Altos e baixos, glórias e decepções, trocas de técnicos, nascimento de seu primeiro filho e muitas incertezas, o ciclo olímpico de Cesar Cielo ganhou mais um capítulo em acidentada trajetória até o Rio 2016.

Ao retornar para Scott Goodrich, Cielo faz a sexta troca de treinador dentro do mesmo ciclo olímpico. Um recorde em nível de alta performance mundial. Relembre o que tem sido estes últimos quatro anos de Cesar Cielo.

3 de agosto de 2012 –

olimpiada-londres-natacao-cesar-cielo-20120803-03-size-598
Cesar Cielo termina com o bronze nos 50 livre nos Jogos Olímpicos de Londres. Deixa a Olimpíada insatisfeito com o resultado e alega cansaço após a prova dos 100 livre que disputou dois dias antes terminando na sexta colocação.

20 a 25 de agosto de 2012 –
Cielo ainda nada o Troféu José Finkel em piscina curta do SESI em São Paulo pelo Flamengo. Vence as provas de 50 livre (20.59) e 100 livre (45.91), fica em segundo nos 50 borboleta (22.40) atrás de Nicholas Santos. Foi a última vez que nadou pelo clube carioca e última vez que competiu sob o comando de Alberto Pinto da Silva, o Albertinho.

Setembro de 2012 –
Cesar Cielo é submetido a uma cirurgia nos dois joelhos. Detalhes da reconstrução do joelho só seriam revelados meses depois.

Novembro de 2012 –
Inicia o trabalho de fisioterapia. Cielo sofre e sente muito o reinício. Chega até a chorar temeroso de não conseguir voltar a nadar competitivamente.

28 de Dezembro de 2012 –
O Flamengo anuncia o fim da sua equipe senior de natação. Cielo faz um acordo com a diretoria do clube carioca para receber suas pendências em mensalidades por dois anos.

Janeiro de 2013 –
Inicia o ano e Cielo aparece com o jovem treinador americano Scott Goodrich em São Paulo. Inicialmente, o Pro16 segue treinando com Albertinho, mas em poucos dias o grupo vai se desfazendo e passa a treinar com Felipe Dominguez em outro local.

Fevereiro de 2013 –

Cesar Cielo, Scott Goodrich. Clinica de Natacao CBDA-CORREIOS preparatorio para 2016. Treino no Complexo Poliesportivo Ayrton Senna. 19 de Fevereiro de 2013, Brasilia, Distrito Federal, Brasil. Foto: Satiro SodrŽ/Divulga‹o CBDA

Cesar Cielo, Scott Goodrich. Clinica de Natacao CBDA-CORREIOS preparatorio para 2016. Treino no Complexo Poliesportivo Ayrton Senna. 19 de Fevereiro de 2013, Brasilia, Distrito Federal, Brasil. Foto: Satiro SodrŽ/Divulga‹o CBDA

Clínica da Seleção Brasileira em Brasília, Cielo é questionado na entrevista coletiva e informa que Albertinho seguirá como seu técnico, junto com Scott Goodrich. Dias depois, Albertinho e Cielo, através de seus representantes legais assinam o rompimento amigável de contrato.

Março de 2013 –
Sem acerto com os grandes clubes, Cielo opta por representar o Clube de Campo de Piracicaba, uma das equipes de sua fase inicial da carreira. Sem qualquer ajuda ou salário, foi uma iniciativa própria do nadador.

19 de julho a 4 de agosto de 2013 –

04ago2013---brasileiro-cesar-cielo-posa-para-fotos-em-barcelona-com-as-duas-medalhas-de-ouro-conquistadas-no-mundial-1375633189337_1920x1080
Cielo faz um plano diferenciado do restante da Seleção Brasileira antes do Mundial de Barcelona. Treina na Holanda antes de chegar a Barcelona. Lá, se torna no primeiro tri campeão mundial da história nos 50 livre vencendo com 21.32, na época, o melhor tempo da era pós-trajes. Ainda vence os 50 borboleta com 23.01.

Outubro de 2013 –
Scott Goodrich é anunciado como o novo Head Coach do Sun Devils Aquatics, clube da Universidade Arizona State onde era auxiliar técnico antes de assumir o treinamento de Cielo. O clube troca de nome e Cielo passa a representar o Mesa Aquatics Club.

21 de dezembro de 2013 –
Cielo vai ao Open em Porto Alegre para nadar apenas uma prova, os 50 livre. Nada as eliminatórias e faz o segundo tempo 21.92, um décimo atrás de Bruno Fratus, que lhe vence pela primeira vez na carreira.
Frustrado com o resultado, Cielo demora alguns minutos, mas decide abandonar a competição indicando que não conseguiria nadar mais rápido na final.
Na época, o treinador Scott Goodrich não escondeu o descontentamento.

13 a 15 de fevereiro de 2014 –
No Grand Prix de Orlando, nos Estados Unidos, Bruno Fratus bate Cesar Cielo pela primeira vez em uma final de 50 livre. Fratus vence com 22.00 contra 22.15 de Cielo. Prata nos 50 livre, leva o ouro nos 100 livre com 49.25 e nada apenas o parcial dos 50 metros nos 100 borboleta com 23.68. Foi a última vez que Cielo competiu sob o comando de Goodrich. O treinador americano não acompanhou o brasileiro ao Grand Prix e com as novas atribuições de Head Coach sua relação ficou estremecida.

Março de 2014 –

cesão-no-minas
O Minas Tênis Clube anuncia a contratação de Cesar Cielo indicando que o nadador irá treinar em Belo Horizonte agora sob o comando do treinador australiano Scott Volkers.

24 de março de 2014 –

1908-685x448
A piscina do Minas Tênis Clube estava lotada para assitir a estréia de Cesar Cielo pelo clube no Torneio Metropolitano. Cielo faz bonito e marca 21.74 nos 50 livre.

21 de abril de 2014 –
Cielo vence o Maria Lenk com 21.39, o melhor tempo sem trajes feito no Brasil. Mesmo com o forte resultado, o nadador anuncia que não irá ao Pan Pacífico concentrando seus esforços para o Mundial de Piscina Curta em Doha no final do ano.

4 de julho de 2014 –
Se havia alguma dúvida, Cielo fica em terceiro no Aberto da França na prova dos 50 livre com 22.16, perde para Florent Manaudou (21.71) e James Magnussen (22.07).

1o a 6 de setembro de 2014 –

cielo_3_1
Última competição de Cielo sob o comando de Scott Volkers. Foi no Troféu José Finkel em Guaratinguetá onde vence as provas de 50 (20.72) e 100 livre (46.08) além de ficar em segundo nos 50 borboleta (22.46) perdendo para Nicholas Santos.
Dias depois, Cielo viajaria para os Estados Unidos onde fez a programação para o Mundial de Doha com Scott Goodrich.

3 a 7 de dezembro de 2014 –

nat_cielomedalha2_625_satirosodre_sspress
Mundial de Doha, Brasil campeão geral no quadro de medalhas. Cielo foi ouro nos 100 livre (45.75) batendo Florent Manaudou no final depois de passar atrás. Nos 50 livre, Manaudou bate o recorde mundial da prova com 20.26, Cielo num branco na saída termina num distante terceiro lugar com 20.88, atrás do italiano Marco Orsi, prata com 20.69. Cielo ainda foi ouro nos revezamentos 4×100 medley e 4×50 medley misto, além de um bronze no 4×50 livre misto.

9 de fevereiro de 2015 –
Cesar Cielo anuncia um novo grupo de trabalho, sua própria comissão multidisciplinar e vai ter São Paulo como a sua base.
Comissão anunciada com Charles Ricardo Lopes, Professor Doutor em fisiologia do treinamento, Arilson Soares Silva, técnico, Dr. Gustavo Magliocca, médico, André Cunha, preparador físico, Professor Doutor Marcelo Saldanha Aoki, nutricionista, Natan Cunha, fisioterapeuta.
Já no anúncio, fica claro que é Charles Ricardo Lopes que tem o comando do trabalho.

6 a 11 de abril de 2015 –
Pela primeira vez desde 2006, Cielo termina o Troféu Maria Lenk sem ganhar uma medalha de ouro individual. Foi prata nos 50 livre com 21.84 perdendo para Bruno Fratus 21.74, prata nos 100 livre com 48.97 perdendo para Matheus Santana 48.78 e prata nos 50 borboleta perdendo para Nicholas Santos 23.11 contra 22.90.
Cielo anuncia que não irá disputar os Jogos Pan Americanos concentrando sua preparação para o Mundial de Kazan.

5 de julho de 2015 –
Cielo tem uma derrota dura contra o francês Florent Manaudou no Aberto da França. Manaudou nada fácil para 21.61 enquanto Cielo chega num distante 22.15. Sua preparação para o Mundial de Kazan segue na Europa diferente da equipe brasileira que se preparava para o Pan de Toronto.

4 de agosto de 2015 –

A71Q2030
Cielo abandona o Campeonato Mundial de Kazan um dia após ficar em sexto lugar na prova dos 50 borboleta com 23.21. Sem falar com a imprensa, a sua saída foi anunciada pela comissão técnica e pelo médico Gustavo Magliocca que informou de uma lesão no ombro. Foi a única prova que ele disputou na competição.

5 de agosto de 2015 –
Na sua chegada ao Brasil, Cielo anuncia que irá tirar um período de repouso, dois meses para a sua completa recuperação.

21 de setembro de 2015 –
Nasceu Thomas, o primeiro filho de Cesar Cielo e a modelo gaúcha Kelly Gisch.

Outubro de 2015 –
Cielo retorna aos treinamentos em São Paulo. Agora, sem o comando do fisiologista Charles Ricardo Lopes, o treinador Arilson Soares da Silva tem o comando do programa.

18 de dezembro de 2015 –
Após ficar em 13o lugar nos 100 livre com 49.55nas eliminatórias, Cielo decide abandonar o Troféu Open. Antes, Cielo havia nadado o revezamento 4×50 livre e na segunda posição fez o parcial de 21.44.
Sem anunciar nada, Cielo decide se retirar da competição frustrado com os seus resultados.

12 de janeiro de 2016 –
Cielo anuncia no seu website que passa a treinar com Scott Goodrich nos Estados Unidos na preparação para o Troféu Maria Lenk em abril.

1 responder
  1. Fã
    says:

    Parece muito nais uma questão psicológica do que fisiologica ou de treinamento, esta claro que a cabeça do nosso campeão já nao é mais a mesma…

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *