Quase unanimidade para Estefhany de Oliveira, a caçula da Seleção Brasileira Paralímpica no Mundial de Glasgow. Aos 16 anos de idade, e disputando o seu primeiro Mundial, não se intimidou voltando com uma medalha de ouro. Nos Jogos ParaPanamericanos foram seis medalhas, um ouro, quatro pratas e um bronze.

11745393_948429755180340_1702613764447574606_n

Esthefany nasceu com displasia epifisária, doença que causa encurtamento nos membros e escoliose em S na coluna. Por orientação médica, está no esporte desde cedo.

Na natação paralímpica apareceu nos Jogos Parapan da Juventude em 2013, lá foram três ouros e uma prata.

Reconhecida como a Revelação da Natação Paralímpica em 2015, Esthefany, ou Teks, como é carinhosamente conhecida, é outra das esperanças do Brasil para a campanha do Rio 2016.

Também foram nominados e votados pela ordem: Guillherme Batista Silva e Cecilia Araújo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *