorde de campeonato
2o Ilya Shimanovic de Belarus 25.77
3o Felipe Lima do Brasil 25.80

50 metros nado livre feminino
A terceira medalha brasileira do dia também veio histórica. Demonstrando muita resiliência, Etiene Medeiros fez uma prova fantástica levando o bronze marcando 23.76, novo recorde das Américas para a prova superando a sua própria marca e o tempo de Dara Torres de 2007.
O ouro ficou para a favorita Ranomi Kromowidjojo da Holanda, nova recordista de campeonato com 23.19. A marca anterior era de sua compatriota Marleen Veldhuis com 23.25 de 2008. Deu dobradinha holandesa, Kromowidjojo 23.19 e Femke Heemskerk com 23.67.

Pódio da prova:
1o Ranomi Kromowidjojo da Holanda 23.19 recorde de campeonato
2o Femke Heemskerk da Holanda 23.67
3o Etiene Medeiros do Brasil 23.76 recorde das Américas

Revezamento 4×100 metros medley masculino
O objetivo de uma medalha ficou a pouco menos de um segundo. O Brasil terminou em quarto lugar com 3:22.00, em prova vencida pelos Estados Unidos com recorde de campeonato 3:19.98, seguido pela Rússia 3:20.61 e o Japão 3:21.07.
O Brasil abriu em quarto lugar com Guilherme Guido 49.89, ganhou uma posição com o peito de Felipe Lima 56.39, caiu para quinto com Nicholas Santos 49.42 e terminou em quarto com Breno Correia 46.30.
O time americano foi campeão com Ryan Murphy 49.63, Andrew Wilson 56.84, Caeleb Dressel 48.28 e Ryan Held 45.23.

Melhores parciais da prova:
Costas: Mitchell Larkin da Austrália 49.47.
Peito: Ilya Shymanovic de Belarus 55.60
Borboleta: Caeleb Dressel dos Estados Unidos 48.28
Crawl: Vladimir Morozov da Rússia 45.01

Pódio da prova:
1o Estados Unidos 3:19.98 recorde de campeonato
2o Rússia 3:20.61
3o Japão 3:21.07

Felipe Lima. Campeonato Mundial de Natacao. Centro Olimpico de Hangzhou. 16 de Dezembro de 2018. Hangzhou. China. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Link para os resultados completos:
http://omegatiming.com/Competition?id=000112010CFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF&sport=AQ&year=2018

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *