O que se esperar de um mundial de curta a pouco mais de 18 meses dos jogos olímpicos no Rio? Em um ano morno no calendário internacional com poucas competições no nível mundial, teremos a poucas semanas do fim de 2014 a primeira oportunidade de ver alguns dos melhores nadadores do mundo competindo lado a lado. Por exemplo, teremos talvez o melhor duelo deles o nosso medalhista olímpico, César Cielo, contra o atual campeão olímpico nos 50 livre, o francês Florent Manaudou. Estarei ansioso para acompanhar o campeão mundial em 2010 nos 50 peito, Felipe França contra o campeão olímpico e recordista mundial Cameron Van Der Burgh nas provas de peito. Não tenho dúvida de que será o melhor mundial de nossa história, porém, não podemos nos iludir com os resultados conquistados em Doha a poucos meses das olímpiadas no Rio.

Muitos nadadores não estarão presentes pois esses optaram por focarem já na temporada seguinte visando o mundial no meio do ano que vem em Kazan. Como o nosso atual campeão do Pan-Pacifico Bruno Fratus que preferiu focar para o Open 10 dias depois de Doha. Outros estarão em Doha, mas usando a competição como preparação para Kazan, como é o caso da petista da Lituânia Ruta Meylutyte, que já anunciou não estar focada na competição diminuindo as expectativas de uma grande performance. Não tenho dúvida que ela ganhará medalha em todas as provas que disputar, mas talvez não veremos recordes mundial dessa atleta.

O fato de não termos alguns dos melhores nadadores no atual ranking mundial de longa competindo em Doha, não faz com que o evento perca sua importância. O mundial de curt sempre foi uma competição divertida de nadar e de assistir, ainda mais o Brasil tendo tantos brasileiros com chances de medalhas. Arrisco em dizer que Cielo, França, Nicholas sairão com medalhas de ouro no peito. Já o revezamento 4×50 medley misto trará nossa inédita medalha em mundiais para a natação feminina, só nos resta saber quem irá nadar. Provável que seja Etiene, França, Daynara ou Nicholas, Larissa ou Cielo. Teremos medalhas ainda no 4×100 medley masculino, nos 50 costas com a Etiene e o Guido. Portanto pelas minhas contas teremos 9 medalhas no total sendo o melhor mundial na história da natação.

Melhores do Ano

Não entendi porque a FINA já elegeu seus melhores atletas do ano na natação com a competição mais importante organizada pela entidade neste ano ainda por acontecer. Por exemplo, imagine se Ryan Locthe ganhe todas as provas que competir mais os revezamentos, seriam 9 medalhas de ouro. Essa performance não desbancaria Chad Le Clos? A mensagem que a entidade me passa é que essa competição não é tão importante quanto as Copas do Mundo e que o simples fato de ganhar o mundial quebrando recordes não habilita nenhum atleta a ser o melhor do ano em 2014.

Instagram: @rickybarbosa
FaceBook: henriquebarbosaoficial

1 responder
  1. DDias
    DDias says:

    É bom por aí mesmo, o pessoal não pode se iludir.E me arrisco a dizer que você se empolgou um pouco ao dizer que Cielo, França, Nicholas sairão com medalhas de Ouro.O páreo está duríssimo para os três.O Cielo vai ter que bater um Manaudou(e Morozov) no melhor de sua forma.
    O Nicholas encara o Le Clos.E o França vai de encontro a estrela ascendente do Peaty. Acho que os três levam medalhas, mas o Ouro será muito,muito difícil para todos eles.

    Responder

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *