Competição com três recordes sul-americanos e um recorde brasileiro, confira o levantamento da Best Swimming indicando aquelas que foram as dez melhores performances da principal competição do calendário nacional, o Troféu Maria Lenk 2015:

10) Joanna Maranhão do Pinheiros, 200 medley 2:12.78

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Melhor marca de Joanna e da América do Sul nos 200 medley da era sem trajes. O anterior era dela mesmo no Open de dezembro com 2:13.40. Joanna ainda tem o recorde sul-americano desde 2009 com 2:12.12. A marca a nível mundial não entra no Top 20, mas supera de longe os 2:14.26 que levou Joanna a semifinal da prova nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012. Joanna teve quatro vitórias no Maria Lenk, a única nadadora da competição a conquistar tal feito.

09) Nicholas Santos do Unisanta, 50 borboleta 22.90

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Melhor tempo do mundo na prova e primeiro sub 23 do ano. Nicholas Santos nadou pela sexta vez na casa dos 22 segundos. Até hoje, apenas ele e César Cielo já conseguiram quebrar esta barreira. São 10 vezes, seis para Nicholas e quatro para Cielo. O recorde sul-americano segue com Cielo 22.76, Nicholas vem logo atrás com 22.79 em marcas feitas no Maria Lenk de 2012. Nicholas na largada conseguiu colocar quase meio corpo de vantagem sobre Cielo, diferença que foi diminuída, mas lhe garantiu a vitória.

08) Bruno Fratus do Pinheiros 21.74 e César Cielo do Minas 21.84 nos 50 livre

Segundo e terceiro tempos do mundo em 2015. Ambos queriam mais, mas as marcas colocam eles em destaque no ranking mundial. Foi a terceira vez que Fratus quebrou o 22 em 2015, a primeira de Cielo. Na prova, Fratus teve uma boa saída combinado com uma não muito boa saída de Cielo. Ao começar a nadar ao lado de Cielo, o resultado para Fratus já era esperado.

07) Felipe Lima do Minas 59.78 nos 100 peito

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Tempo das eliminatórias, Felipe Lima voltou a nadar abaixo do 1:00 coisa que não fazia desde a medalha de bronze no Mundial de Barcelona em 2013. Fez uma prova muito bem feita, conseguindo voltar para 31.96, coisa que nunca havia feito. Na final, não repetiu a mesma performance e acabou em segundo lugar nadando acima do 1:00. O tempo colocou Felipe como terceiro do mundo em 2015.

06) Leo de Deus do Corinthians 200 borboleta 1:55.19

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Demorou pouco o primeiro posto do ranking mundial para Leo de Deus nos 200 borboleta. Na seletiva nacional do Japão, Daiya Seto fez 1:54.63 baixando o brasileiro para o segundo lugar. Nem por isso, a marca deixou de ser uma das melhores da competição. Foi a melhor marca pessoal de Leo, superando os 1:55.28 feitos no Pan Pacífico do ano passado. Leo saiu forte em ritmo avassalador e se manteve assim até o final. O parcial dos 150 metros com 1:24.62 indica uma condição incrível de num evento maior (Mundial ou Olimpíada) chegar a algo na casa do 1:53.

05) Brandonn Pierry de Almeida do Corinthians 1500 livre 15:12.20

Novo recorde brasileiro para Brandonn Almeida derrubando o recorde anterior de Luis Rogério Arapiraca de 2011 com 15:12.69. Brandonn fez uma divisão perfeita nadando para 5:05, 5:04 e 5:02 a cada 500 metros fechando com incríveis 57.77. O tempo deixa Brandonn a apenas dois segundos do recorde sul-americano de Martin Naidich.

04) Etiene Medeiros do SESI-SP 50 costas 27.38

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Melhor marca do mundo em 2015, a um centésimo do recorde sul-americano. Etiene fez uma saída perfeita, nadou no meio da raia e chegou com precisão. O resultado indica uma belíssima fase da nadadora nesta prova e grandes expectativas para o resultado do Campeonato Mundial em Kazan.

03) Larissa Oliveira do Pinheiros 1:58.53 e Manuella Lyrio do Pinheiros 1:58.74 nos 200 livre

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Uma das mais belas disputas de toda competição. Foi a prova que abriu, com chave de ouro, o Maria Lenk 2015. A barreira quebrada dos 1:59 pela primeira vez na América do Sul. Larissa foi superior nas viradas e principalmente na última onde abusou do seu nado perfeito. Sem a mesma eficiência, Manuella teve de tirar a diferença “no braço” e sempre se aproximava a cada virada quando ficava novamente para trás. Sem desistir, lutando até o fim, fez uma grande prova e uma marca excelente.

02) Leo de Deus do Corinthians 400 livre 3:49.62

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Caiu o mais antigo recorde sul-americano. Leo de Deus fez uma prova arrojada e imprimindo um ritmo forte desde o princípio quebrou o recorde do venezuelano Ricky Monastério de 3:50.01 feitos nos Jogos Pan Americanos de 2003. Leo manteve uma técnica boa e alongada durante toda prova e mesmo num ritmo muito forte conseguiu segurar o padrão até o final.

01) Pinheiros 4×200 livre 8:03.22

Trofeu Maria Lenk, Natacao
Joanna Maranhão abriu como havia feito em 2004 em Atenas, marcou 2:00.60, Manuella Lyrio 1:59.75, Gabriele Roncatto 2:03.37 e Larisa Oliveira fechou para 1:59.50, 8:03.22 e novo recorde sul-americano para a prova superando os históricos 8:05.29. Foram 10 anos, sete meses e 24 dias depois, caiu o recorde de revezamento mais antigo da América do Sul. A marca deu um novo ânimo para as meninas do Brasil em busca de garantirem suas vagas para o Rio 2016. O recorde demonstra a evolução da atual geração estabelecendo uma nova marca, mas não apagando o feito das Meninas de Atenas. Tomara que consigamos fazer o mesmo no Rio 2016.

21 respostas
    • Alessandro
      Alessandro says:

      Grant Hackett, depois de sua aposentadoria, está nadando abaixo desse tempo. Michael Phelps também , se ele realmente nadar os 400 livre no GP, vai nadar abaixo desse tempo feito pelo Leo no TML.
      Mais de qualquer forma é record continental, mesmo que sem assombrar o mundo.

      Responder
      • sergio benatti
        sergio benatti says:

        Coach, só esqueci de lhe parabenizar pela excelente cobertura tanto em texto quanto na tv. Muitas pessoas acham que comentar um esporte é repetir aquilo que a imagem (ou o cronômetro) já mostraram, você sempre vai além, explicando os detalhes do nada, da saída, da virada…Você é o nosso 47baixo. 🙂

        Responder
  1. Carlos Oliveira
    Carlos Oliveira says:

    3 das 4 nadadoras do rev fizeram seu melhor ou quase para o momento. Gabi fez 2seg acima. A troca pela Jéssica ( tempo abrindo o rev no ML) já levaria a equipe HJ para os 8minutos….

    Responder
  2. Alex.
    Alex. says:

    Falou tudo coach! amarelar? acho meio arriscado dizer que alguém amarelou. você não sabe quanto trabalho e esforço são necessários para chegar onde esses caras chegaram, chegar em uma final de mundial. prova de 50 metros é resolvida no detalhe, qualquer erro é fatal, não é amarelada! e realmente, o final de prova de Fratus é melhor, isso é fato!

    Responder
    • Alexandre Madsen
      Alexandre Madsen says:

      Alex,
      Sou leitor do blog há vários anos. Sempre critiquei positva ou negativamente. Debater não é somente “jogar confete”. O Coach sempre comentou da importância dos grandes tempos, em grande competições. Medalha é o que interessa!!! Já li isso aqui. Mas, especificamente, em relação a Bruno Fratus e a Nicholas Santos, há uma condescendência maior. Que é Maria Lenk, perto de Mundial de Longa??? Na hora H, é que conhecemos os grandes campeões. Isto é fato!!!

      Responder
  3. Alexandre Madsen
    Alexandre Madsen says:

    Coach, eu não vi vc criticar o Fratus pela “amarelada” em Shanghai 2011. Disse : “acontece, faz parte. Teve uma péssima sáida. Com o Nicholas, comentou : continua sendo o melhor nadador de borboleta do mundo. Não vi críticas construtivas. Ma hora do “vamo vê”, Cielo leva. Sempre assim!!!

    Responder
  4. Alexandre Madsen
    Alexandre Madsen says:

    Engraçado, Coach!!! Eu não vi vc ser tão rígido com Bruno Fratus e Nicholas Santos nos Campeonatos Mundiais de Shanghai 2011 e Barcelona 2013, quando nas suas respectivas provas, 50 livre e 50 borboleta, nadaram na Raia 4, e ao lado do Cielo, e ficaram de fora do pódio. Fratus começando a nadar ao lado do Cielo, é garantia de vitória??? Só para vc, Coach!!!

    Responder
    • Alex Pussieldi
      Alex Pussieldi says:

      Não Alexandre, só tem paixão na sua análise, a minha é técnica. Cielo é infinitamente melhor no fundamento da saída, Fratus tem um melhor final de prova. Ao não tirar proveito do que Cielo tem de melhor, deu espaço para Fratus e foi o que aconteceu. Se você perguntar para o próprio Cielo vai escutar a mesma coisa. Não tem “torcida” para um ou outro, pelo menos para o meu lado, eu quero que os dois nadem bem. Já você…

      Responder
        • Denis Serio
          Denis Serio says:

          Alexandre,

          Pegue o vídeo do recorde mundial do Cielo no Pinheiros: O Bruno saiu praticamente um corpo atrás e chegou praticamente um corpo atrás. Na parte nadada, ficou perto de um empate com o Cielo, em uma performance de recorde mundial.

          Hoje, na parte nadada, bruno é melhor, principalmente nos últimos 15m.

          Isso é fato.

          Responder
          • Alexandre Madsen
            Alexandre Madsen says:

            Dennis Serio.

            Vc só pode estar de brincadeira!!! Este vídeo é clássico para comprovar o que estou dizendo. 20.91 x 21.81. 90 centésimos, só de saída??? Isto não existe. Os dois, no melhor da sua forma, Cielo sempre nada mais rápido, independentemente da saída. Fato!!!

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *