O apelido é carinhoso, foi dado pelo narrador do SporTV Jáder Rocha, admirador confesso do nadador mais veterano da Seleção Brasileira neste Mundial. Mais que isso, único nadador brasileiro a participar de seis Campeonatos Mundiais de Piscina Curta, e aos 34 anos de idade, ser capaz de ainda estar quebrando recordes.

A medalha dos 50 borboleta foi muito mais uma medalha de prata ganha, do que uma de ouro perdida para Chad Le Clos da África do Sul. Nicholas foi capaz de quebrar o seu próprio recorde sul-americano da prova com 22.08. Foi a quinta vez  que Nicholas quebra o recorde dos 50 borboleta em piscina curta.

Desde a primeira vez em 25 de janeiro de 2001 quando fez 23.92 em Estocolmo, foram mais quatro recordes e quase dois segundos de melhora. Outro dado impressionante é de que Nicholas se igualou a Fabíola Molina como os nadadores mais velhos a quebrarem um recorde sul-americano absoluto.

Fabíola também conseguiu ser recordista sul-americana em 2009 aos 34 anos nas provas de 100 costas com 57.63, nos 100 medley 1:00.66 e 50 costas com 26.61, todos em piscina curta. Os 100 medley ainda segue imbatível.

Semifinalista olímpico dos 50 livre, semifinalista do Mundial de Longa de 2009, finalista do Mundiais de Longa de 2013, Nicholas Santos foi muito mais efetivo nos Mundiais de Curta. Foram seis deles, seis medalhas, duas de ouro, duas de prata e duas de bronze em 10 finais e 2 semifinais.

O melhor e maior resultado foi o título do Mundial de Istambul em 2012 com direito a recorde de campeonato.

Campeonato Mundial FINA em Piscina Curta

Os seis Mundiais de Curta, somados aos cinco mundiais de longa, fazem de Nicholas com onze Mundiais o nadador brasileiro em atividade com maior número de competições deste porte.

Sabendo das dificuldades e a acirrada disputa que vai ser estar no time olímpico de 2016, Nicholas mudou de prova. Vai se dedicar aos 100 borboleta buscando uma vaga no time barsileiro para o Rio. A partir de janeiro, embarca para Auburn, onde passará a ser orientado pelo treinador australiano Brett Hawke na realização do seu sonho da terceira participação olímpica.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *