34077

Em Montpellier, na mais controversa seletiva olímpica da temporada, os franceses tiveram a definição do revezamento 4×100 livre masculino, atual campeão olímpico e mundial, e pelo que se viu, chegará ao Rio como favorito.

Na briga pela vaga da prova, Jeremy Stravius com 47.97 e Clement Mignon 48.01 ficaram com os dois lugaraes deixando Florent Manaudou, o favorito, de fora com 48.10. Mehdy Metella vai completar o revezamento com 48.43.

Os dois possíveis reservas do revezamento ficaram com suas situações compromeetidas, pois ambos nadaram para 49.01, Fabien Gilot e William Meynard. Quem ficou de fora de tudo, Yannick Agnel, sétimo na final com 49.14, ele que foi o nadador mais rápido do revezamento campeão em Londres.

Na prova, Manaudou foi o mais rápido no parcial com 22.26, bem a frente de Stravius que passou com 22.90. Na volta, melhor para Stravius 25.07 que já havia sido o campeão dos 200 livre há dois dias. Manaudou voltou com 25.84 e ficou de fora da prova individual tendo nadado 48.00 este ano e 47.98 em dezembro do ano passado, ambas as vezes sem descansar.

Foi a primeira vez que Stravius nadou abaixo dos 48 segundos, seu melhor era 48.34 na Copa do Mundo no ano passado.

Charlotte Bonnet garantiu sua vaga olímpica com 1:56.32 nos 200 livre

Os vencedores que não vão para o Rio 2016:
200 peito feminino – Laura Paquit 2:28.65, índice 2:23.78
100 peito masculino – Theo Bussiere 1:01.35, índice 59.84

França para o Rio 2016:
Coralie Balmy, 400 livre
Charlotte Bonnet, 200 livre
Jeremy Stravius, 100 livre
Clement Mignon, 100 livre

Link dos resultados:
http://www.liveffn.com/cgi-bin/resultats.php?competition=34077&langue=fra

logo-landing

Terminou a seletiva da Nova Zelândia para o Rio 2016 em Auckland, mas a equipe ainda pode ganhar mais nadadores dos seis que garantiram suas vagas alcançando os índices A da FINA. A Federação Neo-zelandesa vai considerar os tempos da seletiva canadense onde participarão diversos atletas do país beneficiando principalmente os que nadam nas competições universitárias do NCAA nos Estados Unidos.

No último dia de disputas, não tivemos nenhum índice

Nova Zelândia para o Rio 2016:
Lauren Boyle, 400 e 800 livre
Glenn Snyders, 100 peito
Helena Gasson, 100 borboleta
Bradlee Ashby, 200 medley
Emma Robinson, 800 livre
Matthew Stanley, 200 e 400 livre

Link dos resultados:
http://swimming.org.nz/event.php?id=1482

swim-open-stockholm-2016-live-ti

Em Estocolmo, no Aberto da Suécia Sarah Sjoestroem continua sua série de resultados incríveis.Desta vez foi nos 50 livre com 24.22. Sjoestroem já lidera o ranking mundial de 2016 com 24.17.

Esta vitória se soma aos outros bons resultados dela nos dias anteriores:
55.68 nos 100 borboleta, 1:54.87 nos 200 livre, 25.15 nos 50 borboleta.

Na etapa de ontem mais alguns resultados que merecem destaque:
200 peito feminino – Viktoria Gunes da Turquia 2:23.97
200 medley masculino – Simon Sjodin da Suécia 1:57.43
100 costas masculino – Apostolos Christou da Grécia 54.59

Link dos resultados:
http://livetiming.se/results.php?cid=2517

1 responder
  1. Rafael
    Rafael says:

    Coach, me tire essas dúvidas.

    No caso do Brasil, as seletivas são o Open do ano passado e o Maria Lenk desse ano.
    Se por exemplo algum nadador fizer o índice exigido pela FINA no Sul-Americano mas não fizer no Open ou Maria Lenk, e ainda assim for o melhor tempo dos brasileiros ele está fora? Ou o tempo feito em outras competições também são válidos ?

    No caso da França, só vale o índice exigido pelo comitê Francês, ou o índice da FINA também conta ?
    O que você quiz dizer com “até agora o país tem apenas uma nadadora convocada oficialmente” ? Quem seriam os outros convocados não oficialmente e porque não são oficiais ?

    Obrigado,

    Rafael.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *