Joanna Maranhão bate recorde brasileiro na abertura do Maria Lenk

1
1883
Joanna Maranhao. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 02 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA
FABIOLA MOLINA

Nada melhor do que abrir o primeiro dia do Troféu Maria Lenk 2017 com um recorde brasileiro. Veio com Joanna Maranhão nos 400 metros nado livre com 4:09.41. Veja como foi o primeiro dia prova a prova.

100 borboleta feminino –

Daiene Dias. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 02 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Daiene Dias do Unisanta se sagrou campeã do Maria Lenk pela terceira vez, a segunda consecutiva nos 100 borboleta marcando 58.98 batendo Daynara de Paula do SESI-SP 59.02 nos metros finais. A prova foi equilibrada e as duas, assim como nas eliminatórias fizeram parciais muito parecidos:
Daiene 27.69, 58.98
Daynara 27.60, 59.07
O bronze ficou para Giovanna Diamante do Pinheiros com 1:00.48. Perto dela, Clarissa Maria Rodrigues do SESI-SP na quarta colocação com 1:00.67. Clarissa teve uma péssima saída. Balançou antes da partida, se posicionou o árbitro deu a largada ficando para trás.

100 borboleta masculino –

Henrique Martins. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 02 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Pódio completo para o Minas Tênis Clube e mais um 51 para Henrique Martins. Venceu com 51.82 depois de fazer 51.57 nas eliminatórias. Vinicius Lanza ficou em segundo fazendo a sua melhor marca pessoal com 52.02 e Kaio Márcio Almeida em terceiro com 52.86.
Comparando os parciais de Henrique:
eliminatórias 23.62, 51.57
final 23.81, 51.82
Foi a primeira vez que Henrique Martins se sagrou campeão do Maria Lenk e foi premiado pelo administrador provisório da CBDA, Gustavo Licks. Henrique que não nadava há oito anos na casa dos 51 segundos nos 100 borboleta, nadou duas vezes no dia de hoje. Na história da natação brasileira, apenas três nadadores conseguiram quebrar a barreira dos 52 segundos nos 100 borboleta:
Gabriel Mangabeira, 6 vezes
Kaio Márcio Almeida, 4 vezes
Henrique Martins, 3 vezes
Dos três, apenas Henrique fez isso depois da era dos trajes. O recorde brasileiro segue com Gabriel Mangabeira 51.02 desde 2009 e o sul-americano com o venezuelano Albert Subirats 50.65, também da era dos trajes.

400 livre feminino –

Joanna Maranhao. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 02 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Joanna Maranhão estabeleceu novo recorde brasileiro para a prova com 4:09.41 superando a marca anterior que era de Manuella Lyrio desde o Maria Lenk do ano passado com 4:09.48. A melhor marca pessoal de Joanna era 4:12.19 desde o Maria Lenk de 2009. Foi a sua 30a vitória em Maria Lenk, é a segunda mulher mais vencedora da história da competição atrás apenas de Fabíola Molina com 45. Joanna já havia vencido os 400 livre entre suas 30 vitórias em 2010.
Seus parciais na prova:
1:00.72, 2:04.35, 3:07.47, 4:09.41.
Joanna subiu ao pódio com Viviane Jungblut do União 4:12.38 e Poliana Okimoto da Unisanta 4:14.12.
Com o recorde brasileiro dos 400 livre, Joanna Maranhão agora detém seis recordes brasileiros em piscina longa (400 e 800 livre, 200 costas, 200 borboleta, 200 e 400 medley) e mais cinco em piscina curta (200 costas, 200 borboleta, 100, 200 e 400 medley).

400 livre masculino –

Guilherme Costa. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 02 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Tinha tudo para ser uma vitória até fácil para Luiz Altamir Melo do Pinheiros, mas os últimos 100 metros foram decisivos para a recuperação de Guilherme Costa da Unisanta e até mesmo a queda do nadador do Pinheiros que acabou dividindo o segundo lugar com Giuliano Rocco do Minas.
O final de prova de Guilherme Costa foi impressionante. Na altura dos 300 metros, Luiz Altamir liderava com 2:50.89 contra 2:53.39 de Guilherme, uma diferença de 2 segundos e 5 décimos. Nos 350 metros, a diferença caiu para 93 centésimos, e no final o carioca que nada pela Unisanta venceu com um segundo de vantagem. Guilherme Costa fechou os últimos 100 metros para 55.90 contra 59.60 de Luiz Altamir.
Foi a primeira vez na carreira que Guilherme é campeão do Maria Lenk. Ele já havia sido bronze nos 1500 livre no ano passado, mas medalha de ouro foi a primeira.

100 peito feminino –
Na briga Argentina contra Brasil, deu Argentina. E de dobradinha. Macarena Ceballos nadando pelo Minas poderia até ter feito 1:07, mas deslizou demais na chegada vencendo com 1:08.00 e quase perde a prova para a compatriota Julia Sebastian da Unisanta com 1:08.05. Jhennifer Alves do Pinheiros ficou em terceiro lugar com 1:08.43. Renata Sander do Minas que havia nadado para 1:08.79 nas eliminatórias, ficou em quarto lugar com 1:09.31.

100 peito masculino –
A prova atrasou por alguns cortes de luz e tivemos um deles no meio da prova. Não tivemos placar eletrônico no display, mas funcionou o backup numa vitória fácil para João Luiz Gomes Júnior do Pinheiros garantida no segundo parcial. Felipe Lima do Minas que havia feito 59.32 nas eliminatórias, passou novamente na frente 27.80 contra 28.00 de João Luiz. Nas eliminatórias, Felipe foi ainda mais rápido com 27.51. Na volta, João abriu e fechou 59.41 com Felipe em segundo 1:00.05 e Pedro Cardona chegando em terceiro com 1:00.12.
Foi a quinta vez que João Luiz Gomes Júnior se sagrou campeão do Maria Lenk, a terceira na prova dos 100 peito.

Revezamento 4×50 livre feminino –
Unisanta campeã da prova com 1:41.27 com a equipe formada por Daiene Dias, Andrea Berrino, Gabrielle Roncatto e Alessandra Marchioro. Marchioro teve o melhor parcial intermediário com 24.32. O Minas ficou em segundo lugar com 1:42.55 mas com o melhor parcial de abertura 1:42.55 e o Pinheiros em terceiro com 1:42.70.

Revezamento 4×50 livre masculino –
Pinheiros campeão da última prova com 1:27.15 contra 1:27.61 do Minas e 1:29.20 da Unisanta. Confira os parciais das três equipes:
Pinheiros – Gabriel Santos 22.36, Marcelo Chierighini 21.65, Pedro Spajari 21.82, Cesar Cielo 21.32
Minas – Guilherme Ocampo 22.01, Italo Duarte 21.61, Leo Alcover 22.15, Henrique Martins 21.84
Unisanta – Nicholas Santos 22.61, Felipe Ribeiro 22.14, Gabriel Cardenes 22.23, Matheus Santana 22.22

Contagem parcial de pontos ao final do primeiro dia:
1o Pinheiros 347,5 pontos
2o Minas 329,5 pontos
3o Unisanta 269 pontos
4o SESI-SP 76 pontos
5o Grêmio Náutico União 70 pontos
6o Corinthians 63 pontos
7o Fluminense 25 pontos
8o Curitibano 24 pontos
9o Flamengo 20 pontos
10o CEI RN 16 pontos

1 Comentário

Deixe uma resposta