Dia 5 – Sábado, 18 de julho
800 LIVRE FEMININO
Recorde panamericano – Kaitlin Sandeno (USA) 8:34.65, 1999
Recorde sul-americano – Andreina Pinto (VEN) 8:25.93, 2013
Recorde brasileiro – Joanna Maranhão 8:32.96, 2009

Brasil
Bruna Primati e Carolina Bilich são as nadadoras do Brasil. As duas fizeram suas melhores marcas na temporada passada. Bilich 8:40.79 no Open e Primati 8:42.80 nas Olimpíadas da Juventude em Nanjing. No Open, Primati piorou um pouco para 8:44.30, tempo que lhe deu a segunda vaga na prova pelo Brasil e já nadou esta manhã fazendo a sua melhor marca pessoal.

Estados Unidos
Duas nadadoras que fizeram suas melhores marcas no Campeonato Americano do ano passado. Courtney Harnish com 8:31.88 e Sierra Schmidt 8:34.58.

Canadá
Brittany MacLean é a recordista canadense com 8:20.02. Natural de Toronto talvez seja a primeira nadadora da história a ser convocada sem competir. Com uma lesão no ombro não nadou a seletiva, mas foi chamada pela excelente marca feita no ano passado 8:20.02. MacLean bateu Missy Franklin nas 500 jardas livres no NCAA do ano passado, mas este ano com inúmeros problemas de lesão não fez uma boa temporada. A segunda nadadora da prova é Tabitha Baumann que venceu a seletiva com 8:37.94, porém tem marca melhor feita no ano passado 8:32.37.

Outros:
Andreina Pinto da Venezuela perdeu os 400 livre e vai com tudo para os 800. Está balizada com o segundo tempo 8:30.66. Ainda tem a chilena Kristel Kobrich balizada com 8:38.15.

Notas da prova:
* Estados Unidos venceu 11 das 12 edições da prova nos Panamericanos.
* Única derrota foi no último Pan quando Kristel Kobrich do Chile venceu com 8:34.71.
* Brasil nunca venceu nenhuma medalha nesta prova.
* Andreina Pinto da Venezuela foi bronze na última edição, única medalha de seu país na prova nos Jogos Pan Americanos.

200 MEDLEY MASCULINO
Recorde panamericano – Thiago Pereira (BRA) 1:57.79, 2007
Recorde sul-americano e brasieiro – Thiago Pereira (BRA) 1:55.55, 2009

Brasil
Thiago Pereira e Henrique Rodrigues voltam a ser os representantes do Brasil na prova. Em 2011, em Guadalajara, Thiago foi ouro e Henrique bronze. Thiago fez 1:57.23 no Open em dezembro e Henrique entrou com 1:59.28 do Maria Lenk. Os dois tem marcas melhores. Thiago, e seu recorde sul-americano de 1:55.55 desde 2009 e Henrique com 1:57.37 desde 2012.

Estados Unidos
Dois jovens nadadores fazendo estréia na Seleção Americana Absoluta. Gunnar Bentz que foi campeão mundial júnior em Dubai 2013 fez 1:59.19 na seletiva e Ty Stewart que na seletiva fez 2:00.61, mas tem um pouco melhor 2:00.36.

Canadá
Na seletiva os resultados foram bem fracos, Luke Reilly 2:01.57 e Evan White 2:02.14. White tem 1:59.84 da temporada passada.

Outros:
Carlos Omana da Venezuela e Omar Pinzon da Colômbia, estão na final, mas não são protagonistas.

Notas da prova:
* Thiago, se vencer, vai se tornar no primeiro tri campeão da prova. Steve Furniss dos Estados Unidos em 1971 e 1975 e Curtis Myden do Canadá em 1995 e 1999 foram bi campeões. Thiago venceu em 2007 com 1:57.79 e em 2011 com 1:58.07.
* Brasil tem seis medalhas nesta prova no Pan, três de ouro (Pradinho em 1983 e duas com Thiago), uma prata e dois bronzes.
* Estados Unidos tem 20 medalhas sendo seis de ouro, mas não vence a prova desde 1991.

200 MEDLEY FEMININO
Recorde panamericano – Julia Smit (USA) 2:13.07, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Joanna Maranhão (BRA) 2:12.12, 2009

Brasil
Mesma dupla dos 400 medley, Joanna Maranhão e Gabriele Roncatto. Joanna ainda mantém o recorde sul-americano desde 2009 com 2:12.12, mas garantiu sua vaga em marca bem próxima disso com 2:12.78. Gabriele Roncatto fez o seu melhor para entrar na seleção do Pan com 2:17.05.

Estados Unidos
Caitlin Leverenz é a única da prova que já nadou abaixo dos 2:10, tem 2:09.95. No ano passado, na seletiva fez 2:10.67. A segunda nadadora é Meghan Small que fez o seu melhor na seletiva com 2:11.83.

Canadá
A melhor nadadora canadense é Erika Seltenreich-Hodgson com 2:11.76, mas na seletiva nadou para 2:13.15. A melhor da seletiva foi Sydney Pickrem que fez o seu melhor pessoal 2:11.90.

Outros:
Alia Atkinson da Jamaica foi prata em 2011 com 2:14.75 e Virginia Bardach da Argentina está na final, mas sem chances de pódio.

Notas da prova:
* Doze edições da prova no Pan, oito vitórias americanas, quatro do Canadá.
* Joanne Malar do Canadá foi tri campeã da prova de 1995 a 2003, única nadadora da história a conquistar três títulos consecutivos na mesma prova no Panamericano.
* Brasil tem apenas um bronze, Joanna Maranhão em 2011 com 2:15.08.

1500 LIVRE MASCULINO
Recorde panamericano – Chip Peterson (USA) 15:12.33, 2007
Recorde sul-americano – Martin Naidich (ARG) 15:10.24, 2013
Recorde brasileiro – Brandonn Almeida (BRA) 15:12.20, 2015

Brasil
Brandonn Almeida quebrou o recorde brasileiro no Maria Lenk com 15:12.20 e Lucas Kanieski, na mesma prova, também fez a sua melhor marca pessoal depois de alguns anos empacado no mesmo tempo. Nadou para 15:14.18.

Estados Unidos
Andrew Gemmell é filho de Bruce Gemmell, seu treinador e técnico de Katie Ledecky. Tem 14:52.19 feitos na seletiva olímpica de 2012. No campeonato americano do ano passado nadou para 15:07.82. O segundo nadador é Ryan Feeley que também piorou o tempo na seletiva. Tem 15:06.48 mas se classificou com 15:14.18.

Canadá
Duas vezes medalhista olímpico, três vezes medalhista mundial, é a prova de Ryan Cochrane. Tem 14:39.63 e nesta temporada. O segundo nadador também é forte, Kier Maitland com 15:12.47.

Outros:
Marcelo Acosta de El Salvador foi medalhista dos Jogos Olímpicos da Juventude no ano passado nos 800 livre e campeão dos Jogos Centro-Americanos no México. Mateo de Angulo da Colômbia nada na raia 8, recordista colombiano, mas atualmente um tanto distante das suas melhores marcas pessoais.

Notas da prova:
* Em 16 edições da prova, 14 vitórias dos Estados Unidos, uma do Brasil e uma da Venezuela.
* Tetsuo Okamoto foi o primeiro campeão panamericano em 1951 nadando para 19:23.3.
* Última medalha do Braisl na prova foi em 1999 com Luiz Lima prata com 15:21.92.
* Estados Unidos venceu as duas últimas edições e acumula um total de 25 medalhas.

REVEZAMENTO 4X100 MEDLEY FEMININO
Recorde panamericano – Estados Unidos 4:01.00, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Brasil 3:58.49, 2009

Notas da prova:
* Estados Unidos só perdeu a prova uma vez em 1971, são 14 vitórias em 15 Jogos Pan Americanos.
* Canadá tem uma vitória e 13 medalhas de prata, em 1991 foi desclassificado.
* Brasil tem cinco medalhas, uma parata e quatro bronzes. Nunca vencemos o Canadá, em 1991 quando ficamos com a prata, o Canadá foi desclassificado.

REVEZAMENTO 4X100 MEDLEY MASCULINO
Recorde panamericano – Estados Unidos 3:34.37, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Brasil 3:29.16, 2009

Notas da prova:
* Estados Unidos tem 13 vitórias em 15 Jogos Pan Americanos. Perdeu duas vezes para o Brasil, em 1999 em Winnipeg e em Guadalajara 2011.
* Brasil soma nove medalhas, dois ouros, três pratas e quatro bronzes.
* O Canadá não vence o Brasil na prova desde 1987.

3 respostas
  1. Carlos Baiano
    Carlos Baiano says:

    É necessário reconhecer que a evolução de GUIDO eleva nosso revezamento 4x100m medley à outro nível ; jamais deixarei de reconhecer isso. Parabéns!

    Responder
  2. Carlos Baiano
    Carlos Baiano says:

    Vou começar a discussão aqui porque não suporto esperar. Inicialmente, é preciso ENALTECER o feito de Thiago. Glória e parabéns! A conquista é realmente absurda.
    Por outro lado, é com imensa iinfelicidade que tenho que expor o INFELIZ COMENTÁRIO de FELIPE FRANÇA. Nunca imaginei ver tanto recalque na seleção brasileira. Alguém pode me explicar o que acaconteceu? Pq Felipe não pôde suportar a GRANDE CONQUISTA de Thiago? Essa situação me deixou deveras preocupado pra Kazan. O que mais me assusta é que ele é um suposto discípulo de Deus. Deus proteja o Brasil.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *