Os homens continuam a ser os principais protagonistas da natação brasileira, mas é inegável a evolução das meninas que saem de Toronto com a melhor campanha da natação feminina do Brasil em Jogos Pan Americanos.

Revezamento 4x100 medley. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Revezamento 4×100 medley. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

A equipe de 17 nadadores conquistou um total de oito medalhas (os homens 18), sendo uma de ouro, histórica com Etiene Medeiros nos 100 costas, o primeiro ouro feminino em 17 edições de Jogos Pan Americanos, mais duas medalhas de prata e cinco medalhas de bronze.

Com oito medalhas, a natação feminina do Brasil superou as campanhas de 2007 no Rio e 2011 em Guadalajara quando acumulamos sete medalhas.

As medalhas foram:
Ouro – Etiene Medeiros nos 100 costas
Prata – Revezamento 4×200 livre
Prata – Etiene Medeiros 50 livre
Bronze – Joanna Maranhão 200 borboleta
Bronze – Revezamento 4×100 livre
Bronze – Manuella Lyrio 200 livre
Bronze – Joanna Maranhão 400 medley
Bronze – Revezamento 4×100 medley

Etiene Medeiros.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Etiene Medeiros. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Se nas medalhas as meninas perdem para os homens, nos recordes sul-americanos a vitória foi feminina. Foram oito recordes sul-americanos contra contra apenas dois dos homens. As meninas bateram as marcas dos 50 livre, 100 livre, 200 livre, 100 costas, 200 costas, 200 borboleta, revezamento 4×100 livre e 4×200 livre. Ainda teve mais um recorde brasileiro, Manuella Lyrio superando a sua própria marca nos 400 livre e Joanna Maranhão nos 400 medley.

No lado masculino, foram apenas dois recordes sul-americanos, um com João de Lucca nos 200 livre, outro com Guilherme Guido nos 100 costas abrindo o revezamento 4×100 medley, na última prova do programa. Os homens ainda tiveram um recorde brasileiro nos 1500 livre com Brandonn Almeida.

Porém, nada foi tão especial nesta campanha de Panamericano como o ouro de Etiene Medeiros e seus 59.61 uma vitória histórica e que merece ser assistida novamente.

https://www.youtube.com/watch?v=JyX0YdMmY6A

7 respostas
  1. Ale
    Ale says:

    Nem Phelps , nem Lochte , não nadam mais de 5 provas a muito tempo.
    O que se viu, é pura tiração de onda de super atleta pra cima de argentinos, chilenos, etc.

    Responder
  2. Mococa92
    Mococa92 says:

    O Thiago sair de ultima hora das provas de 100 eh un desrespeito.
    Inclusive, muito oba oba em cima dele. Ele nadou mal em todas as provas, e continua morrendo no crawl nas provas de medley. Eh impressionante, faz 15 anos que ele nada a prova do mesmo jeito. Passa forte e morre no final. Em 2 ocasioes na vida dele, ele teve uma tatica diferente e deu certo: 400 medley nas olimpiadas e no mundial de 2013. Nas duas ele segurou a passagem e chegou bem no crawl. Ninguem percebe isso? O Henrique deu uma aula de tatica….

    Responder
  3. Dory
    Dory says:

    Primeiramente parabenizar do Sport tv,tomara que continue com os 2 comentaristas para o mundial de Kazan e para a olimpíadas foi muito bom mesmo.Parabenizar tb toda a delegação brasileira foi muito bom todas os resultados,a evolução da natação feminina e ver uma nova geração chegando ai com tudo…
    Valeu mesmo.Muito saber que em pouco tempo vai ter kazan,pois ja to com saudade de ver uma grande transmissão de uma competição de nataçaõ na tv.

    Responder
  4. RICARDO OLIVEIRA
    RICARDO OLIVEIRA says:

    Alexandre,
    Esqueceu a quebra do recorde brasileiro nos 400m medley da Joana.

    Menção honrosa a Joana, que em todas as provas que participou, melhorou suas marcas (recorde sul americanos e/ou brasileiros) com exceção dos 200m medley, mesmo assim foi a sua melhor marca pós trajes..

    Não gostei do Thiago querer tentar participar de todas as provas que ele tinha índice e na hora H, desistiu dos 100m borboleta e 100m costas, tirando a chance de outros que tinham índice nestas provas, participarem desse gigantesco aprendizado…

    Agradecer a equipe americana por não ter escalado a Nathalie nos 100m costas, se não….. não viria o ouro,, mas o problema é deles, e que a Etiene melhorou em torno de 1s sua melhor marca mostra grande evolução e futuro ainda mais promissor que na minha opinião é o mais importante que a medalha dourada num pan-americano,,,

    Importante ressaltar que em torno de 35% de nossos nadadores melhoraram ou ficaram muito próximos de suas melhores marcas, esse negócio de fazer tempaço em competição nacional e amarelar em competição internacional é muito ruím…

    Responder
  5. Giovane
    Giovane says:

    Lembrando que Joanna empatou com Tatiana Lemos e ambas são as maiores medalhistas da natação feminina em Pan, oito medalhas no total!

    Responder
  6. Gustavo
    Gustavo says:

    Joanna também melhorou o seu próprio recorde brasileiro dos 400mts Combinados!!! O tempo anterior estava intacto desde Atenas 2004.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *