DIA 1 – Terça-feira, 14 de julho

100 LIVRE FEMININO

Natalie Coughlin

Natalie Coughlin

Recorde panamericano Amanda Kendall (USA) 54.75, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Larissa Oliveira (BRA) 54.61, 2014

Brasil
Larissa Oliveira 54.61, recordista sul-americana prova e Garciele Hermann 54.76, ambas as marcas feitas no Open em dezembro.

Estados Unidos
Natalie Coughlin e Amanda Weir, duas nadadoras experientes e campeãs olímpicas. As duas já nadaram na casa dos 53 segundos. Amanda 53.02 e Natalie 53.39. Na temporada passada, Natalie 54.52 e Amanda 54.43.

Canadá
Duas jovens nadadoras e que fizeram suas melhores marcas na atual temporada. Chantal VanLandeghem 54.31 e Michelle Williams 54.21.

Os outros
Arianna Vanderpool Wallace de Bahamas é perigosa. E no papel a favorita. Sua melhor marca pessoal 53.73 dos Jogos de Londres em 2012, mas nadou no Arena Pro Swim Series em abril em Mesa, no Arizona, para 54.18.

Notas da prova:
* Brasil tem apenas uma medalha de prata na prova com Flávia Delaroli no Pan de 2007 com 55.78.
* Americanas em 16 Pans, ganharam 12 vezes e só ficaram de fora do pódio no Pan de 2007 no Rio.
* Canadá venceu pela última vez em 1999 com Laura Nicholas 56.25.
* Vitória mais apertada foi de Cynthia Woodhead em 1979 com 56.22 sobre Jill Sterkel 56.24, apenas dois centésimos.
* Em 16 Pans, das 12 vitórias americanas, 8 foram com dobradinha.
* A vitória mais fácil foi de Chris Von Saltza dos Estados Unidos em 1959 vencendo com 1:03.8 sobre a compatriota Molly Bolkin 1:05.7, 1 segundo e 9 décimos de vantagem.

Start list da prova:

100livrefeminino

100 LIVRE MASCULINO

Matheus Santana

Matheus Santana

Recorde panamericano – César Cielo (BRA) 47.84, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – César Cielo (BRA) 46.91, 2009

Brasil
Bruno Fratus abriu mão da vaga, afim de se concentrar para os 50 metros. nadam Matheus Santana e Marcelo Chierighini. Melhores marcas pessoais para Matheus 48.25, 48.11 para Chierighini. Nesta temporada, apenas Matheus nadou para 48, na sua vitória do Maria Lenk com 48.78. Chierighini fez 49.30.

Estados Unidos
Dois nadadores de 48, mas que não quebram a barreira há um bom tempo. Darian Townsend, integrante daquele histórico 4×100 livre campeão olímpico da África do Sul em 2004 tem 48.87, mas ganhou a vaga no time americano com 49.30. Cullen Jones, integrante do 4×100 livre campeão olímpico de 2008 (eliminatórias) e vice de 2012 nadando nas finais, tem 48.31, mas ganhou a vaga com 49.45.

Canadá
O “importado” Santo Condorelli é americano de nascimento, mas com mãe canadense, mudou de cidadania em abril deste ano. Fez sua melhor marca pessoal, primeira vez abaixo do 49, na seletiva com 48.83. O outro nadador também nadou o seu melhor na seletiva com 49.23.

Os outros
Com a ausência de Hanser Garcia de Cuba, disciplinado pela Federação Cubana, os nomes não são ameaças aos brasileiros. Brigando por vagas na final Ben Hockin do Paraguai, , Dylan Carter de Trinidad e Tobago, Cristian Quintero da Venezuela, Federico Grabich da Argentina e Brett Fraser das Ilhas Caimãs.

Notas da prova:
* Brasil tem nove medalhas na prova, 5 de ouro, 1 prata e 3 bronzes.
* César Cielo é o atual bi campeão da prova, Gustavo Borges também foi bi em 1991 e 1995. O Brasil venceu cinco dos últimos seis Panamericanos.
* Os americanos não vencem a prova desde de 1987 com Todd Dudley 50.24. Mesmo assim, são os maiores vencedores da proa, 22 medalhas, sendo 10 de ouro.
* O Canadá nunca venceu esta prova e está fora do pódio desde 1975 quando Bruce Robertson foi bronze com 53.44.
* Além de Brasil (5) e Estados Unidos (10) a única outra nação a vencer os 100 livre no Pan foi a Argentina com José Meolans em 2003.
* Apenas César Cielo em 2011 conseguiu nadar para 47 no Pan vencendo com 47.84.
* Vitória mais apertada dos 100 livre masculino no Pan foi em 1983 com Rowdy Gaines dos Estados Unidos batendo Fernando Canales de Porto Rico por cinco centésimos.
* A vitória mais fácil foi no Pan de 1955, um segundo de diferença entre o americano Clark Scholes 57.7 contrao o canadense George Park 58.7.

Start list da prova:

100livremasculino

200 BORBOLETA FEMININO

Audrey Lacroix

Audrey Lacroix

Recorde panamericano – Kathleen Hersey (USA) 2:07.64, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Joanna Maranhão (BRA) 2:09.41, 2009

Brasil
Joanna Maranhão é a recordista sul-americana e não gostou dos 2:10.33 que fez no Maria Lenk. Seu recorde é 2:09.41 e vai em busca dele. Manuella Lyrio com 2:14.53 feitos no Open, mas sua melhor marca pessoal é 2:14.15. Joanna briga por um bronze, Manuella nada para chegar a final.

Estados Unidos
Kate Mills e Kylie Stewart são as representantes na prova. As duas fizeram suas melhores marcas na temporada passada. Kate Mills 2:09.63 e Kylie Stewart 2:11.40.

Canadá
No papel é dobradinha do Canadá. Audrey Lacroix tem 2:05.95 e Katerine Saavard tem 2:07.61. Entretanto, as duas nadaram mal na seletiva. Lacroix para 2;09.22 e Saavard 2:11.89. Saavard nadou bem melhor recentemente no Mare Nostrum na Europa.

Os outros
Duas venezuelanas na disputa da prova, ambas treinando nos Estados Unidos. Isabela Paez e Andreina Pinto, ambas em busca de romper a barreira do 2:10.

Notas da prova:
* Brasil tem duas medalhas de bronze na prova. Uma com Rosemary Ribeiro em 1975 e outra com Daiene Ribeiro em 2007.
* Em 12 edições de Pan, americanas dominam com 10 vitórias sendo que nove delas foram com dobradinha. O Canadá só venceu em 1999 com Jessica Deglau e Audrey Lacroix em 2003. Na época, Lacroix era uma jovem nadadora de 19 anos de idade e venceu com 2:11.02.
* Vitória mais fácil foi de Mary Meagher em 1979 quando venceu com 2:09.77 deixando a também americana Karinne Miller em segundo com 2:15.05. Foram cinco segundos e 28 centésimos.
* A vitória mais apertada veio na primeira edição que a prova foi realizada em 1967 quando Claudia Kolb dos Estados Unidos bateu a compatriota Lee Davis com 2:26.74, 1 segundo e 25 centésimos.

Start list da prova:

200borboletafeminino

200 BORBOLETA MASCULINO

Leo de Deus

Leo de Deus

Recorde panamericano – Kaio Márcio (BRA) 1:55.45, 2007
Recorde sul-americano e brasileiro – Kaio Márcio (BRA) 1:53.92, 2009

Brasil
Leo de Deus está em sétimo no ranking mundial de 2015 com os 1:55.19, sua melhor marca pessoal feita no Maria Lenk. Nada para o bi e em busca do recorde panamericano que não conseguiu bater em 2011. Kaio Márcio tem 1:53.92, recore sul-americano e ganhou a vaga com 1:56.99, tem chance de medalha. Dois

Estados Unidos
Um especialista, um improvisado. O especialista é Bobby Bollier que tem 1:55.67, mas ganhou a vaga nadando pra 1:57.15. O outro é o jovem Ty Stewart que tem 2:00.31 e nadou na seletiva americana para 2:00.38.

Canadá
Dois nadadores na briga. Ale Page e Zak Chetrat. Page ganhou a vaga fazendo a sua melhor marca de 1:58.64. Zak Chetrat já nadou para 1:57.92 no ano passado, mas este ano ganhou a vaga com 1:59.15 na seletiva

Os outros:
Andrew Torres de Porto Rico, Andres Montoya da Colômbia, Marcos Lavado da Venezuela e Mauricio Fiol de Perú, todos devem nadar abaixo dos dois minutos.

Notas da prova:
* Brasil já venceu duas vezes, as duas últimas edições do Pan. Kaio Márcio campeão em 2007 com 1:55.45 e Leo de Deus em 2011 com 1:57.92. Detalhe que os dois estavam nesta prova no último Pan.
* No total, Estados Unidos tem 22 medalhas nesta prova, 9 de ouro, 9 de prata e 4 de bronze. Os brasileiros, 7 medalhas, 2 de ouro, 2 de prata e 3 de bronze.
* Seis países já venceram os 200 borboleta no Pan, Estados Unidos (9), Brasil (2), e com uma vitória Canadá, México, Equador e Venezuela.
* Vitória mais fácil com Mark Spitz no Pan de 67 2:06.42 contar 2:10.70 de Tom Arussoo, quatro segundos e 28 centésimos.
* A mais apertada é apenas três centésimos. Foi no Pan de 1987 com Bill Stapleton vencenco com 2:00.70 contra 2:00.73 de Jayme Taylor.

Start list da prova:

200borboletamasculino

REVEZAMENTO 4X100 LIVRE FEMININO
Recorde panamericano – USA 3:40.66, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Brasil 3:41.05, 2013

O Brasil briga por medalha, o bronze é garantido.

Notas da prova:
* O Brasil só foi prata uma vez, no último Pan, em Guadalajara 2011. São nove medalhas, somando mais oito bronzes.
* Em 16 edições de Jogos Pan Americanos, os americanos só perderam uma vez, em 1999 para o Canadá por 65 centésimos.
* Nos últimos seis Panamericanos o Brasil tem estado no pódio, sendo que em 2007, terminamos em segundo lugar, mas pela presença de Rebeca Gusmão fomos desclassificados.

Start list da prova:

revezamento4x100feminino

REVEZAMENTO 4X100 LIVRE MASCULINO
Recorde panamericano – Brasil 3:14.65, 2011
Recorde sul-americano e brasileiro – Brasil 3:10.80, 2009

Brasil é o grande favorito ao outro, mais uma vez.

Notas da prova:
* É o revezamento mais brasileiro, são 10 medalhas, 5 de ouro, 2 de prata, 3 de bronze. Os americanos tem 10 medalhas, sendo 7 de ouro, 3 de prata.
* Brasil é o atual tetra campeão da prova. A última derrota foi em 1995 para os Estados Unidos em Mar del Plata.
* Em 12 edições que a prova é disputada, o Brasil só não subiu ao pódio duas vezes, em 1967 e 1975.
* Canadá não ganha uma medalha nesta prova há dois Jogos Pan Americanos

Start list da prova:

revezamento4x100masculino

2 respostas
  1. Alexandre Madsen
    Alexandre Madsen says:

    Coach, apenas uma correção ; Cullen Jones nadou a final do reveza em Beijing 2008, ao lado de Phelps, Weber-Gale e Jason Lezak. Boa transmissão e cobertura para todos aí do Sportv!!! Saudações Aquáticas!!!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *