Um recorde que Toronto 2015 não vai se orgulhar, mas a competição foi entre 17 edições e 64 anos de Jogos Pan Americanos a que apresentou o maior número de casos de doping.

Ainda existem situações pendentes a possíveis julgamentos, mas a estatística já apresenta 20 casos positivos de doping quebrando o recorde anterior que era dos Jogos Pan Americanos de 1983 em Caracas na Venezuela. Em relação a Guadalajara 2011, última edição do Pan, foram 14 casos de doping.

São 20 atletas de 15 dos 41 países que participaram do Pan, o Brasil entre eles, com o caso do levantador de peso Patrick Mendes que ficou em quarto lugar na categoria até 105 quilos. Colômbia, Perú, Porto Rico, Chile e Nicarágua são os “campeões” de doping com dois casos cada um.

Nove das 36 modalidades do Pan tiveram casos de doping. Entre os aquáticos, apenas a natação aparece na lista com um caso ainda não resolvido. Mauricio Fiol do Perú, medalha de prata nos 200 borboleta, testou positivo para Estanozolol e já iniciou seu processo de defesa.

Fiol nega qualquer ingestão da droga e contratou o advogado americano Howard Jaccobs, considerado o melhor do mundo no processo de defesa de casos de doping. Jaccobs foi o advogado de Cesar Cielo, Nicholas Santos, Henrique Barbosa e Vinicius Waked no caso da furosemida em 2011.

Todo o processo de Mauricio Fiol segue em segredo de justiça até a decisão final da FINA. O caso continua sem ser reportado pela entidade.

A luta e o levantamento de peso foram os esportes mais “sujos” do Pan 2015, cada um com quatro casos. O atletismo teve três sendo dois na prova das maratonas.

Dois esteróides anabólicos, Estanozolol e Boldenone são as drogas mais consumidas no Pan 2015, cada uma com três testes positivos.

O Brasil foi beneficiado em dois casos de doping. Na maratona feminina, com o teste positivo de Gladys Tejeda do Perú, o ouro passou para Adriana Aparecida da Silva. E no caso do levantador Jesus Gonzalez da Venezuela deixando o ouro para Mateus Filipe Gregório. Ambas as medalhas ainda precisam ser homologadas e re-distribuídas pela ODEPA.

A lista completa dos atletas que testaram positivo nos Jogos Pan Americanos de Toronto: (nome, país, esporte, substância)
Stephanie Bragayrac, Paraguai, luta, Furosemida
Maria Luisa Calle, Colômbia, ciclismo, GHRP2
Astrid Camposeco, Guatemala, levantamento de peso, Clenbuterol e Boldenone
Maria Mercedes Castillo, República Dominicana, beisebol, DimeThylbutylamina
Cinthya Dominguez, México, levantamento de peso, Oxandrolona
Mauricio Fiol, Perú, natação, Estanozolol
Nelson Gomez, Porto Rico, beisebol, Boldenone
Jesus Gonzalez, Venezuela, levantamento de peso, não divulgada
Christopher Guajardo, Chile, atletismo, EPO
Elverine Jimenez, Nicarágua, luta, DHEA
Patrick Mendes, Brasil, levantamento de peso, 4-Clorodehydromethyltestoterona
Sheila Ocasio, Porto Rico, volei, Estanozolol
Javier Jesus Ortiz Angulo, Colômbia, beisebol, Estanozolol
Carlos Oyarzun, Chile, ciclismo, FG-4592
Maria Pastuña, Equador, atletismo, Nandrolona
Richard Peralta Robledo, Panamá, futebol, Clostebol
Rene Silva Rios, Nicarágua, luta, Boldenone
Gladys Tejeda, Perú, atletismo, Furosemida
Luis Vasquez, Argentina, luta, Hormônio e Modulador Metabólico
Merin Zalazar, Hondruas, boxe, Furosemida

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *