Manuella Lyrio. Eliminatorias da natacao no OAS. Jogos Olimpicos Rio 2016. 08 de Agosto de 2016, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress
FABIOLA MOLINA

A grande frustração nos Jogos Olímpicos Rio-2016 com relação à seleção brasileira não foi a falta de medalhas, mas a piora do tempo da maioria dos atletas que caíram na piscina do Estádio Aquático Olímpico.

Esta foi a maior seleção brasileira olímpica de natação da história, com 33 atletas, 11 no feminino, 22 no masculino. Destes, 7 nadadoras conseguiram índices em provas individuais, com outras 4 convocadas para revezamentos exclusivamente, e apenas 3 no masculino foram convocados exclusivamente para provas de revezamento. No total, 26 atletas da seleção conseguiram índice olímpico A para provas individuais. O Brasil não esteve representado em 5 provas, todas no feminino: 100 peito, 400 livre, 200 peito, 800 livre e 200 costas.

Foram contabilizados 95 tempos, entre eles as parciais dos atletas – considerando como se fosse prova individual – e os tempos de revezamento. Uma desistência registrada para Nicolas Nilo nos 200 livre não foi considerada. Foram 19 marcas que foram melhor que a melhor marca antes do início da competição, gerando 4 novos recordes sul-americanos e 5 novos recordes brasileiros:

  1. EQUIPE BRASILEIRA, ELIMINATÓRIA 4X200 LIVRE FEM: 7:55.68
  2. DAYNARA DE PAULA, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE: 54.81
  3. ETIENE MEDEIROS, SEMIFINAL 50 LIVRE: 24.45
  4. ETIENE MEDEIROS, PARCIAL 4X100 LIVRE, 100 LIVRE: 53.99
  5. FELIPE FRANÇA, ELIMINATÓRIA 100 PEITO: 59.01
  6. GABRIEL SANTOS, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE: 48.63
  7. GABRIEL SANTOS, PARCIAL FINAL 4X100 LIVRE: 48.72
  8. HENRIQUE MARTINS, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 MEDLEY (BORBOLETA): 51.64
  9. HENRIQUE MARTINS, PARCIAL FINAL 4X100 MEDLEY (BORBOLETA): 51.52
  10. JESSICA CAVALHEIRO, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X200 LIVRE: 1:59.05
  11. JHENNIFER CONCEIÇÃO, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 MEDLEY (PEITO): 1:08.23
  12. JOÃO DE LUCCA, PARCIAL FINAL 4X100 LIVRE: 48.11
  13. JOÃO LUIZ GOMES JR, PARCIAL FINAL 4X100 MEDLEY (PEITO): 58.59
  14. LEONARDO DE DEUS, ELIMINATÓRIA 200 COSTAS: 1:57.00
  15. LUIZ ALTAMIR MELO, ABERTURA REVEZAMENTO ELIMINATÓRIA 4X200 LIVRE: 1:48.19
  16. MANUELLA LYRIO, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE: 55.06
  17. MANUELLA LYRIO, ELIMINATÓRIA 200 LIVRE: 1:57.28
  18. MANUELLA LYRIO, SEMIFINAL 200 LIVRE: 1:57.43
  19. MARCELO CHIERIGHINI, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE: 47.72

Esta lista resulta num percentual de 19% de rendimento de toda a seleção. No entanto, houve tempos que não melhoraram suas melhores marcas, mas foram melhores que a melhor marca de 2016 até antes da Olimpíada. Na maioria, a melhor marca de 2016 foi obtida no Troféu Maria Lenk em abril. São eles:

  1. BRUNO FRATUS, SEMIFINAL 50 LIVRE: 21.71
  2. DAYNARA DE PAULA, ELIMINATÓRIA 100 BORBOLETA: 57.92
  3. ETIENE MEDEIROS, ELIMINATÓRIA 100 LIVRE: 54.38
  4. HENRIQUE MARTINS, ELIMINATÓRIA 100 BORBOLETA: 52.42
  5. JOANNA MARANHÃO, ELIMINATÓRIA 200 MEDLEY: 2:13.06
  6. JOÃO DE LUCCA, ELIMINATÓRIA 200 LIVRE: 1:47.63
  7. MANUELLA LYRIO, ABERTURA REVEZAMENTO ELIMINATÓRIA 4X200 LIVRE: 1:58.39
  8. MARCELO CHIERIGHINI, ABERTURA REVEZAMENTO FINAL 4X100 LIVRE: 48.12
  9. NICOLAS OLIVEIRA, PARCIAL ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE: 47.96
  10. NICOLAS OLIVEIRA, PARCIAL FINAL 4X100 LIVRE: 48.26
  11. THIAGO PEREIRA, SEMIFINAL 200 MEDLEY: 1:57.11

A lista acima – melhoraram a marca de 2016 – representa 12,5% do total de tempos registrados pela seleção brasileira.

Removendo os tempos parciais de revezamento e considerando a melhora durante as fases da competição (como por exemplo Manuella melhorar nas eliminatórias e piorar na semifinal, não considerando a piora da semifinal), as duas listas reduzem, principalmente a de melhor marca de todos os tempos:

  1. EQUIPE BRASILEIRA, ELIMINATÓRIA 4X200 LIVRE FEM: 7:55.68
  2. ETIENE MEDEIROS, SEMIFINAL 50 LIVRE: 24.45
  3. FELIPE FRANÇA, ELIMINATÓRIA 100 PEITO: 59.01
  4. LEONARDO DE DEUS, ELIMINATÓRIA 200 COSTAS: 1:57.00
  5. LUIZ ALTAMIR MELO, ABERTURA REVEZAMENTO ELIMINATÓRIA 4X200 LIVRE: 1:48.19
  6. MANUELLA LYRIO, ELIMINATÓRIA 200 LIVRE: 1:57.28

Isso representa, entre tempos válidos (tempos finais e aberturas de revezamento, 72 marcas), apenas 8,3% de rendimento, isto é, atletas ou equipes de revezamento que melhoraram suas melhores marcas.

Em percentual (melhor marca x tempo obtido Rio-2016), identificamos quem foi que melhorou mais: Manuella Lyrio, brasiliense do Esporte Clube Pinheiros.

  1. MANUELLA LYRIO: 0,63%
  2. ETIENE MEDEIROS: 0,40%
  3. FELIPE FRANÇA: 0,33%
  4. LEONARDO DE DEUS: 0,32%
  5. 4X200 LIVRE FEM: 0,14%
  6. LUIZ ALTAMIR MELO: 0,09%

Confira o levantamento exclusivo da Best Swimming contendo todos os resultados dos brasileiros. O vermelho indica que o atleta ou equipe fez marca pior que a melhor  marca pessoa; O laranja indica que o atleta ou equipe nadou abaixo da melhor marca de 2016; E o verde indica melhora comparado com o melhor tempo já registrado. Para os revezamentos, a melhor marca da temporada utilizada foi a de 2015, ano onde estava valendo a classificação dos revezamentos. Os tempos com asterisco indicam que são parciais do respectivo revezamento e os tempos de abertura de revezamento são considerados oficiais (clique na figura para ampliar):

RIO 2016 Comparativo Brasileiros Indices x Performances
RIO 2016 Comparativo Brasileiros Indices x Performances

3 Comentários

  1. Infelizmente era o esperado. A força mental de nossos atletas da natação é no mínimo questionável. O fora de série sempre foi o Cielo. Pena que não existe convocação como foi o caso do Usain Bolt do atletismo.
    Tem coisas que tem que ser comentadas, o Ítalo, que classificou no lugar do Cesar Cielo, piorou seu tempo na semi-final e saiu jogando a toquinha para a galera.

  2. A natação que está aí para os próximos 4 anos, dividindo votos brasileiros entre Rio e São Paulo, é a responsável por tudo isso que choramos.
    Pelo visto, choraremos muito mais.
    Os craques que aí estão, não merecem isso, que eles chamam de Natação.
    Isso é uma insensatez ou como diria minha avó:
    Uma idiotice prevista.

  3. Boa noite coach!
    Infelizmente nossa participação foi pífia em relação ás expectativas, Manuela Lyrio, Etiene Medeiros, Leonardo de Deus e Thiago Pereira pra foram exceções. O Thiago eu coloco nessa lista pela atitude dele na final, adorei! Ele entrou na prova para vencer e usou uma estratégia para tentar levar o ouro, infelizmente foi o limite de seu corpo. Parabéns pela atitude Thiago, ficamos chateados quando vemos displicência e falta de atitude de nossos atletas, mas quando entram com coração e para vencer, mesmo perdendo, merecem reconhecimento.
    Atletas como você e o César Cielo faram muita falta ao nosso esporte!

Deixe uma resposta