Dia 3 – Quinta-feira, 16 de julho

400 MEDLEY FEMININO –
Recorde panamericano – Joanne Malar (CAN) 4:38.46, 1999
Recorde sul-americano – Georgina Bardach (ARG) 4:37.51, 2004
Recorde brasileiro – Joanna Maranhão (BRA) 4:40.00, 2004

Brasil
Joanna Maranhão vive uma grande (nova) fase. Tem nadado sempre muito perto do seu recorde brasileiro da prova. Fez 4:40.57 antes deste Pan apenas 57 centésimos da marca que ainda sobrevive desde 2004, o mais antigo recorde brasileiro em vigor. Gabriele Roncatto é a nadadora mais jovem do Brasil neste Pan, entra com 4:51.40, marca feita no Open em dezembro passado, sua melhor marca pessoal.

Estados Unidos
Caitlin Leverenz foi bronze em Londres 2012 nos 200 medley, seu forte é o peito já tendo sido campeã panamericana dos 200 peito no Rio em 2007. Sua melhor marca pessoal 4:34.48 da seletiva americana de 2012. No ano passado, nadou para 4:38.31. Kate Mills é a segunda nadadora com 4:44.30, sua melhor marca pessoal.

Canadá
Duas nadadoras fazendo suas melhores marcas pessoais na seletiva de abril passado. Erika Seltenreich-Hodgson com 4:44.41 e Sydney Pickrem 4:39.26.

Notas da prova:
* Brasil tem uma prata com Joanna Maranhão em 2011 e um bronze, também com Joanna em 2003, na sua estréia no Pan em Santo Domingo.
* Os Estados Unidos domina a prova com 22 medalhas, oito de ouro.
* Joanne Mallar do Canadá e Tracy Caulkins dos Estados Unidos são as bi campe˜es da prova. Malar foi a última canadense a vencer.
* Georgina Bardach da Argentina foi campeã em 2003 em Santo Domingo, a única vitória de uma sul-americana na prova com 4:43.40.

400 MEDLEY MASCULINO –
Recorde panamericano – Thiago Pereira (BRA) 4:11.14, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Thiago Pereira (BRA) 4:08.68, 2009 e 2012
Recorde mundial Júnior – 4:14.97 Gunnar Bentz, 2013

Brasil
Thiago Pereira garantiu a vaga para o Pan com 4:13.94 feitos no Maria Lenk. Seu melhor ainda é o recorde sul-americano feito em 2009 e repetido em 2012 com 4:08.86. Brandonn Almeida é o mais jovem da equipe masculina com a melhor marca pessoal feita no Maria Lenk com 4:15.82.

Estados Unidos
Dois nadadores estreantes em seleções americanas absolutas. Michael Weiss e Max Williamson. Weiss tem 4:12.00, mas ganhou vaga no time americano com 4:14.85. Williamson tem 4:17.76.

Canadá
Luke Reilly e Alec Page são os nadadores canadenses da prova. Ambos nadaram cerca de dois segundos acima dos seus melhores na seletiva. Reilly tem 4:15.86 fez 4:17.21 e Page tem 4:16.62 e classificou com 4:19.15.

Outros:
Carlos Omana faz a sua estreia pela seleção da Venezuela, americano de nascimento teve muito destaque na sua passagem pela Universidade da Flórida e chegou a ser campeão do Junior Nationals nos Estados Unidos.

Notas da prova:
* Doze vezes que os Jogos tem a prova do 400 medley, sete vitórias americanas, três do Brasil e duas do Canadá.
* As vitórias brasileiras vieram com Ricardo Prado em 1983 e duas com Thiago Pereira em 2007 e 2011.
* Curtys Mayden do Canadá em 1995 e 1999 e Thiago Pereira nas duas últimas edições são os únicos bi campeões da prova.

100 BORBOLETA FEMININO –
Recorde panamericano – Claire Donahue (USA) 58.73, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Gabriella Silva (BRA) 56.94, 2009

Brasil
Daynara de Paula e Daiene Dias conquistaram suas vagas para o Pan em marcas feitas no Open respectivamente com 58.36 e 58.49. O melhor de Daynara ainda é da época dos trajes com 57.68, o de Daiene foi a marca de dezembro passado.

Estados Unidos
Kelsi Worrell foi a campeã do NCAA deste ano. Nadadora do treinador brasileiro Arthur Albiero é considerada a melhor nadadora de borboleta dos Estados Unidos na atualidade. Fez 58.24 para estar neste time, sua melhor marca pessoal. A outra nadadora é Gia Dalessandro com 58.99.

Canadá
Boa prova para o Canadá. Noemie Thomas tem 57.96 e Katerine Saavard tem 57.27. As duas nadaram um pouco acima disso na seletiva, 58.08 para Thomas e 58.18 para Saavard.

Outros:
Arianna Vanderpool Wallace de Bahamas vai com tudo, passa bem e tenta voltar. Já nadou na casa dos 58 segundos e se não morrer, pode complicar.

Notas da prova:
* Prova disputada há 15 edições de Jogos Pan Americanos, só Estados Unidos, Canadá e Brasil ganharam medalhas.
* Americanos venceram 13 das 15, Canadá venceu a última em 1991.
* Brasil tem duas medalhas de prata (Daynara de Paula em 2011 e Gabrielle Rose em 1995) e duas de bronze (Lucy Burle em 1971 e Gabriella Silva em 2007).
* Americanas vencem a prova há cinco edições consecutivas dos Jogos.

100 BORBOLETA MASCULINO –
Recorde panamericano – Kaio Márcio (BRA) 52.05, 2007
Recorde sul-americano – Albert Subirats (VEN) 50.65, 2009
Recorde brasileiro – Gabriel Mangabeira (BRA) 51.02, 2009

Brasil
Thiago Pereira garantiu vaga no Open em dezembro com 52.27, muito próximo do seu melhor 52.23 feitos no Mundial de Barcelona em 2013. Arthur Mendes ganhou a vaga na sua primeira seleção absoluta vencendo o Maria Lenk com a melhor marca pessoal 52.33.

Estados Unidos
Dois nadadores já profissionais. Eugene Godsoe e Giles Smith que fizeram sucesso em suas épocas universitárias, Godsoe em Stanford e Smith no Arizona. Godsoe tem 51.66, mas nadou para 53.06 na temporada passada. Smith fez a sua melhor marca pessoal 52.02.

Canadá
O “importado” Santo Condorelli nadou pela primeira vez abaixo dos 53 segundos. Fez 52.96 na seletiva. Coleman Allen é o segundo nadador classificado com 53.12, mas sua melhor marca pessoal é 52.76.

Outros:
Albert Subirats da Venezuela é o atual campeão panamericano da prova. Nada seu quarto Pan e tem condições de chegar ao bi. É o atual recordista sul-americano da prova ainda da época dos trajes com 50.65. Outros destaques: Mauricio Fiol do Perú, prata nos 200 borboleta, e o argentino Santiago Grassi, atual recordista nacional.

Notas da prova:
* Estados Unidos dominam a prova com 18 medalhas, sete de ouro, sete de prata e quatro de bronze.
* Venezuela venceu duas vezes com Francisco Sanchez em 1999 e Albert Subirats no último Pan em 2011.
* Brasil só venceu uma vez, Kaio Márcio em 2007 com 52.05, atual recorde panamericano da prova.
* Brasil tem cinco medalhas, um ouro, duas pratas e dois bronzes.

REVEZAMENTO 4X200 LIVRE FEMININO –
Recorde panamericano – Estados Unidos 8:01.18, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Brasil 7:09.71, 2009

Notas da prova:
* Sete disputas de Jogos Pan Americanos, seis vitórias americanas, uma canadense em 1999.
* Brasil tem duas pratas e dois bronzes. Fomos vice campeões olímpicos em 2003 e 2011.
* A primeira vez que a prova foi disputada em 1987 quando os Estados Univos venceu, Costa Rica foi segundo e Canadá em terceiro.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *