Publicada esta manhã na sua conta de Facebook:

Eu gostaria de pedir desculpas pelo meu comportamento no último final de semana, por não ter sido mais cuidadoso e preciso como descrevi os eventos que aconteceram pela manhã e tiraram a atenção de muitos atletas que estão a cumprir seus sonhos participando das Olimpíadas. Eu esperei para dividir este sentimento até que a situação legal fosse encaminhada e que meus companheiros estariam retornando para casa a salvo.

É traumático estar com os amigos na madrugada e em no exterior com a uma barreira na linguagm quando um estranho lhe aponta uma arma e exige dinheiro para você ir embora. Porém, independente do comportamento de qualquer um naquela noite, eu deveria ter mais responsabilidade em minhas atitudes e por isso peço desculpas aos meus companheiros, meus fãs, meus competidores, meus patrocinadores e os organizadores da grande competição. Eu me sinto orgulhoso de ter representado meu país nos Jogos Olímpicos e esta situação deveria ter sido evitada. Aceito a responsabilidade pelos meus erros e aprendi algumas valiosas lições.
Eu sou agradecido pelos meus companheiros da USA Swimming e do Comitê Olímpico Americano, e apreciei todos os esforços do Comitê Olímpico Internacional, do Comitê Rio 2016 e o povo do Brasil pela recepção que tivemos no Rio, pelo trabalho duro por fazer destes Jogos uma experiência para nossa vida cheia de grandes memórias.

Já se falou muito do que aconteceu no final de semana, por isso gostaria de focar nosso tempo celebrando as grandes histórias e performances destes Jogos e mirando a frente para celebrar mais com outros grandes resultados.

2 respostas
  1. Rodrigo G
    Rodrigo G says:

    “É traumático estar com os amigos na madrugada e em no exterior com a uma barreira na linguagm quando um estranho lhe aponta uma arma e exige dinheiro para você ir embora…”, ou seja, como disse a Isabel hoje no Sportv4: É um babaca!

    Responder
  2. Nóbrega
    Nóbrega says:

    Não houve assalto, “alguém apontou uma arma para ele e tomou o dinheiro”, mas não conseguiremos nada melhor que isso. Espero que os problemas gerados por esse adolescente de 32 anos não durarem mais de um ano.

    Responder

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *