10) Revezamento feminino 4×100 livre 3:37.39

Revezamento 4x100 livre. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 14 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Revezamento 4×100 livre. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 14 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

As meninas sabiam que o bronze era o provável e acabou acontecendo, mas nadaram de forma implacável, desafiando os prognósticos e a razão. Larissa Oliveira 54.67, Graciele Herrmann 54.72, Etiene Medeiros 53.99 e Daynara de Paula 54.01 fulminaram o antigo recorde sul-americano em quase quatro segundos num terceiro lugar comemorado com muita razão.

09) Henrique Rodrigues 200 medley 1:57.06

Thiago Pereira, Henrique Rodrigues. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Thiago Pereira, Henrique Rodrigues. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Terceiro tempo do mundo em 2015, Henrique Rodrigues soube a hora de atacar Thiago Pereira. Esteve sempre próximo e com parciais bem divididos, Henrique teve força para assumir a liderança no crawl e fechar para a sua melhor marca pessoal superando o tempo de 1:57.37 que sobrevivia desde 2013.

08) Thiago Simon 200 peito 2:09.82

Thiago Simon.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 15 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Thiago Simon. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 15 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Thiago estava consciente do que precisava para vencer os 200 peito no Pan. Queria quebrar a barreira dos 2:10 pela primeira vez, colocou isso como meta e foi atrás. Nadou para 2:09.82 é a 15a melhor marca do mundo e só perde para os 2:09.77 de Tales Cerdeira na Olimpíada de 2012 entre as marcas brasileiras pós-trajes.

07) Joanna Maranhão 400 medley 4:38.07

Joanna Maranhao. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 14 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Joanna Maranhao. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 14 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Quase onze anos depois, Joanna Maranhão finalmente conseguiu derrubar a sina dos 4:40. Foram umas 40 provas e sete delas nadando para 4:40 e alguma coisa. Quando baixou, baixou de vez. Caiu o mais antigo recorde da natação brasileira. É o 14o tempo do mundo em 2015.

06) Brandonn Almeida 400 medley 4:14.47

Brandonn Almeida.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 16 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Brandonn Almeida. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 16 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Novo recorde mundial júnior para Brandonn que descansou poucos dias e ficou surpreso com a marca que também lhe deu o título panamericano. Com melhora no borboleta, Brandonn foi mais agressivo desde o início da prova e vai como favorito para o título no Mundial Júnior. Foi o 16o tempo do mundo em 2015.

05) Leo de Deus 200 borboleta 1:55.01

Leonardo de Deus. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 14 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Leonardo de Deus. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 14 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Melhor marca pessoal para Leo de Deus baixando 17 centésimos do seu tempo do Maria Lenk e batendo na trave do 1:54. O tempo foi sexto do mundo em 2015, mas uma chegada melhor teria lhe dado o que tanto queria, quebrar a barreira do 1:55.

04) Etiene Medeiros 100 costas 59.61

Etiene Medeiros.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Etiene Medeiros. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Uma marca e um resultado histórico. Etiene, a melhor nadadora do mundo nos 50 costas, nem figurava nos 100 costas. A espera de 17 edições de Jogos Pan Americanos, 64 anos na fila, o Brasil pode finalmente comemorar a sua primeira campeã panamericana. A barreira do minuto quebrada foi um marco e representa muito para natação feminina do Brasil. Etiene é a sétima do mundo nos 100 costas.

03) Felipe França 100 peito 59.21

Felipe Franca. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Felipe Franca. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Bi campeão panamericano, batendo o recorde nas eliminatórias e na final. Os 59.21 da final é a terceira marca do mundo este ano em prova que dominou desde o princípio em fundamentos fortes e rápidos. É a sua melhor marca pessoal, supera os 59.63 feitos no Maria Lenk de 2012.

02) Guilherme Guido 100 costas 53.12

Felipe, Guilherme, Arthur, Marcelo. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Felipe, Guilherme, Arthur, Marcelo. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Novo recorde sul-americano e panamericano fechando a competição abrindo o revezamento 4×100 medley. Foi o quarto tempo do mundo e se Guido tivesse feito isso na prova teria vencido o americano Nick Thoman. A marca supera o recorde sul-americano que era do próprio Guido da era dos trajes com 53.24.

01) João de Lucca 200 livre 1:46.42

Joao de Lucca.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 16 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Joao de Lucca. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 16 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

A performance em piscina longa que se esperava há três anos aconteceu. João de Lucca, o terceiro melhor nadador da história dos 200 livre em piscina de jardas alcançou o que se esperava dele, uma marca a nível mundial na longa.

Para quem mal quebrava o 1:48, os 1:46.42 trouxe João de Lucca para outro nível de performance. A marca lhe coloca como nono do mundo na prova. O recorde sul-americano anterior era de Thiago Pereira com 1:46.57 ainda da era dos trajes.

5 respostas
  1. Jorge Ramalho
    Jorge Ramalho says:

    Eu trocaria os 400m medley da Joanna Maranhão pelo revezamento 4x200m livres, que fez um tempaço e baixou o recorde sul-americano em vários segundos. O tempo da Joanna ainda está muito defasado perante a elite mundial, e o tempo do revezamento é bem mais relevante.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *