Já pensou? Os nadadores brasileiros participando da mais forte seletiva de natação do mundo? Pois bem, a Best Swimming fez esta projeção. Consideramos apenas os tempos das finais do Troféu Maria Lenk e as finais da Seletiva dos Estados Unidos para o Mundial de Budapeste e chegamos a 53 tempos do Maria Lenk chegando ao top 8 do Campeonato Americano.

Ficamos de fora das finais em apenas quatro provas, nos 200 livre masculino, 800 livre feminino, 100 e 200 costas feminino. A boa notícia é que pelos resultados do Maria Lenk, teríamos 11 medalhas na seletiva americana, três de ouro, duas de prata e seis medalhas de bronze. As nossas vitórias viriam com Etiene Medeiros nos 50 costas, João Luiz Gomes Jr. nos 50 peito e Nicholas Santos nos 50 borboleta.

Veja prova a prova os melhores do Maria Lenk disputando a virtual seletiva americana:

50 livre feminino –
Etiene Medeiros seria medalha de prata, os 24.73 do Maria Lenk lhe deixaria atrás apenas de Simone Manuel que venceu a prova com 24.27.

50 livre masculino –
Caeleb Dressel seguiria vencendo 21.53, mas Bruno Fratus 21.70 e Cesar Cielo 21.79 subiriam no pódio na segunda e terceira colocações. Vale destacar que Italo Duarte com os 22.12 ainda conseguiria bater o oitavo colocado na final A, Ryan Held que fez 22.42.

100 livre feminino –
Manuella Lyrio nadou para a sua melhor marca pessoal no Maria Lenk, 54.80, tempo que lhe daria a sétima posição na final A do Campeonato Americano.

100 livre masculino –
Os dois primeiros colocados do Maria Lenk teriam lugar na final americana. Gabriel Santos, nosso campeão brasileiro, seria bronze com 48.11, atrás apenas da dupla de 47 com Nathan Adrian 47.96 e Caeleb Dressel 47.97. Marcelo Chierighini com seus 48.76 da final seria oitavo na final americana. Cesar Cielo, mesmo com os 48.92, e a entrada dos companheiros brasileiros ficaria de fora da final.

200 livre feminino –
Segunda final virtual para Manuella Lyrio, agora um sexto lugar com os 1:57.34 que fez na sua vitória de Maria Lenk.

200 livre masculino –
Sem finais para o Brasil. Luiz Altamir venceu o Maria Lenk com 1:48.16, o oitavo colocado da seletiva americana foi Mitch D’Arrigo com 1:47.79.

400 livre feminino –
O recorde brasileiro de Joanna Maranhão com 4:09.41 lhe colocaria na sexta colocação no Campeonato Americano.

400 livre masculino –
Guilherme Costa ficaria em 5o lugar com os 3:49.49 do Maria Lenk, enquanto a dupla Luiz Altamir e Giuliano Rocco que dividiram a prata conseguiriam ficar uma posição atrás de Guilherme Costa, sexta posição, três brasileiros na final.

800 livre feminino –
Viviane Jungblut fez o segundo melhor 800 livre feminino da natação brasileira com 8:34.92, tempo que não lhe daria nem lugar entre as oito melhores da natação americana.

800 livre masculino –
Lucas Kanieski e Miguel Valente conseguiriam vaga no top 8 do Campeonato Americano. Kanieski e seus 7:58.85 na sexta posição e Valente com os 7:59.92 em sétimo lugar.

1500 livre feminino –
Viviane Jungblut ficou próxima do recorde brasileiro com 16:27.57 e ficaria na sétima posição da seletiva americana.

1500 livre masculino –
Dois brasileiros conseguiriam chegar a final na prova do Campeonato Americano. Guilherme Costa, campeão do Maria Lenk com 15:06.35 seria quarto colocado, enquanto que Brandonn Almeida e seus 15:12.06 ficaria na sétima posição.

50 costas feminino –
Por um centésimo Etiene Medeiros e seus 27.62 levaria o ouro na prova americana deixando Hannah Stevens em segundo com 27.63. A argentina Andrea Berrino, medalha de prata no Maria Lenk com 28.52 conseguiria um sétimo lugar.

50 costas masculino –
Guilherme Guido com os 24.72 do Maria Lenk terminaria na quarta posição, cinco centésimos distante da medalha na competição dos Estados Unidos. Gabriel Fantoni, vice campeão da competição nacional com 25.26 conseguiria bater um nadador da final americana.

100 costas feminino –
Não tivemos ninguém nadando abaixo de 1:01.56 no Maria Lenk. Não dava nem vaga na final B da seletiva americana.

100 costas masculino –
Guilherme Guido fez 53.78 nas eliminatórias, mas consideramos apenas os tempos das finais e seus 53.84 lhe colocariam na quinta colocação. Guilherme Basseto, medalha de prata no Maria Lenk com 54.78 conseguiria um oitavo lugar na seletiva americana.

200 costas feminino –
A argentina Andrea Berrino se sagrou campeã do Maria Lenk nos 200 costas com 2:13.11, o tempo lhe daria a oitava posição na seletiva americana. Kylie Stewart ficou neste lugar com 2:13.29 depois de nadar para 2:10.34 nas eliminatórias.

200 costas masculino –
Sexto lugar para Leo de Deus e seus 1:57.95 do Maria Lenk. Nathan Bighetti também conseguiria vaga na final A da seletiva americana, terminaria em oitavo com 1:59.60.

50 peito feminino –
O recorde sul-americano de Jhennifer Conceição com 30.63 lhe deixaria de fora do pódio no Campeonato Ameericano. Seria quarta colocada. Macarena Ceballos, a argentina que nadou pelo Minas e também quebrou o recorde nacional de seu país com 30.99 ficaria na quinta colocação.

50 peito masculino –
Dois brasileiros no pódio do campeonato americano, João Luiz Gomes Júnior e seu recorde de campeonato do Maria Lenk com 26.83 lhe deixaria a frente do campeão americano Kevin Cordes com 26.88 e Felipe Lima com 27.00 terminaria em terceiro. Felipe França e Pedro Cardona que empataram em terceiro lugar com 27.45 também estariam na final americana, sexto lugar. Até Felipe Monni, quinto colocado com 27.61, teria vaga na final, na frente dos dois últimos colocados da série principal.

100 peito feminino –
Oitavo lugar para a campeã do Maria Lenk, Macarena Ceballos e seus 1:08.00 feitos no Rio de Janeiro.

100 peito masculino –
Nosso campeão do Maria Lenk, João Luiz Gomes Jr. 59.41 perderia a medalha de bronze na seletiva americana por um centésimo. Felipe Lima, que fez 59.32 nas eliminatórias, mas considerando os 1:00.05 da final, ainda conseguiria terminar em quinto lugar no Campeonato Americano.

200 peito feminino –
A recordista sul-americana dos 200 peito, Macarena Ceballos e seus 2:26.90 seria a única a figurar no top 8 da seletiva americana na oitava colocação da final.

200 peito masculino –
Oitavo lugar para Thiago Simon e seus 2:12.27 do Maria Lenk na projeção para a seletiva americana.

50 borboleta feminino –
Duas brasileiras na final americana, Daynara de Paula com 26.51 seria quinta colocada, Daiene Dias com 26.78 seria oitava.

50 borboleta masculino –
Ouro para Nicholas Santos e o recorde sul-americano de 22.61 e um bronze para Henrique Martins que com 23.06 perderia a prata para Caeleb Dressel por um centésimo. Mais três brasileiros conseguiriam vaga na final americana: Cesar Cielo 23.22, Gabriel Santos 23.60 e Guilherme Rosolen 23.64.

100 borboleta feminino –
Sétimo e oitavo lugar para Daiene Dias e seus 58.98 e Daynara de Paula com 59.07 na final americana.

100 borboleta masculino –
Três brasileiros conseguiriam vaga na final americana, Henrique Martins e seus 51.82 chegaria na quinta colocação. Mesmo com os 51.57 feitos nas eliminatórias, não estaria no Top 3. Vinicius Lanza com 52.02 seria sétimo e Kaio Márcio com 52.82 oitavo.

200 borboleta feminino –
Quarto lugar para Joanna Maranhão e seu recorde sul-americano de 2:09.22 feito no Maria Lenk. Ela seria nossa única representante na final americana.

200 borboleta masculino –
Quarto lugar também para Leo de Deus e sua melhor marca pessoal de 1:54.91. Ficaria a 12 centésimos do bronze na seletiva americana. Mais dois brasileiros também entrariam no top 8, Kaio Márcio e seus 1:56.85, na sétima posição e Luiz Altamir com 1:57.15 em oitavo.

200 medley feminino –
Apenas Joanna Maranhão, seria sexto lugar com 2:13.32.

200 medley masculino –
Thiago Simon nadou pela primeira vez abaixo da barreira dos dois minutos no Maria Lenk com 1:59.49, tempo que lhe daria a única vaga entre os oito primeiros colocados da seletiva americana em sétimo lugar.

400 medley feminino –
Medalha para Joanna Maranhão, novamente a única brasileira na final. Com os 4:38.83 ficaria muito próximo da prata da seletiva americana, apenas 28 centésimos.

400 medley masculino –
Quarto lugar para Brandonn Almeida com seus 4:13.06 do Maria Lenk, seria o único brasileiro na final americana.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *