foto Gallo Images.

foto Gallo Images.

O ano de 2014 vai ser um ano especial para o sul-africano Chad Le Clos. Aos 21 anos, Le Clos e seu treinador Graham Hill vão colocar em ação o plano para assumir a condição de melhor nadador do planeta.

Campeão olímpico dos 200 borboleta em Londres 2012, vice nos 100 borboleta, Le Clos já melhorou sua condição em Barcelona  no ano passado ao conquistar o título mundial das duas provas. O plano agora, é sair em busca de recordes mundiais e adicionar novas provas em seu programa.

Os recordes mundiais parecem longe. Suas melhores marcas são 51:06 e 1:52:96 respectivamente para os 100 e 200 borboleta. Os recordes ainda são de Michael Phelps na era dos trajes com 49:82 e 1:51:51. Ele não pensa assim.

As novas provas do program são as provas de medley. Aliás, foi no medley que Chad Le Clos ganhou o seu primeiro ouro internacioinal. Foi nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2010 em Singapura quando se sagrou campeão dos 200 medley. Ele ainda foi prata nos 100 e 200 borboleta, 400 livre e um bronze no 4 x 100 livre, fazendo dele o melhor nadador daquele torneio.

Ainda em 2010, Le Clos ganhou a sua primeira competição a nível absoluto no Commonwealth Games ouro nas provas dos 200 borboleta e 400 medley. E para terminar o ano, campeão mundial de piscina curta em Dubai novamente nos 200 borboleta.

Se 2010 deu tudo certo, 2011 nem tanto. No Mundial de Shanghai, Le Clos ficou em quinto nos 200 borboleta e nem chegou a final nos 100. Fatores que o ajudaram no programa olímpico que explodiria em 2012 com a medalha de ouro nos 200 borboleta em Londres e a prata nos 100 borboleta.

Agora é adicionar novas provas. A volta ao medley é natural. Ele já fez sucesso no Circuito da Copa do Mundo do ano passado. Das oito etapas, Le Clos venceu os 200 medley em cinco delas e os 400 medley em duas. O Rei da Copa do Mundo pela segunda vez (venceu em 2011 e 2013), ainda venceu os 50 borboleta duas vezes, além dos 200 livre uma vez e pódio nos 100 livre.

Graham Hill e Le Clos com as medalhas olímpicas.

Graham Hill e Le Clos com as medalhas olímpicas.

Le Clos e seu treinador Graham Hill querem fazer algo que ninguém jamais conseguiu. O plano são seis medalhas de ouro individuais e mais os revezamentos no Commonwealth Games em julho na Escócia. Se isso acontecer ele superaria a performance Ian Thorpe que no Commonwealth de 2002 em Manchester. Na oportunidade, Thorpe venceu seis provas e ainda levou uma prata nos 100 costas.

O programa nos planos de Le Clos e Hill seria os 50, 100 e 200 borboleta, 200 e 400 medley, mais uma prova de livre, entre os 100 ou 200 livre. E completando com os três revezamentos.

Não vai ser nada fácil enfrentar tamanha dificuldade a lembrar que no Commonwealth, são apenas seis dias de competição, e as provas de 50 e 100 ainda tem a disputa de semifinais. No último Commonwealth em 2010, Le Clos além dos ouros nos 200 borboleta e 400 medley, ele ainda foi prata no 4 x 100 medley e dois bronzes nos revezamentos 4 x 100 e 4 x 200 livre.

Le Clos já está na Austrália a espera da sua massagem. (foto Facebook)

Le Clos já está na Austrália a espera da sua massagem. (foto Facebook)

Sabendo da dificuldade que vai enfrentar com Austrália, Canadá, Inglaterra, Escócia, Le Clos quer iniciar o desafio desde já. Para isso estará no BHP Billiton Aquatic Super Series e as provas de medley serão um grande teste. Vai enfrentar os medalhistas olímpicos Kosuke Hagino do Japão e Thiago Pereira, além do campeão mundial dos 400 medley Dayia Seto e o melhor australiano destas provas Thomas Fraser Holmes.

Nada que assuste a Le Clos que decidiu fazer história em 2014.

Junto de Phelps no pódio dos 200 borboleta. (Foto AP)

Junto de Phelps no pódio dos 200 borboleta. (Foto AP)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *