Dia 2 – Quarta-feira, 15 de julho

200 LIVRE FEMININO –
Recorde panamericano – Sippy Woodhead (USA) 1:58.43, 1979
Recorde sul-americano e brasileiro – Larissa Oliveira (BRA) 1:58.53, 2015

Brasil
Duas nadadoras que fizeram a melhor prova do Maria Lenk deste ano com os fantásticos 1:58.53 para Larissa Oliveira e 1:58.74 para Manuella Lyrio. Foi a primeira vez que se nadou abaixo do 1:59 entre as sul-americanas. Depois do bom início para as duas ontem, boas expectativas para a prova.

Estados Unidos
A campeã olímpica Alisson Schmitt não vai conseguir repetir seus 1:53.61 de Londres em 2012. O melhor que nadou desde o ano passado foi 1:57.86. Sua companheira de prova é Kiera Janzen que tem 1:58.28, mas não quebrou a barreira dos dois minutos desde o ano passado com 2:00.24.

Canadá
Duas adversárias e no mesmo nível das brasileiras. Emily Overholt e Katerine Saavard fizeram suas melhores marcas pessoais na seletiva respectiamente 1:58.69 e 1:58.84. Prova que promete ser equilibradíssima.

Outros
Andreina Pinto da Venezuela é muito mais forte nos 400 e 800 do que nos 200 Mesmo assim, ela tem 1:59.89 feitos nos Jogos Odesur no ano passado em Santiago do Chile. Ontem, quebrou o recorde da Venezuela nos 200 livre, está bem.

Notas da prova:
* Brasil só ganhou duas medalhas de bronze nesta prova desde que passou a ser disputada na primeira edição do Pan em 1951.
* Mariana Brochado foi bronze em 2003 em Santo Domingo com 2:02.08 e Monique Ferreira bronze em 2007 no Rio com 2:01.38.
* Prova disputada 16 vezes no Pan, 13 vitórias americanas e mais uma canadense, outra argentina e uma da Costa Rica.
* Americanas não perdem desde 1999.
* Desde 1951, em todos os pódios sempre teve pelo menos uma americana.
* Das 13 vitórias americanas, sete foram com dobradinha.

200 LIVRE MASCULINO –
Recorde panamericano – Brett Fraser (CAY) 1:47.18, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Thiago Pereira (BRA) 1:46.57, 2009

Brasil
Nicolas Oliveira voltou a nadar para 1:46 no ano passado, no Pan Pacífico. Sua melhor marca pessoal ainda é da época dos trajes com 1:46.90. Este ano, fez 1:47.45 no Maria Lenk. João de Lucca nadou para 1:47.98 no Pan Pacífico do ano passado e repetiu os mesmos 1:47.98 no Arena Pro Swim Series em fevereiro em Orlando.

Estados Unidos
Dois Michaels na prova, Michael Klueh e Michael Weiss. Ambos com marcas abaixo de 1:48. Melhor para Klueh com 1:47.45 seguido de Weiss com 1:47.66. Entretanto, Klueh não nada para 1:47 há um bom tempo. No ano passado, seu melhor foi 1:4830. Weiss nadou bem próximo da sua melhor marca 1:47.87.

Canadá
Jeremy Bagshaw é companheiro de treino de Ryan Cochrane, é o segundo melhor nadador da equipe canadense. Venceu a seletiva com 1:47.48, seu melhor tempo pessoal. Alec Page ganhou a segunda vaga, também nadando para o seu melhor 1:49.20.

Outros –
O campeão e recordista da prova, Brett Fraser das Ilhas Caymãs está longe de ser aquele nadador que venceu no último Pan. Ben Hockin do Paraguai, entretanto, segue treinando forte e está na briga pelos primeiros lugares. O maior destaque entretanto, principalmente depois dos três recordes argentinos de ontem nos 100 livre, Federico Grabich passou a ser um dos favoritos para a prova.

Notas da prova:
* Últimos quatro anos, quatro países diferentes venceram a prova. Ilhas Caymãs em 2011, Estados Unidos em 2007, Trinidad & Tobago em 2003 e Brasil em 1999.
* Brasil tem seis medalhas nos 200 livre do Pan, sendo 2 de ouro, 1 de prata e 3 de bronze.
* Há dois Jogos Pan Americanos que o Brasil não sobe nem ao pódio.
* Na última edição, Brett Fraser e Shaune Fraser das Ilhas Caymãs fizeram respectivamente 1o e 2o colocados no hi

200 PEITO FEMININO –
Recorde panamericano – Caitlin Leverenz (USA) 2:25.62, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Carolina Mussi (BRA) 2:27.42, 2009

Brasil
Pamela Souza tem 2:30.14 e ganhou a vaga com os 2:30.31. Tem estado sempre próxima de quebrar a barreira coisa que nenhuma brasileira conseguiu fazer desde o fim da era dos trajes. Beatriz Travalon com 2:33.39 é o segundo tempo, feito na atual temporada e é sua melhor marca pessoal.

Estados Unidos
Uma prova um tanto fraca para as americanas. Melhor tempo é Annie Lazor que tem 2:28.36 e ganhou a vaga no time do Pan com 2:28.91. Meghan Small nunca quebrou a barreira dos 2:30. Seu melhor é 2:31.70 do ano passado.

Canadá
Prova muito forte para as canadenses. Grande chance de dobradinha. Melhor tempo é de Martha McCabe com 2:22.75 tendo ganho a vaga com 2:24.53. Kierra Smith foi a segunda com 2:25.69, mas tem melhor marca pessoal de 2:23.32. Kierra Smith foi campeã do NCAA e tem um nado que traz os braços rentes a água na recuperação tendo sido desclassificada na seletiva nacional.

Outros
A argentina Julia Sebastian é candidata a final da prova. Atual recordista nacional de seu país com 2:28.25 tem defendido o Unisanta há vários anos nos campeonatos nacionais.

Notas da prova:
* Esta é uma das piores provas do Brasil nos Jogos Pan Americanos, sem qualquer medalha, de qualquer cor nesta disputa.
* Americanas já venceram 10 das 16 vezes que a prova foi disputada. Canadá venceu 5 e a Argentina venceu a primeira edição com Dorotea Tumbull em 1951 com 3:08.4.
* Americanas venceram com dobradinha em quatro edições de Pan, as canadesnes duas vezes.

200 PEITO MASCULINO –
Recorde panamericano – Sean Mahoney (USA) 2:11.62, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Henrique Barbosa (BRA) 2:08.44, 2009

Brasil
Os Thiagos. Thiago Simon com os 2:10.58 feitos no Open, sua melhor marca pessoal. Thiago Pereira entrou com 2:11.54 feitos no Maria Lenk, mas a sua melhor marca, um tanto antiga 2:10.66.

Estados Unidos
Bj Johnson ganhou sua vaga com 2:10.77 chegando bem próximo do seu melhor 2:10.09 da seletiva olímpica de 2012. O outro nadador, Brad Craig, é mais especialista na prova dos 100 peito, nos 200 fez 2:12.78 na seletiva que é sua melhor marca pessoal.

Canadá
Prova fraca para os canadenses. Melhor é Richard Funk que tem 2:12.50, mas nadou no ano passado para 2:13.13. James Derousoff fez a sua melhor marca pessoal na seletiva com 2:13.11.

Outros
Jorge Murillo da Colômbia campeão sul-americano de 2012 é candidato a chegar a final da prova.

Notas da prova:
* Brasil tem retrospecto modesto nesta prova no Pan, só 6 medalhas, 2 ouros, 2 pratas, 2 bronzes.
* Os 2 ouros foram com Thiago Pereira em 2011 e José Fiolo em 1967.
* A prova está no Pan desde a primeira edição em 1951, 16 edições, americanoas venceram 10 vezes, fora o Brasil 2, Argentina 2, Canadá 1, Cuba1.
* Já tivemos três nadadores que conseguiram vencer a prova mais de uma vez, Hector Dominguez da Argentina em 1951 e 1955, Rick Colella dos Estados Unidos em 1971 e 1975 e Steve Lundquist dos EStados Unidos em 1979 e1983.
* Quando Thiago venceu em 2007, foi com dobradinha com Henrique Barbosa em segundo lugar.

200 COSTAS FEMININO –
Recorde panamericano – Elizabeth Pelton (USA) 2:08.99, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Natália de Luccas (BRA) 2:12.09, 2013

Brasil
Joanna Maranhão fez o segundo melhor 200 costas da história da prova na América do Sul no Maria Lenk com 2:12.47. Luiza Vieira ganhou a sua vaga nadando apenas as eliminatórias do Maria Lenk com 2:16.99. Como nadou em observação não pode nadar a final, ganhando a vaga na grande surpresa desta seleção.

Estados Unidos –
Kylie Stewart já nadou abaixo dos 2:10. Tem 2:09.04, mas não consegue quebrar a barreira há dois anos. Ganhou a vaga com 2:12.33. Clara Smiddy ganhou a vaga no time com 2:12.98, mas tem 2:10.69 de 2013.

Canadá
Prova forte do Canadá. Hilary Caldwell tem 2:06.80, mas fez 2:09.53 na seletiva. Quem está em ascensão e fez a sua melhor marca pessoal para entrar no time foi Dominique Bouchard com 2:08.99.

Outros
Andrea Berrino da Argentina é a recordista sul-americana da prova em piscina curta e nada em busca de quebrar o recorde em piscina longa. Se isso ocorrer chega entre as primeiras colocadas.

Notas da prova:
* Prova sem qualquer pódio para a natação feminina do Brasil.
* Os 200 peito entraram para o Pan em 1967, 12 edições, Estados Unidos venceu 10 vezes, Canadá duas, as duas primeiras.
* Desde então, os americanos estão invictos há 44 anos. Última derrota foi em 1971.
*

200 COSTAS MASCULINO –
Recorde panamericano – Thiago Pereira (BRA) 1:57.19, 2011
Recorde sul-americano – Omar Pinzon (COL) 1:56.40, 2009
Recorde brasileiro – Thiago Pereira – Thiago Pereira (BRA) 1:57.19

Brasil
Leo de Deus tem 1:57.38  no Open nadou para 1:58.89.Brandonn Pierry de Almeida faz a sua estreia em Jogos Pan Americanos balizado com 2:03.03, mas nadou melhor que isso no Julio de Lamare em novembro do ano passado com 2:01.02.

Estados Unidos
Os dois nadadores da prova fizeram suas melhores marcas pessoais para ganhar espaço neste time. Carter Griffin com 1:58.87 e Sean Lehane 1:59.01.

Canadá
Outra prova sem grande expressão para o Canadá. Melhor nadador é Russell wood com 1:59.18 seguido de Markus Thormeyer 2:01.06. As duas marcas foram feitas na seletiva.

Outros
Omar Pinzon, nadador da Colômbia, está de volta. Mesmo com marca melhor do que o recorde panamericano, ficou em terceiro na última disputa em 2011 em Guadalajara. Depois de ser suspenso por doping, em teste que apontou a presença de metabólitos de cocaína foi julgado e chegou a cumprir um dos dois anos que foi suspenso. Apelou e conseguiu reverter a pena. Voltou a competir desde o ano passado e agora entrou na justiça contra as autoridades de doping da Colômbia em busca de ressarcimento financeiro de todo processo.

Notas da prova:
* O Brasil tem dominado os 200 costas desde 1999 com Leo Costa, depois Rogério Romero em 2003 e nos dois últimos Pans com Thiago Pereira. São quatro edições consecutivas.
* O Brasil tem 10 medalhas nesta prova em Pans, cinco são de ouro, 2 de prata e 3 de bornze.

REVEZAMENTO 4X200 LIVRE MASCULINO –
Recorde panamericano – Brasil 7:12.27, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Brasil 7:09.71, 2009

Notas da prova:
* Brasil tem 13 medalhas neste prova em Panamericanos, 1 de ouro, 8 de prata e 4 de bronze.
* A vitória do Brasil em 2007 foi a única vez que os Estados Unidos perderama prova em 16 edições de Panamericanos.
* O Brasil está há 11 Panamericanos consecutivos no pódio. Última vez que não ficou entre os três primeiros foi em 1967.

3 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *