O Corinthians demitiu o Head Coach Carlos Henrique Matheus na última sexta-feira. No clube há 13 anos, Carlão era o supervisor dos esportes aquáticos do clube desde 2006, o período mais glorioso da história do Corinthians.

Alegando contenção de despesas, foi o novo diretor dos esportes aquáticos do clube Marco Antonio de Souza Soares de Paula que comunicou a saída ao treinador. Soares de Paula está há pouco mais de um mês no cargo e, sem qualquer experiência nos esportes aquáticos, assumiu a posição no lugar do antigo diretor Oldano Carvalho que foi exonerado pelo Presidente Roberto de Andrade.

O motivo real para a saída de Carlão é a política do clube. O Corinthians vive uma intensa disputa política as vésperas da eleição presidencial que acontece em fevereiro. Odano Carvalho foi exonerado por estar comprometido com uma outra chapa e Carlão foi consequência de todo este processo político.

No clube há 13 anos, Carlos Henrique Matheus foi contratado ainda na gestão da diretora Aparecida Filippini. Sempre manteve bom relacionamento com a diretoria e a natação do clube galgou postos impressionantes nas diretorias seguintes e apontado supervisor por Fernando Alba.

A natação do Corinthians pode ser resumida a AC & DC, antes de Carlão e um protagonismo impressionante depois de Carlão assumir o comando do programa. Depois que assumiu o comando em 2006, o Corinthians se sagrou campeão nacional pela primeira vez em 2009 no Brasileiro Infantil. Dois anos depois, o título inédito do Brasileiro Juvenil. Em 2012, foi a vez do Julio de Lamare, repetido em 2013. Atualmente, o Corinthians é tri campeão Brasileiro Júnior tendo vencido cinco dos últimos seis anos de disputa.

A maior conquista, entretanto, foi o título do Troféu Maria Lenk de 2014. Reforçado pela húngara Katinka Hosszu e a dinamarquesa Jeanette Ottesen, o clube venceu pela primeira vez a competição mais importante da natação brasileira.

O que se verificou nos últimos anos foi uma incrível regularidade do programa. o Corinthians é presença destacada em todos os campeonatos paulistas e brasileiros, de todas categorias. No Ranking Nacional de Clubes, o Corinthians está no Top 3 consecutivamente desde 2008. Em 2013, o clube foi campeão pela primeira vez do Ranking organizado pela CBDA.

Entre astros e estrelas que desfilaram pelo Corinthians nestes anos, a equipe teve Thiago Pereira quando conquistou a prata olímpica dos 400 medley e Poliana Okimoto em alguns de seus melhores momentos da carreira. O belo trabalho feito no Corinthians tem sido criar seus próprios talentos, ente eles, Brandonn Almeida que começou nas escolinhas do clube e chegou ao time olímpico, o título mundial júnior e a finalista de Campeonato Mundial nadando e treinando no Corinthians.

A organização das escolinhas, do time de base, das categorias menores tem dado ao Corinthians o status de maior fornecedor de atletas para as seleções júniors do país há alguns anos.

A demissão de Carlão afeta não só a natação do Corinthians, mas a todo cenário do esporte no país. No início de 2017, o clube foi forçado a uma redução drástica no orçamento do programa na ordem de 80%. Mesmo assim, a equipe conseguiu se sustentar embora com a grande debandada da equipe senior do clube.

Ao final do ano, o único nadador senior que ficou no programa se sagrou campeão nacional absoluto pela primeira vez, o clube se sagrou vice campeão brasileiro infantil, vice no juvenil, chegou ao tri campeonato do Julio de Lamare e terminou o Ranking Nacional na terceira posição.

Atletas do Corinthians estiveram em todas as seleções brasileiras convocadas em 2017 e ao final da temporada mais duas convocações para o time que vai ao Odesur 2018.

Ao desconhecer tudo o que foi construído em todos estes anos, demitir um profissional do gabarito de Carlos Henrique Matheus pela disputa política vai além da sensatez. Uma pena que o esporte esteja sofrendo pelo viés político que se sobrepõe as conquistas do clube.

Conhecendo a força do esporte aquático no Corinthians e a quantidade de associados que apreciavam o belo trabalho que vinha sendo desenvolvido, a ação intempestiva da direção foi um grande tiro no pé. As eleições de fevereiro vão mostrar isso.

4 respostas
  1. Rodrigo G
    Rodrigo G says:

    Infelizmente o Sport Club Corinthians Paulista, clube do qual sou sócio desde molequinho, é um retrato ampliado do atual realidade do nosso país, onde competência não é primordial. Onde tudo se consegue com jeitinho, amizades com “pessoas certas”, favorecimentos e conchavos. Carlos é um cara extremamente dedicado, o que somado ao seu amor pelo clube e a ligação de vida – e por que não de sangue – que ele tem com o Corinthians, fez dele um marco pra natação corintiana. Nestes 13 anos sobreviveu a muitas “crises” e processos eleitorais, graças ao seu empenho e correção nas suas atitudes. Infelizmente, dessa vez a politicagem fez mais uma vítima. Lamentável!

    Carlão, sua história nesse esporte que tanto amamos é muito maior do que a força desses caras! Siga firme e em frente! Você tem muito a contribuir para a natação e a natação tem muito a lhe oferecer ainda. O mundo da voltas, o mal está sempre presente, mas nem sempre vence. Uma hora as coisas voltam para seus devidos lugares. Aquela borda da piscina do Parque São Jorge tem seu nome cravado! Força e cabeça erguida!

    Responder
  2. Laura
    Laura says:

    É um retrocesso e um desserviço! Enquanto uns dedicam a sua vida para melhorar o esporte no Brasil, outros a modelo da política brasileira, se encarregam de acabar tudo!

    Responder
  3. ALEXANDRE F ANTUNES
    ALEXANDRE F ANTUNES says:

    Sabe o que é pior, a grande maioria das demissões de treinadores de natação neste país, nada tem haver com a competência ou os resultados alcançados, o fato é, que quase na sua totalidade são questões políticas, e quase sempre desmontam trabalhos de anos, que a médio prazo nunca são reconstruídos!!!!

    Responder
  4. Carlo Monni
    Carlo Monni says:

    É uma pena para natação brasileira. Um grande treinador. Infelizmente esta é uma rotina nos clubes de futebol acabarem com os esportes olímpicos toda vez que se há uma crise política.

    Responder

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *