A casa do esporte paralímpico, o maior legado esportivo dos Jogos Rio 2016, e a sede da natação no training camp final da Seleção Brasileira para a Olimpíada. O Centro Paralímpico  Brasileiro está aberto e em pleno funcionamento em São Paulo, no Parque do Estado, nas margens da Rodovia Imigrantes.

Um investimento de 264 milhões de reais para a obra que representa o maior e mais completo complexo esportivo do país. Deste total, 149 milhões vieram do Governo Federal, 114 milhões do Governo Estadual.

A Best Swimming foi visitar o Centro e teve acesso a todas as dependências do local. A Seleção Brasileira Paralímpica de Natação já iniciou os seus treinamentos no local. Desde o retorno da equipe da Europa, onde participou do Aberto de Berlim, na Alemanha, a equipe comandada por Leonardo Tomasello Araújo tem treinado em dois períodos no Centro.

A estrutura do Centro Paralímpico Brasileiro pode receber até 282 atletas simultaneamente, de 15 modalidades (atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, esgrima em cadeira de rodas, futebol 5, futebol 7, goalball, halterofilismo, judô, rugby em cadeira de rodas, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, triatlo e vôlei sentado).

O Centro Aquático tem uma piscina olímpica Myrtha com borda móvel, mais uma piscina de 25 metros, três piscinas de recuperação e uma arquibancada para 800 pessoas. Na estrutura de dependências do Centro, uma quadra de vôlei sentado, quadra de basquete em cadeira de rodas,quadra de rugby em cadeira de rodas, quadra de goalball, 12 mesas de tênis de mesa, três tatames de judô, seis áreas para halterofilismo, quatro para esgrima, seis canchas de bocha, campo de futebol 7, campo de futebol 5, duas quadras de tênis em cadeira de rodas, pista de atletismo, pista de atletismo indoor, academia para apoio condicionamento físico, fitness e fisioterapia, vestiários, centro administrativo, centro de medicina e ciência do esporte, zona residencial com 280 leitos, área de apoio do centro de treinamento.

Neste final de semana, o Centro Paralímpico vai sediar o Circuito Caixa Loterias de Natação e Atletismo. A competição é a penúltima classificatória para definição da equipe brasileira para os Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Em julho, a partir do dia 24, a Seleção Brasileira Olímpica fará sua aclimatação no local utilizando horários aproximados dos adotados para a competição de natação no Rio 2016.

O local é o mais avançado centro esportivo do país. A piscina que recebe a Seleção Paralímpica e receberá a Seleção Olímpica tem as melhores condições para treinamento e competição. Arquibancada ampla, belo lugar para sediar um evento de porte nacional. A piscina de 50 metros tem placar eletrônico Omega, blocos Myrtha nas duas cabeceiras e o sistema de bulk-head, borda móvel podendo ajustar o local para duas piscinas de 25 metros.

Poucos metros separam a piscina de 50 metros da piscina de 25 metros com cinco raias e específica para ser a piscina de soltura. As piscinas de recuperação e reabilitação dão um toque ainda mais especial ao local.

O Centro ainda está em obras, basicamente aparelhamento. O alojamento, o restaurante, as salas ainda recebem limpeza, faltam os móveis e o trabalho segue firme. Mesmo com os Jogos Olímpicos e Paralímpicos sendo no Rio de Janeiro, não há dúvida de que o maior legado esportivo deste evento foi feito em São Paulo.

 

Fotos: Ivo Felipe do Comitê Paralímpico Brasileiro

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *