FABIOLA MOLINA

Foi a prova do ano! A emoção do ano, quase uma unanimidade, apenas um voto não foi dado a “prata mais dourada da história da natação brasileira” como resumiu o comentarista Coach Alex Pussieldi no SporTV.

O revezamento 4×100 metros nado livre masculino com Gabriel Santos, Marcelo Chieirighini, Cesar Cielo e Bruno Fratus foi o que melhor aconteceu para a natação brasileira no ano. Nunca estivemos tão perto dos americanos!

Gabriel Santos abriu o revezamento com personalidade, mesmo estreando em Mundiais, e nadando contra o melhor nadador do mundo, fez a sua missão ao entregar na terceira posição com 48.30. Marcelo Chierighini fez o melhor parcial da prova, e um dos melhores do mundo, ao colocar o time na briga com espetaculares 46.85. Cesar Cielo nadou de forma inteligente e monitorou o time americano com 48.01. Bruno Fratus caiu na água pouco mais de três décimos atrás do time americano e conseguiu ser sete centésimos mais rápido que Nathan Adrian.

Revezamento 4×100 livre, medalha de prata. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. Duna Arena. 23 de Julho de 2017, Budapeste, Hungria. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Estados Unidos campeão 3:10.06, Brasil vice 3:10.34, novo recorde sul-americano quebrando a marca que ainda se mantinha da era dos trajes tecnológicos.

Concorria na disputa o revezamento do Brasil 4×100 metros nado livre masculino do Mundial Júnior que teve apenas um voto.

Melhor revezamento do Brasil em 2017 é a prata do 4×100 livre de Budapeste.

Deixe uma resposta